...

...

11/09/2015

Mais uma bela-sombra danificada e outras mais-valias no malogrado Jardim de Santos

Nada inidca que este exemplar de bela-sombra monumental estivesse com pernadas doentes, frágeis, descompensadas. Não houve temporais, não houve intervenções camarárias. Houve uma noite mais uma vez fora de todo o controlo.
É preciso saber exactamente quais as razões que estiveram na origem desta queda/quebra súbita de ramadas.



Por reste andar, um dos mais frondosos jardins de Lisboa desaparecerá.  Os pedidos de classificação do arvoredo (conjunto de jacarandás e de belas-sombras) apresentado pela Plataforma em defesa das Árvores, continua, lamentavelmente, sem resposta.

E por todo o lado, em cada árvore, em cada canto, as casas de banho multiplicam-se num à-vontade e falta de civismo estarrecedores. Em Lisboa à noite a "rua é de todos" como nos dizem os seus feequentadores. É de todos? Sim, mas é mais de uns do que de outros.


Imagens repetidas numa repetida inacção e numa total apatia da CML.

Os grupos que se divertem acham que o património que, tal como a rua, também é de todos, pode ser o seu novo brinquedo, a sua nova prova de autonomia e independência. A liberdade usada aassim é só uma triste e confrangedora libertinagem.



Aqui o solo nunca seca. Mas não proque chova muito ou haja regas para tratar do que resta da vegetação do jardim. As águas paradas do lago, as várias casas de banho a céu aberto, as toneladas de lixo de todo o género e feitio, o ataque às árvores e plantas, tornam este jardim numa zona de galopante degradação com riscos para a saúde pública.

Se, porventura a ideia da Junta de Freguesia da Estrela de vedar o jardim, for avante (tal como parece de acordo com o programa "Uma Praça em cada Bairro"), estarão de parabéns o seu presidente e os seus colaboradores.

É lamentável que um jardim de usufruto de bairro, aberto e público, dada a selvajaria que reina na noite, tenha que ser fechado. Mas dadas as circunstâncias e a falta de vontade política por parte deste executivo camarário em ordenar a noite, não há outra solução.

7 comentários:

Anónimo disse...

Vedar como? Ainda que alguma coisa tenha de ser feita, com urgência, com risco de ser tarde demais para algumas das espécies verdes e monumentos, a verdade é que um gradeamento como aquele que instalaram na Rua do Arsenal, no estacionamento da Marinha, seria um desastre lamentável. Até tenho medo de pensar que tipo de gradeamento estaria em projecto para ali.

Anónimo disse...

Inacção da CML??? Um parasita da sociedade dá um chuto num caixote do lixo caindo o mesmo ao chão e a CML tinha que estar ali logo nos primeiros minutos para limpar?

Um pouco de calma, assim também é demais!!!

Miguel

João Loff disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Reagindo aos dois comentários de Loff e de miguel,

Inacção da CML sim, em toda a linha. Só quen nunca esteve reunido com este executivo pode afirmar o contrário, a coisa é assim do património à noite, do licenciamneto zero à betumização e destruição de jardins e de árvores.

Sr. Miguel, tresler voluntariamente o que aqui se escreve é de uma aflitiva má-vontade. O que aqui se retrata não é um episódio, é o quotidiano de grande parte da cidade histórica.

O Ssr. Loff achará edificante que a zona onde vive seja inundada por grupos na maior parte ébrios, ávidos de tudo e de nada, dspostos a estoirrar com o que têm à sua frente. O sr. Loff deve ser muito moderno e ingénuo, também, A verdade dos factos não omplica em linha nenhuma o regresso de quem quer que seja do passado.

A única ditadura aqui é a da noite e dos "direitos" dos seus frequentadores que retiram aos moradores o direito ao descanso, que urinam em frente das suas casa, não se importando se ao, lado há menores que vivem nas casas que são vandalizadas.

A conivência com esta noite é inimiga da cidade que os srs. Loffs deste mundo, decerto muito à la page com a selvajaria, acham que defendem.

Os únicos salazares que vejo aqui são os do calibre do srs. Loffs e de outros clarividentes e cívicos cidadãos.

pela minha parte conversa encerrada. A frivolidade de alguns comentários é um insulto.

Anónimo disse...

Infelizmente caro Miguel Velloso tem razão no que diz.

Eu apenas disse isso porque vejo muitas vezes caixotes de lixo derrubados por vândalos que só estão bem destruindo material camarário. E não podemos esperar que esteja atrás de cada "arbusto" um funcionário da Câmara sempre pronto para limpar a sujidade que esses mentecaptos fazem com essa atitude.

Miguel

Julio Amorim disse...

Esta cidade tem n de problemas que não se resolvem mas que se ARRASTAM há décadas. E isso doa a quem doer (se calhar não dói nada), é um atestado de incompetência para quem nos governa e governou nos últimos 40 (?) anos. Muitos problemas já só se resolvem de chicote e botas cardadas....e muita gentinha não merece outra coisa. E coragem para tal...?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro Miguel,


Obrigado pela sua resposta. Mantenha-se atento ao blogue e, com os seus comentários, ajude-nos a melhorar.


Cumprimentos,


Miguel de Sepúlveda Velloso