...

...

07/08/2016

Mais duas provas da (in) competência das Juntas de Freguesia em matéria de espaços verdes

Aspecto do jardim Botto Machado. Campos pelados, não porque sejam prados de sequeiro, mas porque a Junta de Freguesia não tem competência para a sua manutenção, nem vontade.

Aspecto do velho choupo junto ao miradouro de Santa Luzia, Alfama, Podou-se o tronco principal, mutilando a árvore para sempre

Aqui está, em toda a sua bestialidade, o belo trabalho feito

Sabe-se que, em grande medida, são as Juntas de Freguesia quem manda na cidade. Ávidas de protagonismo, exigem(aceitam competências para as quais, manifestamente não estão preparadas.

A gestão do arvoredo é um caso emblemático desse zelo apostólico que tomou conta de tantos presidentes de Juntas. Em toda a cidade assistimos a acções de abate, de rolagens, de podas assassinas, de puro abandono e de fomento da incúria.

Algumas Juntas de Freguesia têm sido as grandes responsáveis pelo estado calamitoso em que se encontram vários jardins e zonas verdes da capital. A título de exemplo: Torel, Miradouro de S. Pedro de Alcântara, de Santa Catarina, da Praça da Alegria, do Príncipe Real, de Santos, 9 de Abril, da Graça, toda a Avenida da Liberdade, das Amoreiras, do Campo das Cebolas, Cesario Verde, Guerra Junqueiro, Rio de Janeiro, e mais um enorme etc.

Há, felizmente, exemplos de boas práticas,  Jardim da Parada é um deles.

O discurso é sempre o mesmo, falta de meios,. Mas nunca mencionam a falta de conhecimento e a incapacidade para assumir essas competências. Devolvam a gestão dos espaços verdes. Foi um erro essa transferência. Reconhecer um erro, é, infelizmente, uma qualidade que anda longe dos senhores autarcas. Por definição, um político não erra.


Entretanto o tempo urge para as árvores e espaços verdes da cidade.

(Para evitar uma onda de comentários deslocados, ressalvo o notável papel que as Juntas de Freguesia têm tido no domínio das denominadas "questões sociais", prestando apoio a famílias, colectividades, escolas, centros de dia, associações)

3 comentários:

Anónimo disse...

Os belos jardins de Lisboa.

Perdão, os "belos" terreiros..

Anónimo disse...

O jardim Cesário Verde está num "estado calamitoso"? Há quanto tempo não passam lá?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

reagindo ao anónimo das 10:48

Obrigado pelo seu comentário. Esse jardim não está nem nunca foi esquecido, tal como as árvores de alinhamento da Pascoal de Melo e tantas outras.


Já forma objecto de posts e de pedidos de esclarecimento à JF de Arroios.