...

...

13/07/2015

Estação de Sul e Sueste, obra de Cottinelli Telmo, “corre risco de ruína”


In O Corvo (13.7.2015)
Por Fernanda Ribeiro

«Uma das mais emblemáticas obras do arquitecto Cottinelli Telmo, a antiga Estação Fluvial de Sul e Sueste, está ao abandono, mesmo em frente ao Ministério das Finanças, ao lado do Terreiro do Paço. Chegou a haver projecto de recuperação adjudicado e dinheiro para realizar a obra, cuja interrupção custou mais de 900 mil euros ao erário público. Mas, agora, ninguém parece estar interessado no seu destino. Que, se nada for feito, pode ser a ruína.

A antiga Estação Fluvial de Sul e Sueste, um edifício emblemático da arquitectura modernista e uma das obras de Cottinelli Telmo, a quem este ano foi dedicada uma exposição no Padrão dos Descobrimentos, é “uma pedra no sapato” para todos os responsáveis pelo património da cidade de Lisboa. Quem o afirma é a arquitecta Ana Costa, neta de Cottinelli Telmo e a quem foi pedido um projecto de reabilitação nunca concretizado.

Classificada monumento de interesse público em 2012, num momento em que estava já votada ao abandono, a estação fluvial onde antigamente se apanhavam os barcos para o Barreiro, rumo ao Sul, permanece sem utilização, há vários anos. Está cada vez mais degradada, apesar de se situar na zona nobre de Lisboa, mesmo em frente ao Ministério das Finanças e bem perto da Ribeira das Naus, com a qual contrasta, após a requalificação promovida pela autarquia lisboeta.

As fachadas da antiga estação foram recentemente pintadas de branco, mas os sinais de degradação continuam à vista, seja nas platibandas apodrecidas, seja nos vidros partidos que deixam ver partes do interior, com andaimes montados e agora despojado das decorações de outrora – entre elas, os azulejos polícromos que revestiam as suas paredes. [...]»

5 comentários:

Anónimo disse...

Pareceu-me que houve gente toda contente por ali se terem desperdiçado (no caso, nem se pode dizer "gasto") uns baldes de tinta, ou estarei equivocado?

Paulo Ferrero disse...

Houve mesmo gente contente, sim, comigo à cabeça :-), caro "anónimo" ;-)

Anónimo disse...

Por acaso, apenas me lembrava do post e não da respectiva autoria.

E só escrevi o comentário das 2:34 porque já cá ando há muito tempo e sei como as coisas funcionam. Só embandeiro em arco no fim do jogo...

Jorge disse...

mandem isso abaixo e deixem ver o rio que é bem melhor.

Anónimo disse...

Pois claro. E não se construa nenhum terminal de cruzeiros, que ver o rio é que é bom. E mesmo aqueles paquetes todos atracados só tiram a vista para o rio. Não há direito.