02/05/2014

Ora aqui está uma reposição justa...


Mas que, claro, deixa uma pergunta sem resposta: como foi possível autorizar o acoplado sendo o palacete classificado já então? Pois. Anúncio n.º 103/2014. D.R. n.º 84, Série II de 2014-05-02 Presidência do Conselho de Ministros - Direção-Geral do Património Cultural.Abertura do procedimento de desclassificação do «Edifício na Avenida 5 de Outubro, esquina com a Avenida do Duque de Ávila», em Lisboa, freguesia das Avenidas Novas, concelho e distrito de Lisboa: http://dre.pt/pdf2sdip/2014/05/084000000/1156911569.pdf

6 comentários:

Anónimo disse...

Tráfico de Influências? PJ, onde está? Procuradoria Geral da República? Não é difícil sustentar que o edifício devesse ser e manter-se protegido. Quais os argumentos para a desclassificação? São facilmente desmontáveis.
Quantas grândolas têm de existir até que nos possamos chamar sociedade civilizada sem corrupção?

Anónimo disse...

Que horror, como é possível?

Pedro disse...

Medonho! Em Paris, uma das cidades mais bonitas e únicas no Mundo, não se fazem estas aberrações, mesmo tendo edifícios com apenas 3/4 andares na zonas mais caras.

Anónimo disse...

Tem a certeza disso Pedro? Veja bem em Paris, em plenos Campos Elisios : http://www.contemporist.com/photos/citroen_showroom_paris_01.jpg

Falar mal de Portugal e dizer bem dos outros está na moda.

Anónimo disse...

Foi no tempo do PSL...esta hem

Anónimo disse...

Não vale a pena, caro anónimo, o desporto aqui é o batido discurso da desgraça e da miséria, tudo o resto é irrelevante. Se este mesmo edifício do post fosse em Paris era provavelmente alvo de elogios.