09/03/2008

Mais uma ideia peregrina

Torres éolicas no meio da cidade

10 comentários:

Anónimo disse...

Havia uma música, anos 70, julgo, "The windmills of your mind", e que também falava em túneis!

daniel disse...

O impacto visual na cidade (logo no turismo) seria desastroso.

Tendo em conta os efeitos em toutras áreas, a relação custo-benefício manda que esta ideia vá directmente para a gaveta.

Julio Amorim disse...

.....em vez de tentar marcar pontos políticos com palhaçadas destas (estas torres para serem efectivas requerem alturas de 40-50 m), talvez começar por solucionar os problemas existentes na cidade, e que por este site vão passando diariamente. Isso sim seria política!

Carlos Medina Ribeiro disse...

Sá Fernandes está a ser, pelo menos para mim, uma triste desilusão.

fire4me disse...

Mau demais para ser verdade...

Arq. Luís Marques da silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arq. Luís Marques da silva disse...

Meu Deus perdoa-Lhe, é que
este, é que não sabe mesmo o que faz...

Anónimo disse...

Vocês lembram-se do Professor Pardal e do Inspector Ventoinha?
Aí está ele de novo!
Vereador Ventoinha, quando não sabes o que fazer ineventa qualquer coisa!

Joao disse...

É efectivamente uma ideia peregrina, a de espalhar geradores eólicos tal como os conhecemos pela cidade de Lisboa. Talvez se um dia se lhes mudasse a forma e se se conseguisse uma tecnologia mais eficiente e menos sonora a coisa tivesse pernas para andar.

Agrada-me no entanto a ideia da descentralização das unidades de produção de energia. Não nos fixando na energia eléctrica, a produção de produtos agrícolas em pequenos quintais comunitários espalhados pelos bairros; ou mesmo a gestão e tratamento natural de águas pluviais em logradouros ajardinados semi-públicos, parece-me ser uma aposta muito mais eficiente e resiliente de gestão dos fluxos energéticos que todos os dias passam por uma cidade.

Burton disse...

dev ser das ameijoas do tejo que esse palhaço anda a comer que só tem ideias da tanga....