17/06/2014

A vergonha não tem fim...

A vergonha de Manuel Salgado e da CML parece não ter fim à vista. Não bastava a demolição integral do interior destes edifícios que estavam num estado perfeito de conservação e que tinham um valor patrimonial mais do que evidente, como ainda têm o desplante de colocar estes acrescentos verdadeiramente aberrantes que ridicularizam e desrespeitam de forma abruta o edifício pré-existente. Ninguém percebe que a cidade só perde com este tipo de intervenções? Não existe sensibilidade patrimonial neste pais, ou estética ao menos?! 





Fotografias:
Rua Rosa Araújo, 16 (futuro hotel Vincci Sellection Lisboa); 
Rua Castilho 15 (edifício para habitação de luxo, pela esproperty)

10 comentários:

Anónimo disse...

Como é que estes fulanos destróiem uma cidade tão descaradamente?

Chega!

Anónimo disse...

Como é que estes fulanos destróiem uma cidade tão descaradamente?

Chega!

Julio Amorim disse...

Está a ficar demais mesmo....

Anónimo disse...

Eurupa.
lol.

Filipe Melo Sousa disse...

Vergonha é ter prédios a cair

Anónimo disse...

"Destróiem"?

Anónimo disse...

Vergonha é ter diariamente neste blog personagens como o FMS a debitar demagogia barata!

Anónimo disse...

UI, se era no tempo dos outros, o que bramavam oz zés agarrados ao tacho. Já tinham feito providÊncias cautelares e acções populares e queixinhas por todo o lado.

Anónimo disse...

Se o Filipe Melo de Sousa lesse o post percebia duas coisas. Primeiro, os edifícios estavam em bom estado de conservação interiormente, segundo o que está em causa aqui é a falta de qualidade do acrescento, que nada tem haver com o edifício pré-existente

Pedro disse...

Há algo que não entendo: Se os construtores/proprierários querem aumentar pisos aos edifícios, porque não copiam as fachadas antigas no edifício todo? Assim a disrupção não seria tão agressiva.
A moda é tão grave, que todos insistem no uso excessivo de vidro das fachadas dos pisos acrescentados.