AVISO

AVISO

31/05/2011

Av. Roma / Av. E.U.A.


Chegado por e-mail:

«olhem que fantástico.

aqui se vê o que dá transformar avenidas em auto-estradas

HDO»

...

Acrescento eu, que saudade!

As novas portas da Versailles:


O incontornável Lisboa S.O.S. chama-lhe selvajaria, ao desmantelamento daquelas velhas portas de madeira e o termo não podia ser mais adequado. Verdade seja dita que a Pastelaria Versailles há muito que passou a fast food da moda, mas há limites, até porque o prédio está classificado ... ou também já o desclassificaram?

As árvores também se abatem no Parque Mayer



É com sentida mágoa que damos conta de mais um arboricídio perpetrado na cidade de Lisboa, desta feita sobre um magnífico exemplar de Maclura pomifera, árvore originária da América do Norte, localizado no Parque Mayer, na zona de intervenção do Plano de Pormenor do Parque Mayer, Jardim Botânico, Edifícios da Politécnica e Zona Envolvente.

O pedido de classificação de Interesse Público deste imponente exemplar, solicitado pela Associação Lisboa Verde, mereceu por parte da Direcção-Geral das Florestas o parecer que junto enviamos e que termina dizendo: “Mais se informa que da vistoria conjunta efectuada ao local, DGF/CML evidenciou-se a necessidade de preservação deste exemplar aquando das obras de melhoramento e beneficiação previstas para o local”.

Não foi este o critério entendido e seguido pelas entidades responsáveis pelo Plano de Pormenor do Parque Mayer e Zona Envolvente e, assim, Lisboa ficou mais pobre.

Preocupa-nos que a falta de sensibilidade agora manifestada em relação a este exemplar centenário seja a mesma a que se encontram votadas todas as outras árvores do Jardim Botânico e logradouros envolventes.


João Pinto Soares

Assim Se Condena Uma Árvore à Morte



Chegado por e-mail:


«Caro Paulo,


Temo que Lisboa esteja prestes a perder uma das suas mais antigas habitantes sem razão válida para tal (ver aqui). Se achar boa ideia, peço-lhe que publique uma chamada de atenção sobre o assunto no Cidadania LX. Se preferir eu mesmo posso escrever algo sobre o assunto.
Atenciosamente
Rosa Casimiro»

Turismo de Lisboa pede regime fiscal de excepção mas Governo é inflexível


Em 2010, seis milhões de estrangeiros visitaram a Área Metropolitana de Lisboa

Ministério das Finanças lembra que o memorando de entendimento assinado com a troika congela todos os benefícios fiscais e proíbe regimes de excepção ( por Marisa Soares in Publico )
O presidente adjunto da Associação Turismo de Lisboa (ATL), Mário Machado, pediu ontem a criação de um regime de excepção para a actividade turística, em termos fiscais, por entender que o sector pode “rapidamente” contribuir para a recuperação económica do país. Porém, o pedido esbarra no memorando assinado entre o Governo e as instituições europeias, que prevê o congelamento de todos os benefícios fiscais.

O Ministério das Finanças é inflexível. “No Orçamento do Estado para 2012 não poderão figurar novos regimes de excepção nem alargamento dos regimes de excepção em vigor”, sublinha fonte do gabinete do ministro Teixeira dos Santos, em declarações ao PÚBLICO. O acordo celebrado com a troika proíbe a criação de novos benefícios fiscais, temporários ou permanentes.

Apesar de entender que a recuperação de Portugal terá de passar por medidas de contenção, Mário Machado deixou um recado para o Governo que sair das eleições do próximo domingo. “É preciso garantir que não se tomam medidas que vão prejudicar a competitividade do turismo”. O mesmo defendeu ontem o líder do CDS-PP, Paulo Portas, em campanha por Seia (ver mais na página 6).
“O turismo não quer ser uma excepção só porque sim, quer ser uma excepção porque rapidamente se provará que isso vai trazer grandes benefícios ao país”, argumentou Mário Machado, à margem da tomada de posse dos corpos sociais da ATL, que continuará a ser presidida pelo líder da Câmara de Lisboa, António Costa. O mesmo responsável lembrou que o turismo representou 9,2 por cento do Produto Interno Bruto em 2010 e contribuiu em oito por cento para a taxa de emprego. Falando do sector como uma “força motriz” para o país sair da crise, o presidente adjunto da ATL lembrou que a Área Metropolitana de Lisboa é responsável por 29 por cento das receitas deixadas pelos turistas internacionais e realçou que, segundo o Instituto Nacional de Estatística, foi o destino de seis milhões de estrangeiros em 2010 – dos 8,6 milhões registados a nível nacional.

