...

...

05/01/2015

Património Arquitectónico de Lisboa: Pérolas a Porcos?

Alguns exemplos, entre centenas, de como são descritos os prédios dos finais do séc. XIX / início do séc. XX, nas imobiliárias em Lisboa:

«Prédio totalmente devoluto. Pode ter várias opções de reconstrução inclusive de Hotel. Área construída de 2800 m2. Na tardoz do prédio existe uma construção já legalizada que pode servir para garagem ou para outro tipo de utilização. É possível construir mais um andar recuado. Valores negociáveis conforme forma de pagamento.»


«Prédio antigo na Av. Defensores de Chaves para demolir. Projecto a decorrer na CML para construção de 3.200m2. Vista para o Palácio das Galveias. O prédio será entregue devoluto.»


«Prédio para demolir, no Campo Grande. Óptima exposição solar. Projecto aprovado com licenças a pagamento para construção de 3.100m2. Nove andares de luxo, uma loja e quatro caves para garagens. O prédio será entregue devoluto.»

FOTO: Avenida da República Nº 53, para demolir (ou já foi mesmo demolido!?).

2 comentários:

Anónimo disse...

E porque razão as coisas chegaram a este ponto? Se Portugal é caso único na Europa, terá de haver uma explicação.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

A explicação é simples: maus governantes, péssima gestão da coisa pública, alheameanto e apatia da opinião pública, falta de cultura, subserviência a todos os interesses menos aos do planeamento, lamentável jornalismo e por aí fora.

Portugal está em saldos de cidadania em permanência