Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

24/02/2014

Ali já nada havia.

Corta-se uma bela árvore, tempos depois arranca-se o resto do tronco e parte das raízes, mas ainda fica a caldeira a marcar o lugar onde estava essa árvore, a fazer-nos lembrar que ali existia uma árvore, que faz falta, que deveria ser reposta.
Mas como não há vontade nenhuma de repôr a árvore abatida - as árvores são uma chatice, só dão trabalho e podem cair em cima de qualquer um - calceta-se a zona da caldeira.
Pronto. Já ninguém se lembrará mais de perguntar porque não replantam ali uma árvore. O que se documenta aqui, no belo jardim das Amoreiras, passa-se por todo o lado nesta nossa cidade.

8 comentários:

Anónimo disse...

Trabalho e material de calcetamento exemplar! :D

Anónimo disse...

duas coisas positivas:
-- mantiveram a calçada!
-- o passeio ficou mais liberto
com sorte, também tiram a caixa elétrica, e plantam outra árvore do lado de lá da grade.

Anónimo disse...

Mais uma para juntar às centenas de árvores que já foram abatidas neste últimos anos.
Lisboa cada vez mais careca!
A inabilidade a gerir os espaços verdes de Lisboa, no seu melhor!
Só desculpas:
-Mau estado fito-sanitário, que depois não se verifica!
Podas mal efectuadas e incompetência na requalificação dos espaços públicos, em anos anteriores, que depois justificam o seu abate..
-Risco de queda; cá abate-se logo, mesmo que a árvore só apresente um ligeiro declive!

Lá fora fazem o oposto:
Não só impõem medidas que visam a protecção de árvores com este porte, como também garantem a segurança dos transeuntes e dos frequentadores dos jardins!

Lisboa já é das capitais europeias com menos árvores nas suas ruas, agora despem autenticamente os espaços verdes que nos restam!

Anónimo disse...

Mais um:
O monumental Pinheiro Manso no Jardim do Campo dos Mártires da Pátria, caiu há pouco tempo:

https://www.facebook.com/LigaAmigosJardimBotanico/photos/a.166145133403416.36926.158503597500903/755930991091491/?type=1&theater

http://amigosdobotanico.blogspot.pt/2014/02/um-jardim-de-luto.html

Comentários interessantes no facebook, por parte do Sr Amândio Moreira.

FJorge disse...

É bem verdade; já por várias vezes, logo após alertar a CML para 1 caldeira vazia, semanas depois aparece fechada!

Anónimo disse...

Isto cá já é moda há muito!
Ainda se lembram do magnifico jardim do Convento do Inglesinhos?Aqueles enormes jardins podiam muito bem ter sido libertados e transformados em espaço público!
Hoje era certamente um dos espaços de eleição com uma das melhores vistas.
Claro que construir é que dá retorno mediato! O jardim que existia e que era bem visível, a partir da seguinte foto, desapareceu em dois tempos!

http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/xarqdigitalizacaocontent/PaginaDocumento.aspx?DocumentoID=1470332&AplicacaoID=1&Pagina=1&Linha=1&Coluna=1

Anónimo disse...

É incrível... Quem anda a pé por Lisboa percebe mesmo que isto é uma praga.

Será que com as novas competências para as Juntas de Freguesia podemos esperar que estas passem a plantar as árvores arrancadas?
Até no "protegido" Bairro Azul se podem ver umas quatro ou cinco árvores arrancadas há meses e que alguém se esqueceu de substituir.

Anónimo disse...

Não é só em Lisboa:

Vejam o que aconteceu na Guarda, a estes Ulmeiros:
http://sombra-verde.blogspot.pt/2014/02/vandalismo-de-estado.html

E eram árvores classificadas!