26/12/2013

Greve faz lixo acumular-se nas ruas de Lisboa


In Público Online (25.12.2013)
Por JOÃO PEDRO PEREIRA

«Câmara apela à população para não colocar os resíduos fora de casa.

A greve dos trabalhadores de recolha do lixo de Lisboa teve uma adesão de 85% e já está a ter consequências: nas ruas, há caixotes a abarrotar e sacos amontoados, sobretudo junto a ecopontos. O protesto começou à meia-noite de terça-feira, dia 24, e só termina no dia 5.».

12 comentários:

Joao B Barreta disse...

Ao contrário do que acontecia num passado recente, uma parte da população compreende (e parece aceitar melhor) as razões de quem faz greve, não tanto pelas razões efetivas da mesma (transferência de competências da CML para as juntas de freguesia, transferência de trabalhadores, descentralização de competências, etc.., etc...), mas sim pelo "especial" contexto socioeconómico que o país atravessa. As greves (um direito, talvez irrevogável, mas "nunca fiando"!!!!) são hoje melhor toleradas do que acontecia há dois/três anos atrás. Quem já passou pelo "mundo autárquico" decerto conhece a "força" do setor da "Higiene Urbana e afins" e da máquina que, quase sempre, está "a montante".

Uma coisa é certa, temos aqui um problema que urge ultrapassar, o que só se tornará possível pela via do diálogo, construtivo, sério e ponderado. Se o bem estar da população (residente e de quem cá trabalha) não fosse por si só suficiente, haverá que preservar a imagem da cidade perante todos, incluindo os muitos que nos visitam nesta época do ano. Um episódio destes pode prejudicar aquilo que leva anos a "construir", e conhecendo as "partes" em confronto, julgo que já quase todos entenderam que terão algo a ceder.

Anónimo disse...

Caro João Barreta,
não sei em que cidade tem vivido nos últimos anos.
A imagem que construímos é precisamente a de uma cidade suja, feia, maltratada. Se quiser posso enviar-lhe dezenas de fotografias de montanhas de lixo que as pessoas deixam, com ou sem greve, por essas ruas, quer seja em avenidas caras como no bairro mais popular.
As pessoas compreendem a razão de ser desta greve? Não as que eu oiço na rua! E quanto à recomendação de não deixar lixo e contentores na rua, o "povinho" fez exatamente o contrário! Querem mais fotografias para comprovar?
Estes são os cidadãos mais negligentes, poluidores e atrasados de uma cidade capital de um país da Europa ocidental. Estamos a anos luz da civilização!

Anónimo disse...

Sem relação com ESTE lixo, OUTRO lixo: repararam no estado calamitoso que uns poucos dias de mau tempo provocaram no empedrado da Ribeira das Naus? Esperem por mais uns dias como os que tivemos e não se vai poder passar lá. Inacreditável, uma obra inaugurada há meses!!!

Joao B Barreta disse...

Caro Anónimo (das 12:09 PM),
Não vou entrar de novo em "debate" análogo ao que neste blog foi gerado aquando do tal artigo, sobre Lisboa, publicado em revista Boliviana. Não elogiei a greve, nem os grevistas, nem a Câmara, nem tomei partido pela decisão de "descentralizar". Não escrevi que a cidade é limpa ou menos limpa (...)! Julgo, apenas, ter apelado ao diálogo entre as partes para se solucionar o problema em causa.

Anónimo disse...

Bela imagem, esta.
Não só a que os Lisboetas tem que suportar como a que damos a quem nos visita.
Moro na freguesia das Mercês e a rua onde vivo já está cheia de sacos de lixo.
A sujidade que transborda dos sacos para a rua já é bem visível e o cheiro do lixo também já começa a ser insuportável!
Nem quero imaginar o que vai ser até dia 5!
Como se não fosse suficiente, os estudantes alemães, que neste momento residem no andar de baixo, juram a pés juntos que já viram ratos a passar pela rua!

Lisboa é linda.....

Anónimo disse...

