Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

18/10/2017

Oxalá tenham tratado bem todas aquelas magníficas tipuanas ...


In O Corvo, por Sofia Cristino:

«Novo largo junto ao Fonte Nova atrai várias gerações, mas piso “cinzento” é criticado

O parque de estacionamento ao lado do centro comercial foi reduzido a um terço, dando lugar ao novo espaço de lazer e convívio. A requalificação da Alameda Manuel Ricardo Espírito Santo, integrada no programa municipal Uma Praça em Cada Bairro, está a atrair mais jovens e famílias, que ali encontram um lugar para andar de bicicleta e de skate, ler um livro e, no caso dos mais novos, até tomar banho nos repuxos. As gerações mais antigas, que já fazem parte da história do Fonte Nova, em vez de se sentarem dentro do centro comercial, podem agora conviver ao ar livre. Mas também há quem não veja nenhuma mais-valia na intervenção, criticando o surgimento de mais uma praça de “pedra e cimento”. “Isto está muito cinzento”, queixam-se alguns. E não faltam também os reparos à constante falta de limpeza do espaço público. [...]»

2 comentários:

Vítor disse...

Há muita falta de espaços verdes e árvores. E, sobretudo, ficou por resolver o maior problema de todos: o ruído que provém da 2ª circular.
Há toda uma parte que poderia e deveria ter sido arranjada para minimizar os efeitos nefastos do ruído, pois não é nada agradável estar a gramar aquele ruído.
Faltam barreiras acústicas: árvores grandes, arbustos, painéis e elevações de terreno(como foi feito em Carnide na avenida Condes de Carnide).

Anónimo disse...

Portanto, retirou-se o estacionamento sem providenciar qualquer alternativa ao mesmo, prejudicando os moradores das zonas envolventes e sobretudo o espaço comercial adjacente que já vinha atordoado desde a abertura do colombo. Provavelmente terá sido aqui a sentença de morte do Fonte Nova.
Depois, aquela que seria a mais valia dada pela CML para a realização das obras, temos uma praça de pedra lisa cinzenta, arrancaram-se arvores, e não há equipamentos para que as pessoas possam usufruir do espaço.
Enfim, uma vergonha, a unica coisa que se fez foi arruinar um CC ja com uns bons anos de historia, retirar estacionamento numa zona carenciada do mesmo, arrancar umas arvores porque ja existem muitas em Lisboa, e com isto gastar uma bela pipa de massa.