20/06/2007

Costa admite debate alargado sobre Torres Foster


In Portugal Diário (20/6/2007)

«O candidato do PS à Câmara de Lisboa, António Costa, defendeu hoje a realização de um debate aberto a especialistas e a todos os lisboetas sobre as Torres Fosters, como o encontro «Um Dia por Lisboa», noticia a Lusa. (...)»

1. O projecto de Foster NÃO é uma torre! É um excelente projecto, tal com o de Renzo Piano, em Braço de Prata. Isso não impede que a discussão se faça, claro está. Mas reduzir-se este projecto a uma torre, é falta de rigor. Atenção!

2. Projectos bem mais gravosos para a cidade, a meu ver, são:

- Alcântara-Terra;
- Alcântara XXI;
- Vale de Santo António;
- Aumento do terminal de contentores em Alcântara;
- Terminal de cruzeiros em Santa Apolónia;
- Urbanização na Docapesca;
- Fecho do IPO e consequente urbanização;
- Fecho do D.Estefânea e consequente urbanização;
- Fecho do Miguel Bombarda e consequente urbanização;
- Fecho dos Capuchos e consequente urbanização;
- Fecho do Liceu Machado de Castro e consequente urbanização;
- Circular das Colinas;
- Via da Meia-Encosta;
- Esventramento do subsolo na Baixa Pombalina para linha de metro das colinas, e estacionamento subterrâneo no Cp.Cebolas, Lg. Corpo Santo e Terreiro do Paço;
- PUALZE (esventramento do subsolo na Avenida para estacionamento subterrâneo, logradouros da Rua do Salitre e aposta errada na tercearização);
- Plano de Pormenor da Ajuda (destruição da Alameda dos Pinheiros e construção de urbanizações a sul do Palácio);
- Plano de Pormenor de Campolide (destruição da Penitenciária, urbanização, machadada final no «Corredor Verde»;
- Plano de Pormenor do Palacete Ribeiro da Cunha (esventramento do logradouro, construção ilegal porque viola o perímetro de protecção de um MN, o Jardim Botânico);
- Plano de Pormenor da Colina do Atheneu (na callha a destruição da mancha verde e jardim suspenso de palácio anexo);
- Aumento das cérceas na Av.Fontes Pereira de Melo e Dq. Loulé;
- Construção de túneis sob a Av.Fontes Pereira de Melo e Pr.Dq.Saldanha;
- Transformação do Parque Periférico em "Urbanizável";
- Torre Compave/Boffil nas Picoas;
- Túneis sob a Av.Fontes Pereira de Melo e a Praça do Saldanha;
- Destruição do Museu de Arte Popular;


Mas, suponho, que é mais fácil falar-se da «torre Foster».

Texto editado, com foto do site da CML, em resposta ao prezado anónimo. Mais info no site do atelier do Arq.Foster

17 comentários:

Anónimo disse...

o Sr.Ferrero, em vez de bradar que a torre do Foster não é uma torre, o que é mentira, seria bem mais honesto se dissesse porque razão gosta da coisa - mas muito mais difícil, ele gosta porque sim, por causa da "imagem"...pobres tontos que querem acabar com o que resta desta pobre cidade. Tudo para abrir o caminho á Roseta!

Anónimo disse...

onde está a resposta? onde está a justificação, sr. Ferrero? tenha a coragem de dizer porque é que aquilo não é uma torre, e porque gosta daquela coisa, um mostrengo high-tech exibicionista, uma "coisa" que não é arquitectura mas design industrial ao serviço da especulação e das forças de destruição da cidade. O problema é que você não sabe, mas gosta de fingir.

Anónimo disse...

PARABÉNS Paulo Ferrero.
Ainda bem que alguém põe os pontos nos ii.
E não vale a pena andar para aqui com tricas partidárias a dizer que o Paulo está a abrir caminho à Roseta (1.º comentário).
Quem o conhece sabe que esta luta já vem muito de trás, o Paulo não precisa de provar nada a ninguém.
De facto, Lisboa prepara-se para ser AFOGADA pelo betão de imensos projectos, qual deles o mais megalómano.
Já agora, em vez de falar da torre, porque é que o candidato Costa (ou o candidato Carmona, ou o candidato Negrão, já agora...) não diz preto no branco que sabe quem é o dono de boa parte dos terrenos, e que esse dono é um dos proprietários do semanário SOL?
Transparência precisa-se.

Anónimo disse...

então e a torre do foster não é um projecto de betão megalómano? é feita de quê? e que tamanho tem? esta gente deixa um gajo perplexo com tanta vontade de atirar poeira para os olhos dos outros...

Anónimo disse...

O projecto não é só a torre, mas a torre pode ser o problema. Aquela zona precisa de ser reanimada, e este projecto pode ajudar.

Gonçalo Cornelio da Silva disse...

Com tantos "anónimo"* a botar faladura e a insultar.
Paulo só para lembrar! *significado substantivo masculino
1. aquele que não assina o que escreve;
2. indivíduo desconhecido ou que não quer dar a conhecer-se;

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Carlos Leite de Sousa disse...

