...

...

31/03/2016

Hoje foi o último dia da DROGARIA S. PEREIRA LEÃO


14 comentários:

JOÃO BARRETA disse...

Quando há 20 anos se falou em “trabalhar” as Baixas/Centros Históricos das principais cidades do País como “centros comerciais a céu aberto”, apostar no planeamento/ordenamento comercial e na gestão de centros urbanos, era também tudo isto que se pretendia evitar.
Ainda não será tarde, mas já vai faltando … o … tempo.
Para quem realmente se interesse pelo tema, consultem os estudos feitos há mais de uma década e meia, por uma equipa da Universidade Nova de Lisboa, dos tempos da "velha" Direção Municipal de Abastecimentos e Consumo (DMAC) da CM Lisboa, que já propunham a adoção de um modelo de gestão para a Baixa ou então leiam o estudo que serviu de base à criação da extinta Agência para a promoção da Baixa-Chiado (ABC). Às tantas já sabemos toda a teoria, mas a prática, essa, nem vê-la!!!

FJorge disse...

Obrigado João Barreta pelos seus comentários; de facto no nosso país - na nossa capital - raramente se dá continuidade aos estudos e planos... de cada vez que entra um novo executivo municipal ou governamental,a vontade de protagonismo leva a repetidas e nervosas mudanças de política... ou a ausência de políticas como é o caso deste tema. O Turismo está "à solta na cidade" e o resultado será desastroso.

Anónimo disse...

Desastroso foram as rendas congeladas durante 100 anos.

Anónimo disse...

Em breve será criado um blogue a gozar com a situação das rendas congeladas em Lisboa. Em português e inglês. Tanto o cidadanialx como o corvo serão alvos de chacota.

Filipe Melo Sousa disse...

Assim só a avaliar pela foto a minha estimativa é: 12€ de renda

Anónimo disse...

O 11:15 deve ser um dos moços que vive numa casa com renda de 10€ ou parecido.

Fosse o artista senhorio e queria ver se a conversa seria igual.

Anónimo disse...

O argumento final por aqui é sempre o mesmo: "você deve ser um deles". Ao nível da escola primária.

Anónimo disse...

Pois será da "escola primária", mas isso é para ver se alguns entendem.

Responda-me, e se fosse senhorio, o que diria? Se calhar não consegue...

Anónimo disse...

Não sou senhorio, sou inquilino. Não é por ser senhorio que tenho de argumentar como se me estivesse a dirigir a criancinhas.

Vasco disse...

Há uma coisa que não entendo no cidadanialx. Por um lado estão preocupados com o edificado em ruínas por toda a cidade. Pelo outro, não se parecem preocupar com as rendas congeladas. Não é uma contradição? Compreendo que certas lojas emblemáticas devam ter algum tipo de apoio, mas isso deveria ser feito pela CML, e não pelos donos dos prédios. Actualmente os senhorios vivem numa espécie de neo-comunismo do imobiliário.

Anónimo disse...

Bem me parecia que não responderia...

Mas já estava à espera.

Fico-me por aqui.

Anónimo disse...

Mas o que quer que responda? Que pago 780€ por um t3 por mês e sinto-me um afortunado porque me pedem mais do que isso para morar na ameixoeira e na picheleira? E se fosse senhorio, que queria que dissesse? Que rendas congeladas durante 100 anos são um desastre? Que os proprietários foram uma espécie de santa casa durante gerações? Que o edificado está podre por isso mesmo?

Anónimo disse...

Pois, muitas estão podres por rendas como a sua. O senhorio não tem como remodelar, e não tendo, é ficar a ver o seu o seu património a desmoronar-se sem nada poder fazer.

E sim, os senhorios hoje são desde a Seg. Social à Santa Casa, pois têm que sustentar todas as situações que se lhes deparam.

Mas agora fico-me mesmo por aqui.

Anónimo disse...

"Muitas estão podres por rendas como a sua"

??!?!?