Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

24/07/2018

Obras no claustro da Sé de Lisboa - novo pedido de reunião/esclarecimentos ao Cardeal Patriarca


Eminentíssimo Senhor Dom Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa


Como será do conhecimento de Vossa Eminência, tivemos ocasião de reunir passado dia 29 de Junho com o Reverendíssimo Senhor Cónego Tito Espinheira e com o sr. arq. Adalberto Dias, autor do projecto de reinterpretação do claustro da nossa Sé Patriarcal.

No entanto, ainda não foi possível estarmos esclarecidos quanto a alguns aspectos do projecto de arquitectura e da própria adjudicação da obra, pelo que solicitamos reunião urgente com Vossa Eminência, no sentido de os esclarecermos em definitivo.

Permita-nos que enumeremos os seguintes pontos:

* Abertura de vão na muralha da Rua das Cruzes, para acesso ao claustro, em detrimento do acesso natural, pela porta já existente do lado Norte.Eminentíssimo Senhor Dom Manuel Clemente, Cardeal-Patriarca de Lisboa.
* Insistência na destruição do cubelo existente para construção de nova escadaria decorada a azulejos espelhados, quando poderia ser perfeitamente coberta em pedra ou, melhor, ser uma escadaria em madeira e ferro (sugestão em anexo).
* Financiamento do projecto desenvolvido e da obra já feita entretanto, uma vez que a DGPC informa não ter tido o mesmo proveniência dos fundos 20/20, mas existir no local um cartaz indicando o contrário.
* Razões para não ter havido concurso público e apenas adjudicação directa do projecto e da obra.
* Insistência na destruição do cubelo existente para construção de nova escadaria decorada a azulejos espelhados, quando poderia ser perfeitamente coberta em pedra ou, melhor, ser uma escadaria em madeira e ferro (sugestão em anexo).
* Financiamento do projecto desenvolvido e da obra já feita entretanto, uma vez que a DGPC informa não ter tido o mesmo proveniência dos fundos 20/20, mas existir no local um cartaz indicando o contrário.
* Razões para não ter havido concurso público e apenas adjudicação directa do projecto e da obra.

Com os melhores e respeitosos cumprimentos


Miguel de Sepúlveda Velloso, Pedro Cassiano Neves, Paulo Ferrero, Júlio Amorim, Bernardo Ferreira de Carvalho

2 comentários:

Anónimo disse...


Muito bem!

Não fujan às questões colocadas.

Anónimo disse...


Este projecto constitui um grave atentado ao património do País, e da Igreja Católica.