...

...

29/01/2015

Câmara de Lisboa pode tomar posse administrativa do antigo cinema Paris


In O Corvo (9.1.2015)
Por Fernanda Ribeiro

« Há 20 anos, o cinema Paris, já então fechado e decadente, foi cenário de algumas cenas do filme “Lisbon Story”, de Wim Wenders. Desde então, a sua história é bem mais amarga e perigosa. O edifício corre o risco de ruir e ameaça a saúde pública, diz o presidente da Junta de Freguesia da Estrela. Os proprietários não fazem obras e a Câmara pode tomar posse administrativa da ruína.

O antigo cinema Paris, cujo estado de degradação é evidente e onde há anos está pendurada uma faixa negra onde se lê “A vergonha não passou por aqui”, poderá deixar de ser a ruína que se vê logo à entrada da Rua Domingos Sequeira, perto da Basílica da Estrela.

A Câmara Municipal de Lisboa ameaça tomar posse administrativa do imóvel, cujos proprietários foram intimados pela autarquia, em Setembro do ano passado, a fazer obras de conservação e reabilitação.

O prazo para o arranque das obras, dado pela câmara à sociedade que é detentora do edifício, foi já ultrapassado e não se vislumbram sinais de obras na zona. A intimação dava 45 dias úteis aos donos do Paris – a empresa NCI, Novas Construções Imobiliárias – para iniciarem as obras a realizar ao longo de sete meses, como se afirma no edital afixado no tapume de alumínio que rodeia o arruinado edifício.

“Caso não dêem execução no prazo estipulado, a Câmara Municipal poderá tomar posse administrativa do imóvel para executar as obras coercivamente”, afirma-se no edital, um documento com data de 12 de Setembro de 2014 e ele próprio já algo desbotado.

A sociedade proprietária do edifício poderá ainda sofrer outra penalização, por falta de cumprimento da determinação camarária: “Enquanto, por motivos alheios à câmara, não forem iniciadas as obras de conservação, a taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) será majorada em 30 por cento”, diz o documento.

A decisão tomada pelo pelouro do urbanismo da Câmara, a cargo do vereador Manuel Salgado, surgiu na sequência de uma vistoria feita em Maio de 2013, que dava já conta de um “mau estado de conservação” – algo que não surpreende, tendo em conta o abandono a que foi votado o antigo cinema, fechado há perto de 30 anos.

A situação do edifício do Cinema Paris preocupa em particular os moradores da zona e também o presidente da Junta de Freguesia da Estrela, Luís Newton (PSD), que teme a derrocada do imóvel.

“O edifício corre o risco de abater, se nada for feito. O que é um perigo, até porque tem ao lado uma bomba de gasolina e, logo a seguir, um infantário. Além disso, há presentemente outro problema. Aquilo é um foco de insalubridade e uma ameaça à saúde pública”, disse ao Corvo o presidente da Junta de Freguesia da Estrela ...»

...

Olha, olha, então tb pode tomar posse administrativa do Odéon, certo? que este é um caco. Mas, seja como for, força, Luís Newton! Apupos a Vasco Morgado :-(

4 comentários:

Anónimo disse...

Isso é que foi pressa: em setembro de 2014, a câmara a que enquanto Lisboetas temos direito intimou os proprietários a fazerem obras. Mais e melhor eficiência era impossível.

Anónimo disse...

fazer que tipo de obras? uma vez que o tempo dos cinemas já passou é óbvio que aquele espaço não voltará a ser cinema. ou vai ser hotel ou condomínio, e qualquer das opções será melhor que um cinema.

Anónimo disse...

Desde que não passe a ser uma nova loja de chineses está bom.

Anónimo disse...

Parece-me que o edifício está já num tal estado de degradação que dificilmente se poderão realizar "obras de conservação". A ver vamos.

Mas mais de 30 anos para intimar os proprietários a fazer obras ... é obra!! Aliás é o que se chama de ... obrar!