...

...

19/01/2017

Reabilitação ou comercialização de 30 monumentos nacionais?


Artigo de Maria Ramalho (Presidente do ICOMOS Portugal), in Público (19.1.2017)

Versão online em https://www.publico.pt/2017/01/19/culturaipsilon/noticia/reabilitacao-ou-comercializacao-de-30-monumentos-nacionais-1758755

2 comentários:

João Barreta disse...

Já há muito que ambas (a reabilitação e a comercialização) se confundem.
Não se reabilita sem se comercializar e não se comercializa sem se reabilitar.
E é neste impasse que navegam (e por vezes se afundam) as decisões de Governos, Administrações locais, proprietários, e não só!

Julio Amorim disse...

Concordo com o que se escreve neste artigo. Infelizmente o tom moderado do discurso (que se vai repetindo ao longo dos anos), será facilmente cilindrado enquanto a gestão do património nacional seja assente em (pre)conceitos económicos. Vamos continuar a navegar em águas brandas e, daqui a uns trinta anos, vamos ler um outro artigo muito parecido. Sinceramente, o conteúdo das cartas internacionais de conservação e restauro (assinadas também pelas autoridades deste país), são tinta preta em papel branco....e nada mais.