...

...

30/03/2016

NY TIMES: «tuk-tuks, uma praga como a dos pombos»

















LISBON — Residents of this port city of faded beauty and ornately tiled facades have welcomed a surge of tourists in recent years who have helped turn around its economic slide.

But the foreign visitors, they will tell you, have also come with their share of trade-offs. Rapid redevelopment, spurred by tax breaks granted to foreign property buyers, has driven up rents and widened disparities. Streets are more crowded, the traffic worse.
And then, there is the tuk-tuk.

In just a couple of years, about 300 of the motorized, three-wheel vehicles have swarmed Lisbon’s narrow cobblestone streets, offering tourists an alternate way of navigating this hilly city, famous, too, for its network of trams and funiculars.
While visitors have flocked to the tuk-tuk, those who live in this city of about 550,000 have begun to fume about pollution, noisier streets and a verging “quality of living problem,” according to Miguel Gaspar, a Portuguese transportation consultant.
“The growth of the tuk-tuks has been such that they’re even being sold to tourists as something typical of Lisbon, which really isn’t true,” he said. “They’re now like pigeons, just everywhere.” (in NY Times, 26 Outubro 2015)

Para ler o artigo completo:

http://mobile.nytimes.com/2015/10/27/world/europe/tuk-tuks-lisbon-portugal.html?referer=&_r=0

4 comentários:

Filipe Melo Sousa disse...

Porque motivo precisamos do NY para nos contar, traduzido em inglês, o que diz o Miguel Gaspar? É porque se um jornal com nome sonante publica, então é mesmo verdade?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Os tuk.tuks são o menor dos problemas de Lisboa.

São o elo mais fraco.

Pior: número do hotéis em incessante aumento, destruição de prédios de elevado valor patrimonial, nomeadamente, os da viragem de século, palácios aa abandono, jardins expectantes, calçada substituída em vários pontos da cidade, vida nocturna desregulada, autocarros de turismo em largos como o da Sé, no Bairro ALto, no Campo das Cebolas e mais um enorme, etc.

Sinceramente, a perseguição aos tuk-tuks é desviar a atenção do que é essencial.

Anónimo disse...

Os tuk tuks têm de ser elétricos dentro de algum tempo Excusam de postar artigos de há 6 meses para continuar a bater na tecla.

Anónimo disse...

Sabem o que dizem ?
Para defesa do ambiente façam de modo mais ecológico, como também na Indía, riquexós, a puxar pelos gémeos.
Será uma versão a adoptar em Lisboa e em Cascais, os turistas vão gostar.
Não têm de se deslocar para mais longe, para outros hemisférios, aqui na Europa podemos vivenciar esses ambientes.
Assim o A.C. já pode ir mais vezes a "Goa".