Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

27/07/2017

Requiem pelos Palácios lisboetas

Palácio Barberini em Roma

Palácio de La Consulta (Tribunal Constitucional) em Roma

Palácio do Correio-Velho, Marim-Olhão em Lisboa. Arruinado, fechado à excepção da leiloeira que lá funciona. A escadaria berniana está entaipada.

Palácio Sanches de Baena (?) antigas instalações do A.R.C.O.. palácio do século XVII em estado de pré-ruína. O jardim,exemplar típico das residências nobres de Lisboa está em completo abandono, os bancos azulejados estão à mercê dos roubos.  Nada há que o defenda, nem sequer o facto de estar no centro do centro histórico.

Palácio Alvito, irá ser um condomínio chamado à la Novo-Rico. "condomínio da baronesa". Uma designação que nada diz. Entaipado, arruinado e incendiado.

Palácio Costa-Lobo "do Patriarcado". Um dos mais notáveis prédios de Lisboa. fachada barroca de grande aparato. Vazio, abandonado, vidros partidos. Será um hotel e será para sempre adulterado, tal como o foi o Palácio da Anunciada

Palácio da Praça da Alegria, vendido que foi a um grupo, parece que de sauditas, e foi todo destruído. Só restou a fachada. escadarias, estuques, portas, foi tudo levado pela estupidez e incultura com que se geram os destinos de uma das cidades mais interessantes da Europa.

Galeria de entrada do palácio Almada-Carvalhais, monumento nacional. Vítima da especulação e da "lata" com que as autoridades comercializam o património da cidade.


Não há em Roma um único palácio que não tenha a informação histórica colocada próxima da fachada, um único que não seja valorizado e dado a conhecer. Dirão que a qualidade é outra. Argumento falacioso que nos permite destruir e pactuar com a extinção do nosso legado histórico.

Em Lisboa os exemplos são inúmeros e são todos prova da maior incúria por parte da tutela, a famigerada DGPC que nada faz nem quer fazer. da CML que deixa que estas casas únicas sejam alvo de especulação, sejam divididas, trucidadas, abastardadas.

A lista é longa. Aos que aqui estão acrescentem-se a Quinta das Águias, o palácio Ribeira Grande, o palácio dos Patriarcas, dos Távoras,  da Anunciada, da Rosa, Mesquitela, Murça, Silva Amado, Povolide, etc.


Seriam  necessários outra visão, outro cuidado, outra gestão da cidade.

Os palácios de Lisboa são hoje a triste prova da imensa negligência e do letal torpor em que a DGPC e a CML vivem e nos destroem, pela incúria, Lisboa.

14 comentários:

Vítor disse...

Acrescento o Palácio Baldaia em Benfica, que, em obras de restauro, já lhe espetaram umas janelas de alumínio,paredes com tinta texturada ( será que antes já havia? Se sim, não era razão para continuarem...), uma estrutura metálica escura na parte dos jardins, a qual nada tem a ver com a denominada arquitetura rendilhada do ferro, que por lá parece existir. E mais não sei porque ainda não vi a parte de cima( 1º e 2º anadares)....
Na minha opinião,há uma nota positiva para o arranjo do jardim: caminhos e arbustos.

Anónimo disse...

O Palácio do Correio-Velho que há uns bons meses atrás foi alvo de uma intervenção superficial, que consistiu na repintura das fachadas e na limpeza das estruturas pétreas, infelizmente já está cheio de tags outra vez! Assim como todo o Bairro Alto! Não há ninguém que adopte medidas concretas que resolvam este problema de vez! Custa assim tanto!!

Anónimo disse...

Agradecemos umas fotografias dos velhos prédios em frente ao Hotel Mundial e ao lado das traseiras da Igreja de São Domingos, na entrada da Rua Barros Queirós.

Poderão os prédios não terem qualquer valor arquitectónico, mas aquelas cérceas aumentarão com o visto de arquitectos nas mãos dos promotores e claro nas mãos de Manuel Salgado.

Estudar aquele enquadramento paisagístico e perceber de que território estamos a falar, isso ficará para quando o terramoto voltar a Lisboa ou quando surgir algum Duarte Pacheco.

Mais um Hotel irá nascer e o resto nada interessa.
Não são portugueses que irão viver para a Baixa, como acontecia há cem anos atrás.

Que se indignem os antropólogos e sociólogos...

Não avalizamos esta gestão.

Anónimo disse...

Pois é... mas nós temos um coliseu em muito melhores condições do que o de Roma!

Pedro de Souza disse...

E no final de tudo isso vão destruir a vivenda La Gondola para construir a sede do Montepio, mais uma despesas sumptuária com a fortaleza neofascista da CGD, para depois os portugueses pagarem, no dia em que essa porcaioa do Montepio falir, como todos os outros bancos portugueses.

Anónimo disse...

A culpa é de quem gere a página Excel onde vê entrar os cobres dos projectos, das licenças de habitação, das taxas e sobretaxa, coimas e afins. A cml deve estar cheiinha de dinheiro e ainda bem. Já podia pagar uma formação ao pessoal que aprova projectos para que tivessem sensibilidade e cultura. Quimeras...

Julio Amorim disse...

O Palácio Baldaia (que de restauro nada tem) ficou uma vergonha. O pouquíssimo de valor que temos em Benfica (!), está entregue a incompetentes totais na tal ausente matéria de conservação e restauro. Mas cidade fora é quase sempre o mesmo resultado.

Anónimo disse...

Tenho pena que com tanto dinheiro a entrar no erário camarário - licenças de construção, de habitação, coimas, taxas de esgoto, de protecção civil, etctcetc, não se cative uma parte para formar quem licencia os disparates e formá-los em sensibilidade, cultura, bom sens, de modo a que o que sobra não desapareça. Antes dos estrangeiros havia lisboetas! Como eu que ando cá há 60 anos. Sonhemos...

Anónimo disse...

Despedimento coletivo do Casino Estoril de 2010, ainda nos tribunais e que não se investiga se nesta trama existe traficância de influências, com alguma corrupção, porque segundo parece nas providências cautelares alguém da justiça tem casa nova paga por offshores, sindicalista que abandona o caso com indemnização muito alta do Casino e com emprego na câmara de cascais e mais advogado do sindicato que em 2011 abre o maior gabinete de advocacia no montijo, mas que não é capaz de defender os seus associados,por fim sindicato que fecha os olhos a tudo isto prejudicando todos eles a verdade do despedimento coletivo de centenas de pessoas no fundo centenas de famílias .

Anónimo disse...


Excelente levantamento da grande destruição da cidade de Lisboa da nossa identidade, PARA SEMPRE ||
Os vandalismo dos novos vândalos é bem mais grave da dos antigos.
Que propõem agora os partidos nas eleições autárquicas ??
Devem ser forçados a responder.

Anónimo disse...

triste sina a nossa

Anónimo disse...

E as grades das janelas do rés-do-chão do palácio Baldaia? Foi um ar que se lhes deu...

Marco Alves disse...

Acrescente-se que muitas das operações de destruição selvagem destes palácios têm a assinatura dos nossos mais "afamados" e "premiados" arquitectos. Chamam-lhe "reabilitação urbana" e parece que as revistas de arquitectura gostam muito.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Obrigado a todos pela reacção ao post.

Há que tentar um artigo de opinião. Veremos.