NÃO PERCA:

NÃO PERCA:

18/05/2009

António Costa desceu Alfama, um bairro típico onde não há travões na língua

In Público (16/5/2009)
Ana Henriques


«Presidente da junta acusado de passar a noite nas tabernas, presidente da câmara ameaçado por octogenária de "levar com uma coisa nas costas"


Uma comitiva engravatada a atravessar as vielas do bairro é coisa que não impressiona as gentes de Alfama. Que o diga o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, que ontem ouviu de tudo um pouco ao descer das Portas do Sol até ao Largo do Chafariz de Dentro. Pretexto da visita: mostrar obras de reabilitação do casario paradas há anos e prometer o seu recomeço, com muitas críticas pelo meio aos antecessores. Resultado prático: ficou a saber que de promessas está Alfama cheia e que o bairro padece de vários problemas, seja a falta de passadeiras para peões junto ao Museu do Fado, seja a inexplicável secura do dito chafariz.
Fosse esta descida à cidade real uma tomada de pulso à cidade e não haveria motivo para regozijos de maior. A par das palmadinhas nos ombros, António Costa teve de ouvir descontentamentos vários. "O autocarro dos pobres tem os degraus muito altos e não consigo subir." A octogenária de xaile negro só pede um estrado que possa evitar mais mazelas nos corpos frágeis dos que são obrigados a recorrer ao serviço Lisboa Porta-a-Porta, por a reforma mal dar para a farmácia, quanto mais para táxis. De repente, muda de registo: "Veja lá se também não tem que levar com uma coisa nas costas..."
Fato-macaco enfarruscado e capacete de mota na mão, há um rapaz à espera que a idosa se cale para se fazer ouvir: "Moro num prédio a cair." O bairro atrás dele é um campo de guerrilha política, com cartazes postos pela câmara nas casas moribundas a acusar o PSD e a assembleia municipal de lhe bloquearem a acção. Apesar de não ter havido grande dinheiro para obras, não faltou para pôr propaganda em todas as esquinas. E ninguém na autarquia se descose sobre quanto custaram os cartazes ao erário público. Os sociais-democratas já garantiram que não entravarão o empréstimo de 120 milhões que permitirá retomar as obras que a autarquia deixou a meio em 2002 e 2003, ou mesmo antes. Fá-lo-ão é com todos os vagares, de modo a que o rival socialista não tenha obra para apresentar quando for a votos.
Quando deitou mãos a muitas destas empreitadas, há sete anos, o então presidente da câmara, Santana Lopes, substituiu-se em vários casos aos senhorios, a título coercivo. Os habitantes foram realojados a expensas do município, muitas vezes fora do bairro, que foi perdendo gente. "Tenho 69 anos e nunca vi Alfama tão deserta", atira uma mulher de casaco rosa. António Costa tenta unir a sua voz à dela, mas é tarde demais: o discurso de indignação que esboça já não cola com o quase ano e meio que leva à frente da cidade. Bem tenta explicar que as negociações do tal empréstimo com a banca, "duríssimas", consumiram mais de um ano. Mas o bairro continua a cair aos bocados, e os habitantes que restam acham pouco romântico ver as estrelas todas as noites em casa sem ser pela janela.
O vereador Sá Fernandes puxa dos galões: a limpeza das ruas melhorou desde que é da sua responsabilidade. "E quer que lhe dê uma medalha? Faz parte das suas obrigações!", responde-lhe, lesta, a comunista que dirige a Junta de Sto. Estêvão. Conhece bem muitas das caras com quem se cruza o homem rotundo e vermelhusco que guia a comitiva, não fosse ele o presidente da Junta de S. Miguel, habituado a ter de resolver os pequenos problemas do dia-a-dia da população. Junto à Travessa do Terreiro do Trigo surge-lhe pela frente um desses casos, uma mulher com problemas na casa onde mora. Diz que não há meio de o autarca lhe solucionar a questão. Fala num tom em que todos possam ouvir, que os segredos de Alfama nem sempre são em sussurro: "Ele quer é copos de vinho à noite na taberna!"
A comitiva volta aos corredores limpos da câmara, onde só se vêem as estrelas pela janela. Os habitantes de Alfama, esses, prosseguem a sua vida como podem, que os santos populares estão quase aí.»

6 comentários:

Anónimo disse...

Que não lhes doa a língua. Esta cml é um monstro adormecido, um monte de imobilismo e faz-de-conta.

E o Zé. Que não faz nada.

Como eles conseguiram enganar tanta gente...

Anónimo disse...

É caso para se dizer ... "quem se mete com o zé, leva".
Continuo a achar que nesta altura do campeonato este pedido de empréstimo vai dominar a agenda política até às eleições e vai desculpar muita coisa que vai ficar pendurada ...
Luís R.

A.lourenço disse...

Esta onda de recomeçar a reabilitação,nesta altura, cheira a campanha eleitoral por todos os lados. Telas e mais telas.É vergonhoso o que aqui se passa. Alfama é um dos bairros históricos mais visitados por turistas, tem gente a viver lá, que são a sua alma, tem tudo para ser um sitio lindíssimo e um ex-libris da cidade. Mas foi e é tão maltratada. Uma péssima recolha de lixo, falta de reabilitação urbana, obras paradas há anos, obras concluídas em prédios camarários sem ninguém dentro, uma desertificação imposta, um terminal de cruzeiros que querem impor ao bairro…
Estes senhores deviam era de ter vergonha de entrar em Alfama.

Xico205 disse...

Ninguem lhe tirou uma foto no Beco da Bicha como fizeram ao Paulo Portas?=D

Anónimo disse...

essa foi de mau gosto.

Xico205 disse...

Mas foi muito popular na net. Fartei-me de receber mails com essa imagem e de ver em foruns, etc...