...

...

30/05/2017

Demolições no Largo Camões/denúncia


Chegado por e-mail:

«Bom dia,
Venho por este meio alertar para a demolição que está a existir no soalho no imóvel situado na Rua do Loreto nº. 2, 4, 6 e 8, Lisboa. Indaguei as obras, disseram que se encontravam a fazer inspecções,
Obrigada,
Carolina Nunes da Silva»

Hilariante e mesmo ofensivo * o RELATÓRIO (?) da comissão de cultura da AML sobre a petição dos moradores de Alfama contra o projecto do Museu Judaico:


* Devem julgar que as pessoas são parvas - não, não é verdade que os autores da petição a tenham feito por pensarem estar em risco os santos populares... e não, não é verdade que a volumetria e a estética do projecto não sejam intrusivas e não quebrem o equilíbrio urbanístico do Largo de São Miguel.

Era uma vez um Palácio chamado de Rio Maior (Anunciada) #2


Fotos do 2º edifício, colado ao Atheneu, que já era, aliás:

S.O.S. Atelier-oficina Pró-Arte de Ricardo Leone (R. Escola Politécnica, 227-229) - Apelo à CML para acordar urgentemente c/ MC/DGPC a passagem da tutela para a autarquia


Exmo. Senhor Presidente
Dr. Fernando Medina,
Exma. Senhora Vereadora
Dra. Catarina Vaz Pinto


C.c. Comissão AR, MC, DGPC, AML e media

Constatado o estado de abandono a que a DGPC e o Ministério da Cultura têm votado o antigo atelier de Ricardo Leone, de cuja tutela são titulares; com evidentes sinais de mau estado de conservação e, pior, sem que se vislumbre qualquer projecto ou intenção de o reabilitarem nem dele darem conhecimento e usufruto à população, que o merece;

Entendimento reforçado pela completa inexistência de qualquer reacção ou resposta daquelas entidades aos nossos alertas de 2014 (http://cidadanialx.blogspot.pt/2014/12/pedido-de-ponto-de-situacao-dgpc-sobre.html) e 2016 (http://cidadanialx.blogspot.pt/2016/07/sos-atelier-oficina-pro-arte-de-ricardo.html);

E porque continuamos a crer que a existência daquele antigo Atelier-Oficina Pró-Arte de Ricardo Leone, na antiga Real Fábrica das Sedas, na Rua da Escola Politécnica, nº 227-229, é passível de ser recuperado, dignificado e objecto de um projecto museográfico (incluindo o pequeno jardim) compatível com os pergaminhos da “Oficina de Vitrais e Mosaicos de Arte” de Ricardo Leone (1891-1971), assente numa inventariação fidedigna, na instalação de segurança anti-roubo e na disponibilização de conteúdos online (por ex.) sobre a obra produzida por Leone, divulgando-o e permitindo o seu usufruto por todos os interessados, inclusivamente pelos profissionais da arte do vitral;

Solicitamos a V. Exas. que contactem o Senhor Ministro da Cultura, a fim de, à semelhança do que se passou com o Arco da Rua Augusta, seja negociada a passagem para a Autarquia da tutela do atelier e do legado de Ricardo Leone, e com ela nos possamos do espaço e a memória e a obra sejam por todos conhecidas.

Com os melhores cumprimentos


Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Júlio Amorim, Fátima Castanheira, Carlos Moura-Carvalho, Ana Alves de Sousa, Fernando Jorge, Miguel de Sepúlveda Velloso

Era uma vez um Palácio chamado de Rio Maior (Anunciada) #1


Fotos do palácio principal, de que restam, creio, o hall de entrada, a escadaria, os 2 salões: