Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

11/05/2018

E já começou a herança Manuel Salgado (2017-2021) #1


Prédio de gaveto da Avenida Almirante Reis com a Rua Febo Moniz, edifício de transição, com interiores neo-manuelinos. Começou a demolição, para dar lugar a mais um aborto. É o tal de "Eixo Prioritário da Almirante Reis". Fotos de Paulo Torres.

16 comentários:

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Mas não há maneira de parar esse senhor?

Denunciar em páginas de blogues e em FB, é chover no molhado.

é preciso que se organize e mobilize a opinião publcia para que exija, sem rodeios, uma outra escolha urbanística para a cidade de Lisboa

Anónimo disse...

Sem dúvida alguma.O urbanísmo de Lisboa não está em boas mãos.

Manuel Marques disse...

Isto é mau demais

Vasco disse...

Acho que é mais um problema de legislação do que do Salgado. Caso a lei permita fazer algo, o decisor ou empata a coisa através de algum processo burocrático ou autoriza. A câmara parece querer evitar o que acontecia no passado, onde as coisas não avançavam, mas depois iam parar a tribunal tendo a câmara de pagar quantias avultadas ao investidor.

Anónimo disse...

A legislação existe,muitas vezes feita bem à medida e tantas vezess completamente ignorada. Não tenho dúvidas que o grande problema está no decisor e na respetiva equipa de evidente má qualidade e de falta de escrúplos.

Anónimo disse...

Já lá vai o tempo em que a ampliação não poderia ser superior a 1/3 da preexistência (para os imóveis inventariados). Noutros tempos, bem diferentes efectivamente! Ainda o senhor Vereador Manuel Salgado, não tinha alterado o PDM, a seu belo prazer. Dois níveis de ampliação com um peso superior à preexistência! Lá se inverte a hierarquia, um verdadeiro descalabro!

Julio Amorim disse...

Seguindo as legislações a rigor não há que pagar um cêntimo de indemnizações a ninguém. Essa treta inventada para favorecer alguns, simplesmente não existe no Norte da Europa.

Vasco disse...

Tem de pagar porque em Portugal ha um constante aprova primeiro, depois não aprova, depois já volta a aprovar, etc.
Em Tribunal é fácil ganhar um caso desses. Pode é levar tempo porque a justiça é lenta. E não estou a defender este projecto, acho-o uma aberração.

Julio Amorim disse...

Parece-me então caro anónimo que o problema não está bem nas legislações....mas mais nas (in)competências de
quem com essas lida.

Anónimo disse...

O problema está sobretudo no decisor e na sua equipa, mas estará também na legislação que é feita à medida.

Anónimo disse...

Onde é que fica aquele artigo do PDM, em que não sendo posível alcançar o limiar da média da altura das fachadas, eram dados créditos ao promotor para construir onde não fosse lesivo?

Anónimo disse...

Eis o chamado bolo de noiva, com três andares!

Anónimo disse...

O edifício era inventariação? Digo era, pois com tal intervenção deixa de fazer sentido sê-lo! Já se percebe como o senhor Vereador Manuel Salgado pensa reduzir a famosa Carta Municipal do Património...

Mário disse...

o problema está na escolha que fazemos dos deputados. Enquanto tivermos de escolher deputados de forma indirecta ( apenas conhecidos dos partidos) estamos sujeitos a legislação feita no interesse de "patos bravos" aqui extensivos a todas as áreas económicas

Anónimo disse...

No mínimo dois pisos a mais e um degrau no bolo de noiva.

Anónimo disse...

Talvez seja o pior dos cabeçudos que vi até hoje. Andam aí na imprensa escandalizados por causa de torres nas picoas ou em campolide, mas quanto a estes trambolhos cabeçudos é o silêncio total.