...

...

17/04/2017

Chama-se autenti[cidade]...!


".....uma cidade “rica em coisas subtis, graciosas e bem feitas, da comida, aos objectos e aos edifícios” não pode deixar-se inundar por produtos indiferenciados, de marcas que existem por todo o lado. É preciso evitar o que aconteceu com outras cidades, diz, e conseguir ter esta vitalidade “mantendo as coisas que a tornaram tão atractiva”.

in Público, 2017-04-17


5 comentários:

Ávila disse...

Aposto que quando instalaram esses lindíssimos anúncios luminosos, lá pelos anos 80, houve um "blog" cidadania qq coisa a vomitar cobras e lagartos.

Anónimo disse...

Nem mais, Ávila. Já para não falar dos que enfeitavam o Rossio de forma feérica e que tanto fazem suspirar os escribas cá do burgo.

Julio Amorim disse...

Anos 80 ????
Só reparou mesmo no luminoso que apregoa uma pequena loja de ferragens onde a população local ainda pode comprar uma dúzia de pregos avulsos ?

Anónimo disse...

"Lindíssimos", Ávila? Então quer dizer que devem ser mantidos? Fico contente por finalmente se juntar aos que não querem Lisboa cheia de franchisings e lojas trendis...

Duque disse...

Vomitar cobras e lagartos?
Lá está, até para criticar quem critica é preciso um bocadinho mais do que isso.
Uma vez mastigados juntamente com saliva passam a chamar-se "bolo alimentar", mas para si basta dizer que é uma papa mole.
Ora, se vomitados...papa mole são.

Cumprimentos