...

...

29/04/2015

Restos da noite no Bairro Alto





Restos da noite no Bairro Alto ou testemunhos claros da total ausência de eficácia por parte da CML?
As várias vereações nada têm feito de concreto para sanar esta situação que vai estoirando com a cidade. Milhares de copos, de garrafas, quantidades imensas de lixo de toda a espécie, vómito, urina, se juntarmos a este lamentável cenário, as músicas estridentes que bombam dos bares, os gritos e urros iniciáticos dos grupos que, indiferentes à cidade e a quem nela vive, arrasam tudo à sua passagem, temos a receita para o desastre em termos ambientais, sanitários e de cidadania. Tudo promovido e aplaudido por esta Câmara.

Eram 11h da manhã e parte das ruas já tinha sido limpa. Asseguram as brigadas que às 7h as ruas são um mar de detritos e resíduos. Proponho que todo este lixo seja recolhido e depositado às portas dos Paços do Concelho. Talvez só assim a CML se digne a agir e vá para além do enunciar de mensagens destinadas à comunicação social, a qual sem qualquer espírito crítico se apressa em transmiti-las, deixando passar a falsa noção de que a CML está empenhada em resolver esta absoluta loucura. Nada mais longe da verdade. Nada, nem ninguém no executivo camarário pretende que a situação mude. Os milhões fáceis de um turismo sem qualidade, são aquilo que move a CML. A verdadeira qualidade de vida e de urbanidade, são noções estranhas às singulares personalidades que se passeiam nos corredores do município.

O mesmo é válido para a AML onde os "eleitos" se digladiam por um lugar ao sol neste nosso triste palco político. O desastre da noite de Lisboa, continuará assim, destruindo a cidade, tornando inabitáveis bairros inteiros, resvalando para uma zona de perigosa impunidade.  Mas que importa tudo isto? Para a CML, "os cães ladram mas a caravana passa". Em vésperas de eleições, parece-me um ditado adequado. 

25 comentários:

Anónimo disse...

E o pessoal da Quercus muito preocupado com o ruído do Metro, considerando que este ruído pode provocar cansaço, zumbido nos ouvidos ou um aumento do ritmo cardíaco. Deviam ir morar para uma zona de bebedeira noturna para provarem o que é bom para o cansaço, o zumbido nos ouvidos ou o aumento do ritmo cardíaco...

Anónimo disse...

Sabemos que nos nossos dias há quem tenha de trabalhar nos dias de descanso da generalidade dos outros cidadãos - nos transportes públicos, serviços de segurança, hospitais, etc. Isso é serviço público indispensável.

Mas ainda no passado dia 25 de Abril - dia da Liberdade - assisti, manhã cedo, ao trabalho de funcionários que tiveram de abdicar de gozar esse dia especial para procederem à limpeza da lixeirada que bandos de criaturas animalescas não tiveram o menor pejo de espalhar por onde andaram a exibir a sua sub-humanidade durante toda a noite. Ah, e quem paga somos nós.

Vítor disse...

E que tal as associações de moradores ou outras associações cívicas irem junto do Ministério Público no tribunal administrativo de Círculo de Lisboa para que este proponha ações, providências cautelares ou intimações para proteção de direitos,liberdades e garantias, por infrações à lei do ruído, pela defesa da saúde pública, ambiente e à qualidade de vida, contra quem licencia bares que fecham tão tarde!

Anónimo disse...

fechem tudo!!!
fechem Lisboa!!!
e sobretudo não façam barulho
não digam nada
murmurem
queremos a cidade do silêncio
fechada e às escuras para que os senhores possam dormir muito!!!!
LC

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

reagindo a LC

será sem dúvida a última vez que responderei a quem com toda a desfaçatez insulta Lisboa e os lisboetas.

O que as imagens mostram peca por defeito. Se LC não acha que sair à noite é sinónimo da mais abjecta falta de civismo e da mais pura selvajaria, não haverá diáolgo possível. Não só porque não pactuo com pseudo-liberias, como também não vejo qualquer relação entre pedir-se que se actue dentro da lei e o quereer-se a cidade às escuras.

haverá, sim, mentes para as quais a evidência e a objectividade do que aqui se relata, representam a vontade de silenciar a cidade. Para esses, talvez um pouco de luz não lhes faça mal. A luz de se perceber que comentários como os que aqui deixa são uma desconversa tão inútil como cheia de má-vontade.