Os resultados provisórios de Abril mostram que a capital “está mais ou menos igual a 2010, o que não é propriamente um bom sinal”, embora se espere melhorar no resto do ano. “Era importante que, por via das receitas internacionais que o turismo consegue, antes de se tomarem as medidas, se olhasse para o sector e visse se aquelas fazem sentido no contexto internacional da competitividade”, afirmou Mário Machado.

Segundo dados do Banco de Portugal relativos ao primeiro trimestre, as receitas dos turistas estrangeiros no país aumentaram para 1,3 mil milhões de euros, ou seja, mais sete por cento do que no mesmo período de 2010. Mário Machado destacou a necessidade da promoção internacional de Portugal de forma o mais directa possível junto do consumidor final e de o turismo português continuar a promover destinos já consolidados, porque “não estamos em momento de desperdiçar recursos a criar marcas novas”.
--------------------------------------------------------------------------------
Pois é ...
Os “responsáveis” começam a ser responsabilizados pela sua capacidade de gestão dos recursos ... e protestam nervosos ... no entanto é uma área que tem sido reconhecida como uma indústria importante para o País e fonte de importante receita ... mas tratada sem uma reflexão sobre a qualidade do “produto”original que é disponibilizado e oferecido ... e esse produto tem a ver com a qualidade do acolhimento, não só nas unidades hoteleiras, mas precisamente no exterior ... limpeza das ruas, autenticidade na experiência cultural e verdadeira qualidade humana ...
Temas que têm sido denunciados e ilustrados constatemente neste “blog”...
Gostaria de ver o respectivo responsável pelo Turismo, que exprime as suas preocupações, precisamente tão e igualmente preocupado ... com o estado inacabado do Terreiro do Paço ( que até o responsável por isso, António Costa reconheceu com uma vergonha para a Cidade, no Público ) ... com a destruição sistemática do Património, roubando Lisboa da sua Autenticidade, Identidade e Carácter, ingredientes determinantes para o “produto” ... com o estado decadente e desertificado do Centro Histórico, determinante para a imagem e para o “produto” .... com o lixo espalhado por todo o lado ... enfim etc., etc.,
Com a publicação no “Guardian”da notícia de uma assalto fatal a um cidadão britânico o autarca de Albufeira entrou em pânico e avisa, e bem, para as consequências alarmantes para a vivência do “produto” ... e o resto ... ? ...Senhores Autarcas e Responsáveis pelo Turismo ....?
António Sérgio Rosa de Carvalho

O que é isto...?

foto: Emanuel Ribeiro

Porque raio é que os deficientes deste país não merecem mais que parvoíces destas...?
Pode ler o resto aqui !

30/05/2011

Rua de São Mamede, 7: "aguas furtadas"?

Reparar bem nas "novas" águas furtadas que foram construídas neste edifício pombalino acabadinho de ser "reabilitado" na Rua de São Mamede, 7. Se o Carlos Mardel ou o Eugénio dos Santos cá viessem... dariam umas boas réguadas nos senhores que fizeram este serviço. Na verdade nem é preciso chamar os arquitectos da Lisboa de Pombal: qualquer profissional sério em reabilitação nunca faria um trabalho destes. Não há palavras para descrever isto - porque é mesmo muito mau. Rir ou chorar? Chorar pois o preço que estão a pedir pelos apartamentos "de luxo" é chocante considerando a óbvia falta de qualidade da intervenção.

Diga «LISBOA»: Largo do Chiado

O precedente grave da Defensores de Chaves:



Av. Defensores de Chaves, 67


Este é o novel prédio, de estética prisional, que acaba de ser erguido no gaveto com a Av. Visconde Valmor. Não ficaria mal se os prédios com quem confina fossem doutra traça que não daquela que realmente têm. Este edifício irá pressionar seriamente toda a envolvente, a começar por os seus dois magníficos vizinhos. A ver vamos quantos anos se manterão de pé tal qual são.

Construções escolares e arquitectura

As obras da Parque Escolar e alguns dos custos, AQUI.

Sessão pública sobre o Plano de Pormenor Alvalade XXI












Estas são algumas imagens do Plano de Pormenor Alvalade XXI, designadamente do projecto Metropolis, que estará em discussão HOJE, pelas 18h30, numa sessão a realizar pela Câmara Municipal de Lisboa no Auditório Artur Agostinho (Estádio de Alvalade).

...