Não sei porque há tanto alarido com esta greve. A cidade de Lisboa é a mais porca que conheço. E conheço muitas cidades neste país. Não vou falar da falta ou não de funcionários, da falta ou não de profissionalismo dos funcionários. Prefiro falar da falta de civismo, seriedade e limpeza dos cidadãos de Lisboa e daqueles que diariamente trabalham ou visitam a cidade. As pessoas atiram tudo para o chão. Beatas, garrafas de bebidas, papéis, latas, ... tudo. Nem vou dizer tudo o que já vi no chão de Lisboa. Era escabroso. Deixo à vossa imaginação. Acreditem que ainda deve ser pior do que imaginam. As pessoas não conseguem ter um saco de lixo dentro do seu caixote em casa um só dia. Preferem atirá.lo para o meio do passeio, para entre os carros estacionados, ou deixá-lo de prenda no troço das árvores. E isto acontece sempre em Lisboa há anos. Não é de agora, nem é quando há greves. É sempre. As pessoas são imensamente porcas. Dizem-se muito limpinhas dentro da sua casinha. Mas sujam ordinária e vergonhosamente tudo aquilo que é o espaço público. Levam os cães a passear à rua, e não limpam os dejetos dos animais. Alguns até ensinam os cães a obrarem no relvado dos poucos espaços ajardinados, e não limpam. Depois vão as crianças lá brincarem e sujam-se com os dejetos dos bobbies. Com uma mentalidade porca e nojenta como existe na cidade de Lisboa, bem pode haver um trabalhador da câmara para cada pessoa, que mesmo assim não chega!

Anónimo disse...

O problema de Lisboa não é a greve dos canteiros. É a falta de civismo de quem cá mora e de quem vem à cidade, e deita lixo para o chão, e sacos de lixo para o passeio!!

Anónimo disse...

Caro João,
não pretendo entrar em debate consigo, rebato os seus argumentos tal e qual me foram apresentados...por si, no seu comentário. Tem alguma coisa a escrever para rebater o facto de que Lisboa é uma cidade suja, maltratada e habitada por cidadãos indignos de viver em sociedade, onde as ruas são públicas e por isso pode-se deixar lá todo o lixo, onde os prédios servem para tirar rendimento da forma que for mais rentável, pouco importa o património, onde não sabe a diferença entre recuperar e desvirtuar, sem qualquer tipo de sensibilidade para o que os antepassados deixaram. E estou a ser muito simpático na minha apreciação. Quer provas fotográficas?

Anónimo disse...

Não posso deixar de referir o nojo que tenho visto há anos e anos nas ruas da cidade capital do país. Ruas cheias de lixo, em grande parte fruto de hábitos nojentos, nada cívicos e insultuosos dos próprios lisboetas. Nomeadamente: beatas, pacotes de cigarros deitados para o chão, restos de charros, restos de comida deitada para o chão, cócó dos cães que os donos porcos não apanham e metem no lixo, papéis, garrafas de vinho e cerveja, garrafas ou embalagens de sumos e de refrigerantes, embalagens do McDonald's, sacos de lixo doméstico colocados no meio do passeio, a um canto de um prédio, ou entre os carros estacionados. E até no troço de árvores da rua! Roupas totalmente rasgadas, porcas e a cheirar mal, preservativos usados, fraldas cagadas, pensos higiénicos usados, latas de cerveja, copos plásticos com restos de cerveja, restos de vómito (fruto de bebedeiras mostruosas), etc.
Não me venham, por isso, com a conversa da greve dos cantoneiros. As pessoas é que não são cívicas e desrespeitam-se umas às outras. O presidente da CML pediu que as pessoas guardassem o lixo em casa por um ou dois dias. O que é que as pessoas fizeram? Nada. Logo no primeiro dia encheram os caixotes com lixo.
E não é verdade que em todos os natais, desde há mais de 20 anos, logo no dia 25 de manhã as ruas estão pejadas de embrulhos rasgados, caixas de brinquedos e tudo o que seja lixo? A culpa é dos cantoneiros também??!!

Anónimo disse...

E adianta alguma coisa apelar a esta população? A maioria deita o lixo para a rua em qualquer altura e em qualquer dia da semana.

Joao B Barreta disse...

Se apelar ao diálogo para solucionar um problema é "mau" argumento, talvez seja eu a estar errado.
É óbvio que há gente má, políticos maus, cidadãos maus, cidades más, etc..., etc..., mas qual é a solução? Ofendê-los ? Deitá-los abaixo ?? "Pô-los no lixo"??? A sociedade somos nós que a fazemos todos os dias, talvez uns melhor que outros, é certo!!!
Sempre vi o Cidadania LX como um meio para debater ideias, apresentar propostas e emitir alertas, e sempre dentro desta "linha de pensamento", daí que nunca tenha sido muito adepto da figura do ... "anonimato". Será o anonimato uma espécie de independência imaculada, porém escondida na dependência da(s) "máquina(s)"!!!

Anónimo disse...

a greve é um direito mas a imposição de privilégios à força não é, e é isso que se tem verificado. as greves são hoje em dia irrelevantes e quem faz greve raramente consegue alguma coisa para além de perder uns dias de salário. na minha rua o lixo já foi limpo e só estamos a 30. CML 1 - Cantoneiros 0!