A noite de Lisboa é, actualmente, em grande medida, inimiga da cidade. Querer afirmar o contrário é tapar os olhos com uma venda. Afinal quem estará às escuras? decerto o autor deste pueril comentário. Haja paciência.

Anónimo disse...

"Se LC não acha que sair à noite é sinónimo da mais abjecta falta de civismo e da mais pura selvajaria, não haverá diáolgo possível."

Portanto para si todos os que saem à noite, e nos quais claramente não se insere, são selvagens. E ai de quem diga o contrário! Mais vale postar fotos de lixo, falar com uma obsessão preocupante sobre vómito e urina e propôr de forma hilariante que o lixo seja depositado nos paços do conselho.

Assim se faz a "luta" e se limpa a consciência do dever cívico, com a câmara digital em punho e os chavões no blog pela forma higiénica, ordeira, pobre e honrada de ver a cidade, e as verdades absolutas e dignas de BD sobre as intenções da CML e de todos os lisboetas que não o senhor.

Continue, vou buscar as pipocas.

João Pimentel Ferreira disse...

Na Holanda, onde habito, os responsáveis pela limpeza do espaço público, neste caso e noutros bem mais simples como o caso de supermercados, são os proprietários dos espaços comerciais. Se os donos dos cafés tivessem de limpar esse lixo, faziam mais pedagogia junto da clientela. Era simples, cada proprietário de um bar fica responsável pela limpeza de uma zona do espaço público em frente ao seu espaço. Caso haja lixo nessa zona, levam multas. E a divisão pode ser ao lote ou à rua, ou mesmo ao bairro. Por que não ser a associação de bares do Bairro Alto a limpar o espaço público no Bairro Alto? O Estado em Portugal é muito centralizado, porque não se delega a limpeza para outras entidades com maior incidência local?

Anónimo disse...

Ontem, dia 01/05, dia do trabalhador, eis que dois vândalos sujaram as paredes do meu prédio e de dois prédios ao lado do meu, com latas de spray de cor florescente. É isto o que é Lisboa? Um bando de vândalos que tudo pode fazer, sem que nada se lhes faça??!!

Julio Amorim disse...

A desconversa, os insultos, as picadas e tudo mais de construtivo que não necessitamos faz parte da "cruzada" deste blogue. Mas vai-se ganhando calo e um dia ficamos como o pato; por muito que chova....nunca se molha.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro Júlio Amorim,

A quem se dirige o seu comentário?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro João Pimetel Ferreira,

Concordo em absoluto com o que diz. Mas não se espere que dos bares haja civismo, quando a clientela que servem e aliciam tb não o tem.

Tudo isso seria muito bom, mas como a fiscalização não funciona, os efeitos seriam reduzidos.

Mantenha-se pela Holanda.

Anónimo disse...

O que se passa com o lixo em lisboa acontece em todoa a parte. Em Lisboa as pessoas não são menos civilizadas que nos outros locais em que se consome álcool apesar de algumas pessoas neste blog quererem fazer querer que sim. Penso que seja por desconhecimento. Não há é riscos nas paredes e a limpeza do chão é mais rápida.
já estive na noite em várias cidades europeias e em todas elas vi muito mais lixo que cá.
Também penso que há pessoas que gostavam de viver em na ilha do corvo mas ainda não perceberam. Nada contra
AR

Julio Amorim disse...

Para o comentário das 1:57

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro Júlio Amorim,

Esclarecido. Obrigado

Anónimo disse...

Anónimo das 11:36 da tarde, o que sugere para parar os vândalos? Guardas nocturnos a fazer sentinela a todas as paredes e becos? Se os visse em flagrante delito, o que faria? Interviria? Chamaria a polícia?

Anónimo disse...

É pura mentira que nas noites da generalidade das capitais europeias bandos de inúteis profissionais e incivis possam andar a enfrascar-se até de manhã, a berrar, a urinar, a pichar paredes, a vandalizar equipamentos públicos, etc, etc.

A ignorância é sempre muito atrevida...