Entretanto, informação actualizada:

O que vai ser apresentado hoje é apenas sobre os terrenos onde vai ficar o pavilhão do Sporting... as minhas desculpas a quem induzi em erro.



Texto editado

CÂMARA PRECISA DE MAIS DE MIL CASAS


por Adriana Vale,

Publicado em 30 de Maio de 2011

in "i"


Município envia cartas a beneficiários de casas municipais para fiscalizar e actualizar rendas
fotogalería .Ao mesmo tempo que procede a uma avaliação da ocupação das casas municipais, a Câmara Municipal de Lisboa admite que precisa de mais de mil fogos.

De forma a proceder a uma avaliação da ocupação do seu património imobiliário, o município enviou as primeiras 1500 cartas aos beneficiários de casas municipais em Março.

O relatório desta iniciativa revela, segundo a Lusa, que foram entregues 965 cartas e em 533 casos estas foram devolvidas. Em 117 destes casos a devolução ficou a dever-se ao facto de o titular ter falecido. Em perto de 390 casos a missiva, registada nos correios, não foi reclamada. Segundo as regras definidas para o processo, será enviada uma segunda carta e, na ausência de resposta, os serviços municipais procedem a uma averiguação in loco pelas equipas de fiscalização. Este processo poderá dar lugar à perda de direito à habitação.

Esta fiscalização, que vai incidir em cerca de 25 mil fogos do património dispersos e dos bairros municipais, só estará concluída em dois anos. A câmara municipal tenciona tornar esta avaliação recorrente. "A ideia é que passe a ser feita a cada três anos", afirmou à Lusa Helena Roseta. As situações actualizadas ou fogos atribuídos há menos de dois anos ficam fora da inspecção, assim como os casos que se encontram em processo de contencioso.

Esta avaliação servirá também para a actualização das rendas de acordo com os rendimentos dos beneficiários.

O município precisa de mais de mil casas para conseguir responder às necessidades urgentes de realojamento, que incluem casos de transferência de famílias de casas municipais em ruína, 180 situações, ou de habitações privadas alugadas pagas pelo município, cerca de 190 casos. Perto de metade deste fogos, 413, serão para famílias que obtiveram classificação máxima dentro dos novos critérios de avaliação destas necessidades. Adriana Vale com Lusa

Rua de São José – do Sonho … ao Pesadelo!


Rua de São José – do Sonho … ao Pesadelo!

Do sonho…

O Grupo de Amigos da Igreja de São José dos Carpinteiros e Casa dos 24 enviou à CML - no âmbito da consulta pública da proposta do novo PDM - algumas sugestões
(http://grupoamigosigrejasjose.blogspot.com/2011/05/novo-plano-director-municipal-pdm-de.html) onde propunha a valorização do percurso histórico e turístico de São Sebastião até às Portas de Santo Antão, promovendo, nomeadamente, a mobilidade pedonal e retirando o trânsito de atravessamento.

… ao Pesadelo!
Na Rua de São José, mesmo em frente à Igreja de São José dos Carpinteiros - Imóvel de Interesse Público -, está a ser construída mais uma enorme entrada de garagem, desta vez para um novo hotel que vai surgir na Avenida, não se sabendo o que ainda está para vir.

Tal como se passa nas outras garagens da zona, para retirar a água das caves as bombas trabalham, quase sempre, de dia e de noite!

Como é isto possível? Quem são os responsáveis? Apesar do gravíssimo problema das águas, as garagens continuam a ser construídas no vale e também a meia-encosta, na Rua do Passadiço.

Com uma enorme riqueza patrimonial e potencial turístico, a Rua de São José continua a ser encarada por todos os que mandam nos destinos da cidade – a CML, o IGESPAR, a Junta, representante do Povo da Freguesia,… - como mera serventia e zona de arrumos da Avenida da Liberdade!


Foto e texto: AAS

27/05/2011

Proibição estúpida #2


A proibição de virar à direita a quem quer descer a Av. Fontes Pereira de Melo, para quem vem da R. Tomás Ribeiro, por muito boas intenções que tenha para com os peões da passadeira aí colocada, revela-se estúpida. Não só abre o apetite à infracção descarada como contribui para o imenso estrangulamento dos cruzamentos com as Ruas Viriato e Andrade Corvo...

AMOREIRAS: «Só os inteligentes resistem» (?)

Imagens do "canal pedonal", e estacionamento selvagem, na Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, junto das Amoreiras. Está assim desde a inauguração do complexo das Amoreiras - já lá vão mais de 20 anos. Sem comentários... Quanto aos "discretos" dispositivos de publicidade a conspurcarem o ambiente urbano... Enfim, Lisboa no seu pior!

