21/08/2007

Câmara tira verbas à contabilidade para pagar obras e luzes de Natal

A Câmara de Lisboa reúne amanhã pela segunda vez desde a tomada de posse do novo executivo socialista. Em cima da mesa vai estar mais uma alteração orçamental, a nona este ano. No total, são sete milhões de euros, na sua maioria destinados ao pagamento de empreitadas paradas, muitas delas relativas a obras de reabilitação urbana.

Do montante global, 6,3 milhões destinam-se a "dotações orçamentais da direcção municipal de Projectos e Obras para permitir a cabimentação e posterior pagamento de algumas empreitadas paradas", explicou fonte municipal. Outros 406 mil euros destinam-se a um reforço do plano das iluminações de Natal, "porque a dotação para este ano estava comprometida com a satisfação dos compromissos com as iluminações do ano anterior".

Para poder pagar dívidas, António Costa, presidente da autarquia, será obrigado a retirar dinheiro de outros departamentos. Quer as luzes de Natal quer o pagamentos de empreitadas "têm como contrapartida a anulação em 6,7 milhões de euros em transferências de capital do departamento de contabilidade", frisou a mesma fonte autárquica. A central de compras vai exigir a aquisição de hardware e software, no valor de 367 mil euros. A aquisição deste material informático resulta de poupanças geradas na direcção municipal de serviços centrais.

continue a ler no DN

6 comentários:

vm disse...

Com o dinheiro que se gasta com as luzes de Natal, melhor seria que recuperassem prédios, dessem formação a comerciantes. Não há luzes que salvem a cidade. podem vir os comerciantes barafustar. Mas se não se modernizarem, se não derem formação aos seus empregados se as zonas de comércio não forem recuperadas a vários níveis nada valerá a pena. E depois esse mau gosto dos bonequinhos com florzinhas e sininhos a acenderem e apagarem é próprio de quem é pobrete mas alegrete. Gaste-se no que vale a pena e os frutos virão. Há que poupar! E comece-se pelo que não presta. É artifício, apenas!

FJorge disse...

Eu tirava o dinheiro TODO às provincianas "luzinhas de Natal"! Só num país de mentalidade pueril, provinciana é que se pode aceitar que a autoridade municipal gaste milhões em tais frivolidades! Para mais que as "decorações e luzinhas" de Natal são instaladas em ruas e prédios degradados, alguns mesmo em ruína. É um atentado à inteligência, é um absurdo puro e simples! Mais um lamentável sinal do arcaismo que impera na sociedade portuguesa (e se a capital anda entretida com sininhos e florzinhas...)

Diogo Moura disse...

Totalmente de acordo convosco! Que bem que fica uma iluminação de Natal pendurada numa varanda pombalina, ou o que resta dela e do imóvel! Viva Lisboa...

Anónimo disse...

E quantos imóveis não se poderiam já ter recuperado na Baixa com os milhões que já se estoiraram nas pirosas luzinhas de natal? Ai, ai, Lisboa...

Anónimo disse...

Helena Roseta solicitou que esta proposta fosse alterada e discutida na reunião da CML. E que, as "tradicionais iluminações de Natal devessem ser encaradas numa nova prespectiva de inovação e economia energética". Bem como "avaliação do impacto das iluminações de Natal subsidiadas pela CML na revitalização do comércio local". O presidente da Câmara não agendar a discussão.

Anónimo disse...

concordo completamente com a posição da Helena Roseta. Finalmente alguém fala do que é essencial na questão das iluminações de Natal versus revitalização do comércio local. Pode ser que para o ano se consiga implementar uma ideia diferente, de Natal e de revitalização da Baixa.