Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

23/04/2014

Parque de estacionamento no Campo das Cebolas viabilizado pela Assembleia Municipal

Os deputados independentes eleitos pelo PS ameaçaram votar contra, caso a Câmara de Lisboa não acolhesse um conjunto de recomendações da assembleia.
Por Inês Boaventura, Público de 22 Abril 2014



À segunda foi de vez. A Assembleia Municipal de Lisboa, que no anterior mandato tinha chumbado a construção de um parque de estacionamento no Campo das Cebolas, aprovou esta terça-feira uma proposta no mesmo sentido, mas com uma diferença substancial: em vez de ter um piso no subsolo e três à superfície, como chegou a estar previsto, o parque terá apenas um piso subterrâneo.
Apesar de ter sido aprovada, a proposta, que prevê a construção e a exploração desse parque pela Empresa Pública Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (Emel), foi alvo de várias críticas. Incluindo dos cinco deputados independentes eleitos na lista do PS, que chegaram a ameaçar votar contra caso a Câmara de Lisboa não se comprometesse a acatar um conjunto de recomendações feitas pela Comissão de Mobilidade e Segurança da assembleia municipal.
Entre essas recomendações estava a de que fossem reservados um mínimo de 110 lugares para assinaturas diárias de residentes e de 50 para assinaturas nocturnas, entre os 230 lugares que o parque terá. A comissão, que é presidida pelo ex-vereador da Mobilidade Fernando Nunes da Silva e cujo parecer foi aprovado por unanimidade, também defendia que ficasse claro que a Emel não teria direito a qualquer compensação financeira pela construção do parque.
Só depois de o vereador Manuel Salgado ter garantido que essas recomendações seriam ratificadas pela Câmara de Lisboa é que a proposta foi aprovada, com os votos contra do BE, PEV e MPT, a abstenção do PSD, PCP, CDS e dos independentes e com os votos favoráveis do PS, PNPN (Parque das Nações Por Nós) e PAN (Partido pelos Animais e pela Natureza). Também acolhida pelo município foi a sugestão, feita por este último partido, de que 10% dos lugares do parque fossem reservados a veículos eléctricos e movidos a hidrogénio.
Esta terça-feira, a Assembleia Municipal de Lisboa, aprovou ainda, por unanimidade, uma proposta relativa à realização de um novo debate temático, depois de terminado o debate sobre a Colina de Santana. Desta vez o tema será “Os transportes públicos em Lisboa, o que temos e o que queremos”, e as sessões realizar-se-ão nos dias 13, 20 e 27 de Maio e 3 de Junho, sempre às 18h.  


4 comentários:

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

E em que sítio, exactamente? FAzia já parte do plano de requalificação da praça?

O automóvel é sempre o rei. E queriam com três pisos acima do solo? para quê, para barrar a vista do Tejo?

Miguel Carvalho disse...

Uma cave deste tamanho nesta zona da cidade?! Não se aprendeu nada com as dificuldades geológicas da construção do túnel do Metro ali ao lado?

Gosto especialmente do voto a favor do PAN a favor de mais estacionamento, numa zona onde abundam os transportes públicos.

Anónimo disse...

mais opções para estacionar são sempre bem vindas. não vejo é a necessidade de reservar espaços para eléctricos e, pasme-se, veículos movidos a hidrogénio como se estes fossem comuns...
http://www.jsonline.com/business/toyota-to-launch-hydrogen-powered-car-next-year-b99250180z1-255928311.html

Anónimo disse...

Não deixa de ser irónico, depois de aprovado mais um parque de estacionamento, vai-se debater a política de transportes públicos.

Enquanto forem tomadas medidas destas bem se pode mandar bitates sobre o transporte público.

Desiludido com este último mandato da CML, subiu-lhes o rei à barriga com a maioria abslouta e agora abunda a demolição de p´redios históricos mais que nunca e medidas como esta que nada têm a ver com os tantos planos e debates que a CML proclama por aí.