...

...

18/11/2016

Tapada das Necessidades - vergonha - para quando a sua reabilitação de facto?


Exmo. Senhor Vereador José Fernandes


C.C. PCML, AML e media

​Somos a enviar o nosso protesto a V. Exa. pela continuação do estado vergonhoso em que se encontra o património não arbóreo da Tapada das Necessidades, oito anos passados sobre a assinatura do protocolo entre a CML e o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Com efeito, e pese embora o restauro da Estufa promovido pela CML e que aplaudimos oportunamente, tudo o resto são promessas de reabilitação por cumprir, sem que o mesmo deixe de estar partido ou abandonado, não servindo de desculpa à inacção da CML o facto dos concursos públicos relativos aos espaços a Norte (zona do antigo zoo) terem ficado desertos. A​ssim:

​1. A​s e​struturas de apoio do jardim​​ ​(​algumas centenárias​)​ est​ão​ em ruínas, ​ou ​abandonadas, ​ou ​com vidros partidos, telhas quebradas, janelas e portas fechadas a tijolo e cimento. Estas antigas casas de apoio aos caseiros poderiam servir hoje para apoiarem instituições da sociedade civil​, por exemplo.​
2. Apesar da proibição é frequente ver bicicletas e cães circulando livremente no jardim.
3. A ronda do segurança privado é realizada a carro, pelos caminhos e acessos internos no jardim, com desperdício de combustível, despesa desnecessária e patrulhamento ineficiente (porque ficam sempre excluídas as zonas inacessíveis ao veiculo)​.​
4. Vários monumentos (lago, fonte do leão, etc) estão vandalizados com tag​s​ e graffiti​, faltando muitos elementos escultóricos​.
5. Existem estátuas decapitadas - há vários anos - no jardim​.​
6. O lago circular est​á​ cercado de uma fita improvisada que visa ​impedir ​o acesso ao mesmo devido a "perigo de queda e afogamento". Certamente que existem formas mais eficazes e esteticamente mais adequadas de fazer este aviso...

​Fazemos votos para que com a aproximação das eleições de 2017, finalmente, a CML se decida a fazer obra a sério na Tapada das Necessidades.​

Melhores cumprimentos

Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Rui Martins, António Araújo, Maria do Rosário Reiche, Nuno Vasco Franco, Inês Beleza Barreiros, Gustavo da Cunha, Luís Marques da Silva, Carlos Moura-Carvalho, Júlio Amorim, Miguel Sepúlveda Velloso, Beatriz Empis, José Amador, Jorge Santos Silva, Irina Gomes

Lisboa, 17 de Agosto de 2016


Fotos: Rui Martins

...

Resposta do Vereador Sá Fernandes ao nosso alerta/protesto:

8 comentários:

Anónimo disse...

Estão todos num estado lastimável.

Tapada das Necessidades, Jardim Botânico Tropical; o Jardim Botânico da Escola Politécnica, que em 2013 venceu o orçamento participativo, está como está - e isto depois de todo o investimento que foi feito.

Já para não falar dos jardins públicos: Santos, Príncipe real, Corredor Verde de Monsanto..

Para juntar a isto, no meio deste calor infernal as pessoas querem abrigar-se e não podem pois a maior parte das ruas estão transformadas em autênticos terreiros e as árvores de porte adulto estão a desaparecer a olhos vistos.


Anónimo disse...


Estou espantado !
Realmente, isto ultrapassa o que pensamos por vezes ser pessimismo ...
A situação não reflete FALTA DE VERBAS
A situação traduz sim uma política e uma atitude perante a riquesa do nosso património condenável.
É o ABANDALHAMENTO E INCOMPETÊNCIA dos responsáveis por este magnífico espaço da cidade, e também o deixa andar de freguesias e da CML.
Devemos denunciar junto de amigos e moradores esta situação deplorável .
Para que servem constantes obras elogiadas pela imprensa cada vez mais
seguidista ?



Raquel disse...

Deslocada há 4 anos no Porto, sigo o vosso blog para ir ficando a par do que se passa na "minha" querida cidade. Lamento profundamente a situação em que está, de facto acho que a falta de verbas não é desculpa, aqui no Porto não posso afirmar que esteja tudo bem, mas vê-se permanentemente pessoal a limpar e cuidar dos jardins e até as placas relvadas ou com arbustros das avenidas são cuidadas, posso estar errada mas quanto a mim em Lisboa falta pessoal que trabalhe e há excesso de Doutores e Engenheiros nos serviços camarários.

Julio Amorim disse...

Não poderia estar mais de acordo com os dois anónimos. Pérolas a porcos ou, imaginem estes patrimónios em terras de França ou Itália -
estariam nesse estado ?
Quanto à treta da "falta de verbas" continua a servir de camuflagem para a incompetência total de muitos responsáveis. Em muitos pontos de Portugal os jardins públicos estão em muito bom estado de conservação (!?)....será que isso depende das "verbas" ou do orgulho e zelo dos seus responsáveis e trabalhadores ?

Filipe Melo Sousa disse...

Todos gostam de ver jardins bonitos, pagos pelos outros. Mas o país está falido, e ninguém quer pagar. Só ver resultados bonitos pagos pelos outros

Julio Amorim disse...

A resposta do vereador foi soberba....está tudo bem...ou melhor que antes...ou está quase a ficar....ou ??

Anónimo disse...

Com as obras que estão a decorrer por toda a cidade de Lisboa, falta de verbas não é certamente.

Pinto Soares

Anónimo disse...


Lamentável destruição, num Município que desperdiça dinheiro dos contribuintes.