Voltando ao assunto de base, embora reconheça a necessidade de dinamizar a zona e ocupar de alguma forma o terreno em causa, julgo que a cidade de Lisboa, nomeadamente a sua zona ribeirinha, não é uma cidade de torres ou edificios altos. Se não me chocam as Twin Towers em Sete Rios, já me choca ver um edificio com mais de 8 ou 9 pisos junto ao Rio Tejo.

Anónimo disse...

Chamam-lhe o que quiserem .....mas edifício de cerca de 100 metros de altura naquela zona...não muito obrigado. Com um projecto destes vamos dizer adeus à silhueta da Lisboa ribeirinha. E depois do primeiro.....vem o segundo.


JA

Anónimo disse...

É verdade.

As cabecinhas dos promotores, dos juristas que os apoiam e dos ilustres eleitos funcionam mesmo assim, na lógica do precedente.
Mas não se pode esquecer, repito, que o estudo do Foster está integrado num palno de pormenor mais abrangente para o aterro da Boavista, onde vão ser edificadas outras massas, mais baixas mas igualmente... maciças.

A estrutura fundiária vai ser radicalmente transformada, e com ela o volume da construção. Toda aquela zona se vai alterar radicalmente.

Não é que seja muito bonita nem que tenha muita coisa a preservar, mas atenção ao que lá vão "enfiar".

Uma curiosidade: embora os termos de referência previssem a elaboração do plano pelos serviços da CML, a verdade é que o trabalho foi entregue ao notório arquitecto Miguel Correia, amigo pessoal do Carmona...

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
mch disse...

Excelente resumo do assalto urbanista
os meus parabens.
a lista foi reproduzido em
http://www.somosportugueses.com/modules/news/article.php?storyid=80Faca o possivel para enviar a todos os candidatos e para os debates das televisoes pois esta aqui uma verdadeira agenda a que todos os candidatos deveriam responder.
Quanto aos comentarios de anonimos, estes sao uma praga da internet mas no fim do dia, consegue-se separar o trigo do joio

Anónimo disse...

então, e ao fim e ao cabo ninguém é capaz de explicar porque é que aquilo "não é uma torre"? Expliquem como se fôssemos todos muito estúpidos ( e somos mesmo, para estar a perder tempo com este blog...) PORQUE É QUE UM EDIFÍCIO DE BETÃO COM 100 m DE aLTURA NÃO É UMA TORRE DE BETÃO? Então, Paulo Ferrero?

Paulo Ferrero disse...

Sim, Júlio, o campanile que servirá de marco ao projecto que Foster fez para a Boavista, poderá ser um precedente grave, e esse é um risco, sem dúvida. mas não creio que o sistema de vistas de/para Stª Catarina seja afectado, mais do que já é com o edifício do IADE ou com o edfício mesmo em frente do miradouro, que serve de muro branco a largas dezenas de metros, por sinal, entre duas largas áreas que eram compostas por armazéns, demolidos na era PSL, ao bom jeito da política do facto consumado.

Por isso, a discussão alargada em torno deste projecto deve ser feita, como é óbvio.

Simplesmente, a CCDR-LVT, cujo Presidente é apoiante de ACosta já deu pareceu favorável. Idem, aspas, para o IPPAR.

Mais, projectos como os inenarráveis projectos do Arq.Taínha, no Cais Sodré (Ag.Seg.Marítima e Observ.Toxicodep.), terminal fluvial do Cais do Sodré (verdadeiro mamarracho!!) e outros em vias de o serem - urbanização da Docapesca; terminal de cruzeiros em Santa Apolónia; novo hotel na Doca do Bom Sucesso (por sinal todos eles saídos do atelier de Manuel Salgado) são exemplos claros do que NÃO DEVE SER FEITO na frente ribeirinha. E aí, ACosta nada diz.

O mesmo sobre projectos do Saldanha (a começar pelo Residence, por exemplo e pela operação quarteirão da Casa Malhoa), as urbanizações junto ao Palácio da Ajuda (outro bom exemplo), ou como é que acontecem coisas como a Fábrica Favorita, enfim, o rol nunca mais acaba.

Voltando às «torres», verdade seja dita, já CR e Gab.Seara tinham anunciado aos quatro ventos: que a discussão em volta deste projecto seria a maior de sempre. Aguardemos pelos senhores seguintes;-)

Anónimo disse...

mas o que você continua sem esclarecer é o porquê do seu gosto especial pela torrs do Foster...

Anónimo disse...

não responde, a arrogância é o corolário óbvio da ignorância

Anónimo disse...

Acordem, por toda a Europa andam a construir torres e não é por acaso. As torres não são más nem boas. Cumprem um papel urbanístico importante nas cidades, quer na densidade, quer em termos estéticos e ícones de referência (um pouco como as antigas torres das igrejas). O importante é a qualidade dos projectos, e que se façam por concurso. Em Madrid por exemplo estão a inaugurar 4 torres de 250m, mais do dobro dos 100m do foster para Lisboa...