...

...

19/07/2015

Em Nápoles. ao que parece, as palmeiras são tratadas


 Em Lisboa não. Porquê? E antes de se começar a falar de dinheiro, adianto que Nápoles não é uma cidade rica.

6 comentários:

Anónimo disse...

Impossível! O zé garantiu-me que este fenómeno assolou a região Mediterrânica inteira!

Anónimo disse...

Então mas isto é uma notícia? Amanhã vou tirar umas fotografias às palmeiras da avenida e dizer que Lisboa está a tratar palmeiras.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

ao anónimo das 1:17

Sim para mim é. Quando vivo numa cidade que diz que nada pode fazer, que o dinheiro n existe e por isso palmeiras adeus (e n é verdade que as da Avenida estejam a ser tratadas, tenho fotografias que mostram o contrário), ver que noutra em vários jardins elas estão a sê-lo, sim, é uma notícia. É que em Lisboa gosta-se muito da atitude "não há nada a fazer".

é reconfortante ver que noutros lados não é assim. Mesmo em Nápoles

Anónimo disse...

Em Lisboa gosta-se muito da atitude "Não há nada a fazer", mas ainda se gosta mais da atitude "nunca fazem nada". Falar sobre exemplos de sucesso dentro de Lisboa, que os há, já é mais difícil. É preciso ir a Nápoles. Aliás, já anteriormente se viram aqui posts sobre essa cidade, como se a mesma fosse um exemplo de salubridade, transparência e civismo!

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Exemplos de sucesso dentro de Lisboa:

- ribeiro das Naus

- percurso Baixa- Castelo

- algumas reabilitações

- reabilitação do Terreiro do Paço

- Terraços do Carmo

- Rede do metropolitano

O autor anónimo pode acrescentar

exemplos péssimos de Lisboa

- mais de 30 palácios históricos a cair e/ou abandonados

- abates e podas selvagens por toda a cidade

- noite de Lisboa

- sujidade

- absoluta banalização e destruição de todas as avenidas novas e bairro Barata Salgueiro

- destruição sistemática do património da viragem de séculos

- destruição de prédios pombalinos

- estado de abandono dos jardins de Lisboa

- chafarizes

- publicidade selvagem e em excesso

o atento e optimista anónimo pode continuar.

O "nada a fazer é uma aititude", o "nunca fazem nada" nunca foi para aqui chamado.

As cidades aparecerão todas as vezes que se justificar. Agradeço ao anónimo o acompanhamento que faz dos posts publicados.

O facto de Nápoles, na opiinião do sr. anónimo, não ser flor que se cheire, não invalida que em algumas coias faz mais e melhor do que Lisboa. Aliás, muito do património riquissímo de Nápoles está agora a ser recuperado com critério. (O mesmo não se pode dizer da "meca" que nos vendem como turísitca.).

E dele faz parte o botãnico. Em Lisboa é o contrário. Basta ver o que se faz a alguns dos prédios históricos e ao arvoredo da cidade (o anónimo deve ter aplaudio as intervenções na Guerra Junqueiro, na Praça da Alegria, na Visconde Valmor, na Conde Valbom). Tudo arrasado e abatido.

Os males de Lisboa são muitos e variados. Muitos, agravados pelo péssimo desempneho dos vários executivos camarários e pela aquiescência de muitos lisboetas. E isso é um facto, queira ouy não queira o senhor anónimo.

Anónimo disse...

Os exemplos de scesso que aponta foram todos arrasados sem dó nem piedade neste blog, seja sob a égide do "fizeram isto e não fizeram aquilo" seja sob a lei do "tanta coisa que deviam ter feito antes disso". O vício de abater, porque é de um vício que se trata, não é só da CML. E para alguns é mesmo um estilo de vida. Triste vida essa, por sinal, a de olhar para uma roupa por passar a ferro e dedicar um post a cada ruga, mesmo se antes nem roupa havia.