Antiga gare do Arco do Cego vai ser transformada num espaço polivalente aberto 24 horas por dia

In Sol Online (27/5/2011)

«A antiga gare da estação do Arco do Cego, em Lisboa, vai ser transformada num espaço polivalente, aberto 24 horas por dia, equipado com biblioteca, mediateca, um núcleo de exposições e um espaço para trabalhos experimentais.

A reabilitação da estação do Arco do Cego surge na sequência de um acordo para a cedência daquele espaço assinado hoje pela Câmara Municipal de Lisboa e pelo Instituto Superior Técnico (IST).

«Este projecto vai dotar o Técnico e a cidade de um grande espaço de estudo que vai estar aberto 24 horas por dia a todos os estudantes e a toda a comunidade», sublinhou o presidente do IST, António Manuel Serra.

O responsável afirmou que pretende dotar o espaço com uma biblioteca, um núcleo museológico, uma mediateca, um espaço multifuncional para aulas, exames, encontros e seminários e um estúdio para trabalho experimental.

«Vamos construir também uma área coberta de 500 metros quadrados a utilizar pela Câmara Municipal de Lisboa para serviços da Protecção Civil. É a justa contrapartida pela generosidade da câmara em todo o processo», referiu.

António Manuel Serra disse ainda que a obra está orçada em sete milhões de euros e apelou ao ministro das Finanças do novo Governo para não interferir na autonomia universitária.

«Os ministros das Finanças que vierem, que não tenham a tentação de tomar medidas que ponham em causa a autonomia universitária de gerir as receitas que geramos», sublinhou.

O presidente do IST disse ainda que o Técnico tem receitas no valor de 65 milhões de euros, conseguidas através de trabalhos que faz para empresas portuguesas e estrangeiras e projectos de investigação internacionais.

«É dessas receitas que pagamos todos os salários e fazemos os nossos investimentos», disse.

O responsável pediu ainda aos serviços da câmara e aos técnicos do IST esforços no sentido de se iniciar a obra em 2012.

No final da cerimónia, ofereceu ao presidente da Câmara de Lisboa, António Costa (PS), uma medalha do centenário do IST, que se assinala este ano.

O autarca destacou a importância deste projecto para a cidade, afirmando que «vai ser uma âncora importante de fixação dos jovens e de visitantes a Lisboa».

«Não basta reabilitar edifícios, é preciso dar-lhes uso e este projecto vai trazer vida ao local», sublinhou.

António Costa considera também que aquele espaço vai reforçar a concretização do programa camarário 'Lisboa Cidade Erasmus'.

Quanto ao edifício destinado à Protecção Civil, explicou que se insere na estratégia de reabilitação do dispositivo territorial dos Sapadores Bombeiros de Lisboa.

«Lisboa tem uma enorme fragilidade sísmica e Monsanto é a zona de maior resistência sísmica. Houve a opção estratégica de colocar os sapadores na zona mais segura, deixando na cidade pequenas unidades com capacidade de resposta para pequenas ocorrências do dia a dia», explicou.

Ao abrigo deste protocolo, a câmara vai construir e concessionar um parque de estacionamento debaixo da antiga estação do Arco do Cego.

Lusa/SOL»

...

Uma boa notícia. Será desta?

Antes & depois



Avenida Duque d'Ávila, 193
(gaveto com a Rua Pinheiro Chagas)




A partir de ...2010

Antes & depois


Avenida Duque d'Ávila, 23(gaveto com a Rua D. Estefânia)


Década de 90

Órgão da Igreja dos Paulistas


Este órgão setecentista não pode continuar por remontar e mudo, dê lá para onde der. Independentemente dos protagonistas e dos argumentos de prós e contras, a verdade é que é um crime lesa-património assistirmos, impávidos e serenos, ao estado em que o órgão está, porque a CML continua a não querer pagar a última tranche do restauro. O organeiro não trabalha de borla e está no seu direito. Não há mecenas senão para o que não interessa. Ora, a cidade precisa daquele órgão recuperado e a tocar. ENTENDAM-SE!

"Carta" de Göteborg para o vereador Salgado....







portas de origem..



..soalho e "lareira" de origem..


ui, ui....janelas e portas de madeira..




..mobiliário de cozinha de origem..


.. sem garagem..


Göteborg, Fjärde Långgatan 18, 1902.

Talvez algo que em termos de conservação e restauro....o Exmo. vereador possa comparar com o número 25 da Avenida da República?