...

...

16/11/2015

Isto é para rir ou para chorar?!


Querem acabar com uma das encostas de Lisboa mais bonitas e que ainda permanece intacta?
"Projecto que vai dar entrada amanhã na Câmara" (http://www.cmjornal.xl.pt/cm_ao_minuto/detalhe/arquiteto_souto_de_moura_cria_projeto_de_auditorio_para_sede_da_santa_casa_em_lisboa.html e mais aqui, sobre o aborto da SCML)

16 comentários:

Anónimo disse...

Se fosse do Zé da Esquina talvez ainda houvesse esperança, mas como é do Souto Moura passa certamente e as revistas de arquitectura vão ficar muito excitadas...

Anónimo disse...

A hipocrisia no seu melhor. Se não reparem. Ao ler o seguinte artigo do Expresso deparamos-nos com esta declaração:

"O objetivo do arquiteto é que quem entra no espaço encontre uma maneira única de ver Lisboa e fique com uma imagem própria registada da cidade, enquadrada numa moldura formada pelo próprio edifício que, com uma parede de vidro, proporciona uma vista que vai da Colina de São Vicente ao Castelo de São Jorge", explica Santana Lopes"
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-11-14-Souto-Moura-cria-auditorio-a-pedido-de-Santana-Lopes

Ou seja, quem frequenta as bairros e os miradouros das colinas opostas (Castelo, Torel) assim como outros locais da cidade com vista para a respectiva colina, irá agora também passar a encontrar uma maneira única de ver Lisboa e a 7ª Colina com a inclusão de um edifício que mais parece saído da era das televisões dos tubos catódicos.

E em que é que a forma/desenho deste edifico contribui para o sistema de vistas e para o paisagismo da cidade? O que é que este edifício vai proporcionar a quem o observa das colinas/zonas opostas para além de um enorme sentimento de repúdio?

Anónimo disse...

"Isto é para rir ou para chorar?!"

É mais para vomitar..

Anónimo disse...

Projeto interessante.

Paulo Ferrero disse...

a gde questão é: há disciplina partidária para isto?

Julio Amorim disse...

Este arquitecto devia ter tomado um "berdinho" a mais na tarde que concebeu esta borrada!? Mais uma vez o sr. Santana Lopes a fazer convites para estragar a cidade. A ultima vez foi ali para os lados do Parque Mayer e custou cerca de 2,5 milhões de euros aos contribuintes de Lisboa. Os benefícios para a cidade foram planos de Frank Gehry para o caixote do lixo. Gente sem vergonha temos em demasia....

A cidade histórica não necessita desta porcaria !

MPCarvalho disse...

Não percebo sequer como conseguem entregar uma solução destas, numa zona histórica .. está para além do meu entendimento !

E eu até gosto do arriscar na arquitectura .....

Anónimo disse...

O problema quanto a mim não é deste arquitecto em particular, mas da arquitectura em geral, que de há umas décadas para cá perdeu a capacidade de intervir no tecido histórico da cidade. Pura e simplesmente tem de se manter os arquitectos longe da cidade antiga e consolidada, só cá devem entrar especialistas em conservação e restauro.

Anónimo disse...

Gosto do edifício. Projeto com bom gosto que se enquadra perfeitamente. Daqui a uns anos será um elemento marcante da cidade. Não entendo o alarmismo geral

Pedro Costa disse...

O anónimo das 11:56 toca num ponto essencial - no que diz respeito ao aspecto paisagístico e ao dialogo entre o edificado mais antigo do tecido histórico e as últimas obras contemporâneas que tem sido edificadas. Estas últimas têm deixado muito a desejar! Quanto a este auditório: Ridículo! Isto não é arquitectura, nem nada que se pareça. Pergunto-me o que se terá passado na cabeça de um dos nossos "pritzkers" para elaborar uma coisa destas num local como este!

Anónimo disse...

O problema é que a cidade histórica e consolidada não precisa de mais nenhum "elemento marcante", já tem que chegue. Querem fazer elementos marcantes vão para a Expo ou para Sete Rios.

Marta Assunção disse...

Lol para o anónimo da 1:03!

Sim, tem tudo a ver..

Julio Amorim disse...

Problema ainda maior é que a cidade histórica está com milhares de janelas de metal / plástico, portas do mesmo, interiores totalmente destruídos, e por ai fora. Um grande favor que um arquitecto conceituado como Souto de Moura poderia ter oferecido à cidade de Lisboa, era ter coragem de gritar alto que Lisboa não necessita de mais descaracterizações e falsificações. Mas deixar o chichi numa colina de Lisboa foi muito mais aliciante....

Anónimo disse...

A primeira imagem ( com texto) não corresponde à solução final. As outras sim.

Anónimo disse...

Ó Júlio, mas desde quando e que por carga de agua é que um arquitecto como o Souto, que vive no mundinho dele e que tem um ego do tamanho do mundo, vai fazer um favor a Lisboa e respeitar o quer que seja?

Como ele já disse inúmeras vezes "eu faço os meus projectos para mim"!

Anónimo disse...

Ve-se que há aí gente que continua a viver no século passado"!
Grande projeto de arquitetura!