27/11/2007

Juntaram-se na Ginjinha do Rossio para lançar críticas à ASAE

In Público (27/11/2007)
Ana Henriques

«Uma vintena de jovens ligados a associações culturais que os próprios qualificam de underground juntaram-se ontem ao final do dia em redor da Ginjinha do Rossio, estabelecimento temporariamente encerrado pela Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) para limpeza e pequenas obras.
"Agradecemos que nos defendam da falta de higiene, mas fundamentalismo também não", dizia uma das jovens que ali marcaram posição contra aquele organismo. Um panfleto distribuído pelos jovens ligados às associações Crew Hassan e Bacalhoeiro, sediadas na Baixa, acusava a ASAE de fechar não apenas estabelecimentos, mas também tradições: "Ataca o pitoresco, acolhedor, regional e nacional em favor dos grandes grupos frios, impessoais e internacionais."
As autoridades mandaram suspender a actividade da Ginjinha do Rossio depois de ali terem deparado com "falta de condições de higiene": havia sujidade não só nos tectos mas também atrás do balcão e no chão. Além de tudo limpo, os inspectores querem que seja instalada água quente no estabelecimento, para lavar os copos, sanitários para os empregados e um lava-mãos à entrada.
Quando saíram levaram garrafas da bebida à base de ginja, não por apreciarem o produto, mas porque as vasilhas não se encontravam rotuladas. O seu conteúdo está agora a ser analisado.
Quando tiverem tudo pronto, o que deverá acontecer entre hoje e amanhã, os proprietários do estabelecimento pedirão nova inspecção.
Nessa altura se verá se, como dizem os jovens underground, o sabor da ginja servida na taberna se terá transformado em sabor a plástico. Ou se continua a servir para manter a saúde, como rezam os versos nos velhos azulejos da casa: "Dona Fedúncia da Costa/ delambida e magrizela/ fez de ser tola uma aposta/ diz que ginginha nem vê-la/ porque coitada não gosta// O irmão que sabe a virtude/ d"esta divina ambrosia/ é gordo como um almude/ bebe seis copos por dia/ por isso goza de saúde."
Além da Ginjinha, foi também encerrada a Sacristia, uma tasquinha ao lado da Igreja de São Domingos.
A Ginjinha do Rossio foi um dos locais visitados por António Costa durante a campanha para a câmara. E ali mesmo houve episódio: quando o candidato e comitiva se deliciavam com a típica bebida, eis que entrou em cena um reformado: "O Sócrates não presta, quer ver-se livre de si. O senhor é que devia ser primeiro-ministro."»

5 comentários:

A Vilhena disse...

Ainda se lembram de quando, muito preocupada com o nosso bem estar e a nossa boa forma física, a Dinamarca propôs a pasteurização das massas queijeiras?
Santa ingenuidade...!!!

Anónimo disse...

Se a questão é higiene ou de vender gato por lebre então a ASAE tem de fechar o governo.
Aonde chega a estupidez e o fundamentalismo.
Este país não tem emenda! Continuamos a matar a galinha dos ovos de ouro.
Peçam a demissão do Director da ASAE para a rua, com petição!

Anónimo disse...

Meus Deus, como vai este povo, o estabelicimento foi FECHADO por falta de HIGIENE !!!!!!!!

Perceberam falta de HIGIENE.

Apenas quem criticou foi meia duzia de miudos,do BE, quem não sabem o que isso quer dizer.

Naturalmente quando reabrir muita gente vai ficar satisfeita pela limpeza.

Obrigado ASAE

(Morador da BAIXA )

vm disse...

Que dizer dessa de "os miudos do BE não saberem o que isso quer dizer", referindo-se a higiene. Será que os porcos são todos do BE? Ou todas as pessoas do BE são porcas?
Que tristes conclusões! Há porcos por todo o lado sem ter a ver com os patidos ou estatutos sociais.

Aproveito para dizer que não se devem confundir alhos com bugalhos. E tudo o que não cumpre regras de higiene, quer seja a Ginginha ou a Sacristia ou o Gambrinus deve ser fechado. No que toca a retretes do melhor ao pior restaurante a higiene deixa muito a desejar. Há que fiscalizar e cumprir e fazer cumprir o que está determinado. Se dantes não fechavam tantas coisas era porque muitos dos fiscais recebiam luvas para fecharem os olhos.

O que me preocupa é o que vamos perder à conte de tudo isto por imposição da UE: muitas das coisas que falava o António Barreto no Público na semana passada.
Falta de higiene e de segurança: tudo fechado.

Anónimo disse...

Aprender rápido:
http://br.youtube.com/watch?v=8uaFeXKJzgI

Esta a unica resposta:
(fantastica a parte onde se pede "toda a gente agora"
http://br.youtube.com/watch?v=hLHylaVXbho