...

...

24/04/2016

Hotéis de Salgado & Cia.- 1







Chamou-se um Pritzker, Souto Moura para o efeito, que, passando por cima de todo o bom-senso arrasou, todo um quarteirão.

Aumento de cérceas, demolição de todas as mansardas e águas-furtadas, destruição do frontão triangular com óculo-cego no prédio que dá para a R. do Alecrim, interiores mais do que esventrados. Tudo em zona de protecção do Chiado-Baixa, numa zona que foi vivida e impregnada de cultura. Tudo para que o Bairro Alto Hotel pudesse crescer por cima do património da cidade e do que lhe dá identidade.

Tudo aprovado pelo serviços de urbanismo da CML. Para sossego das almas mais atormentadas com estas tropelias, dizem que haverá reposição da tipologia arrasada. Um pastiche de mau-gosto e pior oportunidade. A isto dá a CML o nome de reabilitação ao que dantes se chamava fachadismo.

Este Pritzker será o responsável por três obras indignas de um prémio desse gabarito e por maioria de razão, de Lisboa:

- esta na zona histórica do Chiado, a segunda, o periscópio de Santana Lopes na Colina de São Roque que destruirá para sempre a visão dessa colina do outro lado da cidade e a terceira, a destruição de uma das poucas praças harmoniosas de Lisboa, a Praça das Flores,  para onde este senhor pensou uma obra em tudo alheia ao tecido urbano do lugar e escandalosamente intrusiva da malha  onde se irá inserir..

Essa obra recebeu um parecer negativo dos serviços da CML, serviços esses desautorizados logo a seguir pela chefia que deu luz verde à casinha modernaça  pensada no atelier de um arquitecto que errou na leitura da cidade para onde projectou o seu (mau) génio.


7 comentários:

RT disse...

A obra que recebeu um parecer negativo dos serviços da CML - serviços que depois foram desautorizados logo a seguir pela chefia - qual é? É a obra das fotos?

E essa chefia é composta por quem? Quem é que toma este tipo de decisões?

Anónimo disse...

E se perguntassem a Manuel Salgado, vereador das obras públicas da CML, primo do Salgado (DDT - Dono Disto Tudo) que roubou que se farta no BES, quanto é que ele recebeu de luvas para autorizar uma obra que os próprios serviços da CML vetaram?!

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

A obra que foi condenada pelos serviços da CML e depois autorizada pelas chefias é a casa da Praça das Flores. Há imagens do projecto a circular na net e houve uma reportagem do público.

A das fotografias, é a ampliação do Bairro Alto Hotel, R. do Alecrim-Largo Barão de Quintela.

Anónimo disse...

Eu se pudesse também abria um hotel em Lisboa. Já sonhei com isso faz mais de dez anos, mas não tenho capital para tal. Habitação nem pensar pois reabilitar sai caro, e o retorno só se consegue com vendas a preços muito elevados. Reabilitar para arrendar é um risco enorme num mercado em que as rendas não funcionam.

MP Carvalho disse...

E porque não um pedido de audiência por parte do Cidadania Lx ao sr Presidente da Câmara a perguntar se ele concorda com estas "coisas" indescritíveis com que ninguém que eu conheça concorda ?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro MP Carvalho,


Já se fez isso e muito mais. Mas o que se diz numa reunião, é muitas vezes, um voto pio

MP Carvalho disse...

Tem que chegar uma altura em que se consiga fazer chegar abaixo-assinados com 10.000 assinaturas a mostrar que não são donos disto tudo e que não têm carta branca para fazer o que lhes apetece ...