02/08/2007

Chegou a vez do Zé... E agora, José?

Editorial do DN

"O primeiro dia de António Costa na Câmara de Lisboa foi dominado pela agenda de... José Sá Fernandes. O presidente parece ser o primeiro a confirmar o slogan de campanha do candidato mais radical: o Zé faz mesmo falta. Pelo menos a suficiente para com ele fazer um acordo e dar- -lhe um pelouro, o do Ambiente e Espaços Verdes.

Talvez António Costa esteja a usar uma táctica antiga em política e prefira ter o vereador do Bloco de Esquerda com ele que contra ele. Ou talvez esta seja uma manobra cínica para provar que grande parte das ideias dele não são exequíveis. Ou que quando se chega à realidade do poder, devaneios como o de impor um atraso de anos numa obra tão crucial como o Túnel do Marquês podem pagar-se caro.

O que para já António Costa deu a Sá Fernandes foi a sua maior vitória. E ao Bloco de Esquerda a primeira experiência governativa na capital.

Sá Fernandes tem bons trunfos para jogar. Ele foi o verdadeiro independente das eleições. Ao contrário de Helena Roseta ou mesmo de Carmona Rodrigues, a sua entrada na política foi feita por via de uma activíssima vida cívica - que culminou precisamente no processo do túnel. Resta saber se está preparado para a prova de fogo que é a realidade política. Tem dois anos para provar que consegue fazer, além de criticar"

2 comentários:

DarkAngel disse...

José Sá Fernandes, vendeu-se...esperemos que por uma boa causa e que daqui a 2 anos não venha a ser punido. Zé...cá para mim entalaste-te! Tinha-te em melhor conta.....

Anónimo disse...

Nesta republica o suborno tem outra cor e outro nome.