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

reagindo a AR das 1.27 da tarde


O que diz não corresponde à verdade, de Buenos Aires a Nova-Iorque, de Barcelona a Paris, de Estrasburgo a Londres, de Budapeste a Viena, nada, mas mesmo nada se assemelha à selvajaria e indigência do que acontece na noite de Lisboa.

Achar que se deve ter regras e que a noite não é o vale tudo e mais um par de botas, não é sinónimo de se querer que a cidade se trasnforme numa Cartuxa.

Defender o actual desleixo, desrespeito, ilegalidade, como formas muito cool de viver a cidade, é a mais clara prova de incapacidade de se adaptar a um quadro regulamentar que já existe na maior parte das cidades europeias. Em Lisboa não porque os interesses são outros.


Corvo? Conheço o jornal, não a ilha a qual deve ter muito melhor ambiente do que Lisboa.

Lamento que para justificar a impunidade na noite de lisboa, vá buscar exemplos a outras cidades europeias onde a noite está em grande medida regulamentada e onde o paroxismo da incivilidade não chega, nem de perto, nem de longe ao que acontece em Lisboa. Afirmado por portugueses e por inúmeros estrangeiros que nos visitam.

O sr. AR não será o único viajado. Ou antes, se afirma que noutras cidades é pior do que Lisboa, talvez nunca tenha mesmo viajado.

A noite de Lisboa é hoje inimiga da cidade e dos seus habitantes. Só não vê quem não quer ver. o seu caso, afinal

Anónimo disse...

Entretanto, em Luzerna, Suíça:

http://f.blick.ch/img/aktuell/origs732248/7200487249-w980-h640/Fast-food-abfall-mc-donalds.jpg

Anónimo disse...

A minha resposta ao comentário do sr. Velloso foi censurado?
muito bem cumprimentos
António Rocha

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro António Rocha,

Não vi o seu comentário. Terei todo o gosto em responder-lhe, caso queira reenviá-lo.

cumprimentos

Anónimo disse...

O meu comentário, como outros noutros posts, também foi censurado. Boa!

Anónimo disse...

Sr. anónimo das 3:51,

Para parar os vândalos sugiro que a CML ponha a polícia municipal e faça acordo com a PSP para mais e melhores patrulhas a pé.

Sempre que encontrarem um vândalo a agir, obviamente devem cumprir a lei, e responsabilizá-lo!

Não é apenas de noite que eles atuam. No caso que indiquei, houve uma testemunha que os viu, de longe, atuarem de dia. Mas já não teve tempo útil de intervir. Chamou a PSP mas quando chegou o carro patrulha, já há muito que eles se tinham ido embora.

Se os tivesse apanhado, pessoalmente tratava de lhes dar uma sova. Sei que não é o procedimento correto, mas já agi corretamehte durante muitos anos, sem que nenhuma autoridade realmente se importasse em resolver este problema.

Pelo menos aqueles não voltariam tão cedo.

Continuo a achar que se os lisboetas não protestarem contra estas situações, não as denunciarem às autoridades, incluindo à própria CML, isto só vai piorar.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Não vou voltar a escrever aquilo que já enviei.
Se quiserem publiquem aquele que vos chegou.
Não é a primeira vez que acontece. Nunca escrevi nem escreverei nada de ofensivo. O sr. Velloso comentou um comentário meu e eu deveria ter o direito de ver a minha resposta publicada.
Vou perder o meu tempo noutros blogs, este tem alguma qualidade, mas os responsáveis são demasiado fundamentalistas com tiques xenofobos e elitistas.
Vou ali e já venho
António Rocha

AquiMoraGente disse...

O cenário aqui relatado estende-se das Ruas do Bairro Alto ao Cais do Sodré e Santos, não sendo infelizmente possível retratar o cheiro nauseabundo a urina dos milhares de pessoas que permanecem a beber em todo o espaço público.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Caro António Rocha,

Asseguro-lhe que da minha parte não houve qualquer selecção do seu comentário. Não o posso fazer e mesmo que o pudesse, não o faria, salvo se fosse insultuoso e de muito baixo nível o que, estou certo, não seria o seu caso.

Continue a visitar este blogue. As críticas de quem lê, ajudam a afinar o que queremos publicar. O que não significa que estejamos de acordo em tudo.