...

...

04/08/2016

Câmara de Lisboa proíbe alimentação de pombos. Organização Animal contesta e questiona município


A Câmara Municipal afixou cartazes que proíbem as pessoas de alimentar as aves e se alimentar pode pagar uma multa.

Pode ler o resto aqui no DN
...............................

Já o deveriam ter feito há muito tempo....

13 comentários:

Anónimo disse...

Ratos com asas, destruidores de património, propagadores de doenças e causadores de zonas insalubres!

Anónimo disse...

Finalmente a Câmara Municipal percebeu o problema dos pombos.

Este animal destrói com os seus dejectos edifícios em pedra (monumentos como os Jerónimos são prova disso), a pintura dos automóveis e ainda transmitem doenças.

Para além das "velhinhas" atirarem pão molhado pelas janelas de suas casas para a rua, etc, para os pombos comerem o que faz ainda mais sujidade.

Em Arroios/Anjos é uma prática corrente, e coitada da Igreja dos Anjos (foi limpa à pouco tempo e puseram arames para estes não pousarem no edifício), onde o jardim circundante é uma autêntica nojeira, com montes de pão seco/molhado pelo chão, milho, arroz... mais os dejectos dos muitos pombos que por ali andam e ai de quem se sente debaixo de uma árvore.

Quanto à Organização Animal que vá trabalhar, ou fazer algo mais produtivo do que não ver o verdadeiro problema do excesso de pombos em Lisboa.

Miguel

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

seria bom que essa associação pagasse os estragos que os pombinhos causam no edificado e nos monumentos da cidade.


Os pombos têm alimento que chegue. A prova é as sucessivas posturas durante todo o ano.

LuisY disse...

No geral, concordo com a medida. Todos nós conhecemos os problemas que esses bichos criam, como as infiltrações de águas nos prédios ao entupirem os algerozes, a corrosão da pintura dos automóveis e da pedra dos monumentos e casas antigas.

O problema é que quem dá de comer aos pombos são as pessoas mais desamparadas desta sociedade, os velhinhos, para quem aquelas aves são as únicas criaturas de Deus que ainda sentem a sua falta.

Já estou a ver os fiscais da câmara a multar os velhinhos desamparados, que vivem de reformas miseráveis, para cumprirem os objectivos traçados na avaliação de desempenho.

Talvez em vez de proibir fosse mais sensato fazer campanhas de sensibilização na TV, na rádio e com cartazes.

Um abraço

Julio Amorim disse...

Na minha rua nos idos anos 60 havia pardais o ano inteiro e, andorinhas a partir da primavera. Há anos que não vejo uma andorinha naquela rua. Pombos (ratos voadores!) é todos os dias e, poisados nas varandas e telhados à espera das refeições servidas pelos "amiguinhos dos animais". O mau cheiro, a sujidade e as pulgas que estas aves trazem consigo, é o presente que fica para o resto da vizinhança.
Umas boas coimas para esta gentinha são os meus sinceros desejos...

Maria disse...

Finalmente! Nao só devem proibir como devem multar aqueles que o continuam a fazer.
Os pombos nao só fazem estragos e porcaria, por todo o lado como também trazem doencas nao muito agradáveis!
bom fim de semana.

Anónimo disse...

Caro Luís Y, isso era se a televisão servisse para ensinar, mas como só serve para estupidificar com o lixo que por lá põem...

Miguel

LuisY disse...

Caro Miguel, infelizmente concordo consigo. A televisão pública bem que podia ter um papel numa eventual campanha cívica, que alertasse os cidadãos para os inconvenientes que resultam de alimentar os pombos, mas enfim gostam é de passar lixo e reportagens tontas

Pessoalmente, creio que as medidas realmente eficazes não passam por proibições, mas por campanhas de sensibilização.

Também o lixo todo que se acumula nos bairros velhos só serve para engordar mais os nossos amigos pombinhos. Aquela prática que a CML introduziu nalguns bairros Lisboetas, com os saquinhos para o lixo amarelos, azuis e pretos acabou por se tornar uma barafunda pegada e há sempre sempre sacos de lixo o dia inteiro rua, para grande gáudio dos pombos e dos ratos, estes últimos andam muito esquecidos de todos, mas continuam a proliferar por toda a Lisboa.

Um abraço

Anónimo disse...

em telheiras, junto à padaria portuguesa todos os dias é uma praga de pombos; vem para cima das pessoas que estão nas messas das esplanadas comer os bolos; concordo com a opinião que aponta o dedo aos ecopontos; estão sempre cheios, e por causa dos sem abrigo que remexem neles e deitam fora o lixo para o chão, os pombos surgem; resolvam o problema do lixo nas ruas.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro LuísY

A medida é certa e as campanhas de sensibilização poderão ajudar. Mas o que menos falta faz é dizer-se que se "diabolizam" os pombinhos, como essa associação afirma ter-se feito.

Cumprimentos,


Filipe Melo Sousa disse...

Sensibilizar é simples: um aviso para a pessoa apanhada a alimentar os pombos, e uma multa que vai subindo em caso de reincidência. Ninguém lucra com a presença desses animais.

Aqui na Holanda são as malvadas gaivotas perto do mar, em particular na zona do porto / mar. Esses animais astutos sabem despedaçar os sacos de lixo e ir buscar alimento. Felizmente que os pombos não têm tanta perícia. Basta por isso não deixar restos de comida no chão ou sacos de lixo abertos. Mas é o que eu sempre digo por aqui: não há contentores na baixa de Lisboa!!

Anónimo disse...

Que saudades Filipe.
Não disse mal do Blogue?
Fale sobre a Holanda.
Como vão resolvendo o problema do estacionamento?
Será que vai haver censura a esta conversa?

Filipe Melo Sousa disse...

O estacionamento aqui há mas é caro. No centro das cidades paga-se uma fortuna. O melhor é viver num sítio com garagem. Quanto aos transportes públicos: são maus como em qualquer sítio do mundo. Hoje por exemplo não há comboios em Haia por causa de uma avaria eléctrica: http://www.nu.nl/binnenland/4309375/treinverkeer-rond-haag-hs-ligt-paar-uur-plat-storing.html