...

...

16/08/2016

Apanhar o 28 às 10 da manhã



Ana Alves de Sousa

5 comentários:

Nuno Franco disse...

O eléctrico 28 deixou há muito de ser um transporte para os Lisboetas. Quem é que pode aguentar tempos infinitos à espera por um eléctrico e arriscar-se a não ter lugar? E os idosos aonde é que se sentam? Tornou-se uma situação insustentável, e é como que não existisse. As pessoas para ir à Graça vão no autocarro que vai para Sapadores.

MrX disse...

E o Hotel Mundial que é uma autêntica aberração em plena baixa de Lisboa...

Anónimo disse...

Só o HM? Existe ali mais dois ou três que precisavam urgentemente de uma visita do camartelo!

E por falar em aberrações: Para quando a requalificação da praça?

Mais concretamente o reperfilamento da placa central - que está pejada de barracas/obstáculos, desníveis e todo o tipo de quinquilharia obsoleta e deteriorada que nada ajuda, quer na circulação quer na usufruição da praça.

Já para não falar da necessidade de alargar a área pedonal que envolve a placa central e a implementação de novos acessos a partir da respectiva área que permitam chegar mais facilmente e com mais segurança à placa central.


https://www.google.pt/maps/@38.7150778,-9.1362716,3a,75y,5.72h,71.82t/data=!3m6!1e1!3m4!1sImVW-J14jMAmk0PKgQ4wbA!2e0!7i13312!8i6656!6m1!1e1

MrX disse...

Sim, toda a praça do Martim Moniz é horrorosa, não é digna do centro de uma capital europeia. Mas nutro um odiozinho de estimação pelo hotel Mundial. É como chegar ao Miradouro da Sra do Monte, há uma vista deslumbrante... e depois há o hotel Mundial

Vasco disse...

O hotel mundial é feio e foleiro representando o pior do pós-modernismo.