03/08/2007

TRAVESSA DO... AR-CONDICIONADO?



Este é um caso vergonhoso de egoísmo, de total falta de respeito pelo bem comum, pela história e património da cidade.

Antes de se tornar na "Travessa do Ar-condicionado" era a "Travessa do Forno do Torel".

Esta placa toponímica foi obstruída pela instalação sem respeito, por parte de um morador, de um equipamento de ar-condicionado. Este caso é particularmente reprovável porque toda a zona do Torel/Campo dos Mártires da Pátria está classificada como "Imóvel de Interesse Público" pelo que é proibido instalar equipamentos de ar-condicionado nas fachadas dos imóveis. Existe ainda outra agravante: esta placa toponímica encontra-se mesmo em frente da estação superior do Elevador do Lavra que está classificado como "Monumento Nacional".
A Comissão Municipal de Toponímia e a Junta de Freguesia da Pena já foram informadas. Vamos agora aguardar e ver como funciona - ou não - a aplicação e respeito pela lei.

15 comentários:

Anónimo disse...

Isto é inacreditável! Mas é infelizmente o espelho da cidade e da ausência de cidadania de quem nela vive e/ ou trabalha.

Anónimo disse...

Falta de respeito e falta de fiscalização! Parece que não há regras nem leis nem nada. É como se quiser...

Anónimo disse...

......que esperar de quem voluntariamente usa grades nas janelas....?

JA

Carlos Medina Ribeiro disse...

Se perguntarem ao dono do aparelho porque é que o meteu ali, decerto responderá: «Tinha de o meter em algum lado, não acha?».

Essa resposta-típica faz-me lembrar a cena descrita na crónica seguinte:
___

«Vais de carrinho!»

Há um jovem que, todos os dias e ao pé da minha casa, estaciona impunemente o seu carro em cima do passeio, tendo o requinte de o fazer na passagem de peões. Por causa disso, assisti recentemente a uma cena confrangedora: um idoso, de cadeira de rodas, pretendia passar e não podia.

Juntaram-se muitas pessoas, gerou-se burburinho, e eu ofereci-me para chamar o reboque. Mas o paraplégico opôs-se: «Não se incomode, cavalheiro. O idiota há-de aparecer». Não me conformei, argumentando que pelo menos os famosos «bloqueadores» tinham ali uma boa oportunidade de fazer justiça!

Estávamos nisto, quando o dono do carro apareceu, a correr, falando ao telemóvel; entrou rapidamente, bateu com a porta e ligou o motor. Mas as pessoas rodeavam-no e ele apercebeu-se de que não ia poder sumir dali facilmente. Deitou então a cabeça de fora e desabafou: «Que diabo! Eu venho aqui todos os dias e tenho de meter o carro em algum lado!».

Nessa altura, o homem da cadeira de rodas, com um vozeirão de que ninguém o julgaria capaz, explodiu: «E porque é que não o metes no **?!».

No dia seguinte, à hora do costume, o jovem apareceu e estacionou no sítio habitual. Mas, desta vez (lá deve ter meditado...) trazia um mini...


(CMR-"EXPRESSO" 28 Set 02)

Jardinando disse...

não só porque se relaciona com a freguesia da pena e com ar condicionado..., mas também porque gostava que fosse a última vez que, em Lisboa, se tratam as árvores e os logradouros da forma "miserável" como este foi tratado, agradeço o relevo que julgarem adequado dar ao post e à situação que, em parte, acabo de relatar: http://jardinandosemparar.blogspot.com/2007/08/golpe-final.html

Anónimo disse...

ACABEI DE VER AS IMAGENS CHOCANTES DO ABATE DA ÁRVORE... não tenho palavras.

DarkAngel disse...

o xico espertismo no seu melhor...

Rui Figueira disse...

BARBÁRIE NO SEU AUGE!

Anónimo disse...

é tudo mau nesta imagem! o ar-condicionado por cima da placa (isto é incrível!); as grades, como já alguém referiu; os horrivéis estores de plástico branco (um verdadeiro "must" do lisboeta contemporâneo!); e por fim, a tinta usada na pintura do prédio (impermeável, rugosa, completamente inadequada a um edifício antigo).
não existe dúvida alguma, é um magnifíco exemplar de uma casa portuguesa concerteza!

Anónimo disse...

isto é uma foto-montagem não é?!

FJorge disse...

Infelizmente não é uma foto-montagem. E não é caso único. Na verdade, até alguns serviços da CML já cometeram erro semelhante. Darei conta disso num próximo post.

Anónimo disse...

Nada a fazer.
Esta fotografia, salvo o erro, retrata uma das fachadas da sede da Fundação D. Pedro IV. Este é um edifício propriedade do Estado Português que há anos que foi cedido à FDPIV. Ali estão albergadas, para além da sua sede, inúmeras empresas privadas administradas pelos directores da FDPIV e um jardim de infância (sem ar condicionado!).
Digo que será impossível fazer qualquer coisa, pois perante graves denúncias de situações menos lícitas desta Fundação, o Governo e a CML (tanto em governos PS como PSD) sempre mostraram grande temor em averiguar o que se passava, e quando o fizeram o relatório propunha a sua extinção!

Para mais informações deste estranho Ballet Rose dos tempos de Bloco Central:
http://loios-marvila.blogspot.com/
http://amendoeiras.blogspot.com/
http://paisdpedroiv.wordpress.com/

FJorge disse...

Trata-se do número 1 e 3 da Travessa do Forno do Torel; a Fundação D. Pedro IV está no núemro 1 da Travessa do Torel. Mas é verdade que também eles fazem amplo uso de estores de plástico e aparelhos de ar-condicionado como "decorações" de fachadas...

Anónimo disse...

já repararam que a caixa de ar-condicionado tem escrito "GARANTIA DE 3 ANOS"? será que só vai ser retirado daqui a 3 anos?

Carlos Medina Ribeiro disse...

Esta imagem foi afixada em:

http://sorumbatico.blogspot.com/2007/09/blog-post_09.html

juntamente com outras, de Faro