Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

08/07/2014

CASA SANTA?

Todos sabemos, porque lemos, que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é uma das maiores proprietárias de imóveis da capital. Prédios, apartamentos, palácios e palacetes, conventos -  a lista é vasta, rica e... em risco.
O número 2 da Rua Andrade, que faz gaveto com a Rua Maria da Fonte é, sem a mais sombra de dúvidas, a grande jóia da rua, se não do bairro. Construção da segunda metade do séc. XIX, este edifício maravilhoso teria dignidade para constar nos roteiros de qualquer cidade europeia a quem todos associam arquitetura civil de qualidade. Mas como teve a pouca sorte de nascer em Lisboa, o futuro deste edifício, actualmente nas mãos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, é mais do que incerto. Não quero avançar que vá ser demolido... calma! Mas o que lhe espera pode bem ser algo próximo à demolição. 
Segundo me esclareceram, depois de 3 pedidos de intervenção, nos últimos 10 anos, cujos cartazes ainda estão pendurados nas varandas à espera que apodreçam e sejam reclamados de volta ao pó pelo tempo, vai entrar um novo pedido para a transformação do edifício em hotel. Sim, leram bem.
Como sabemos, por experiência, que tipos de tratamento levam os edifícios para os transformar em hotel - como o caso do Hotel CS Vintage na Rodrigo da Fonseca ou o Holliday Inn Express na Avenida Alexandre Herculano - temo pelos interiores deste exemplar digníssimo da iniciativa da burguesia portuguesa que não poupava nas artes decorativas.
Nos anos 60 as pinturas murais da entrada já haviam sido cobertas por tinta mas os interiores estavam ainda íntegros. Há 10 anos a SCML recuperou a belle étage (andar nobre) e arrendou-o por mais de 2.000 €. Esta fração tem vários salões temáticos, onde a decoração de gessos e pinturas murais refletem o tema (sala da música, sala da caça...). O Jardim de inverno pode, ainda, ser visto nas traseiras, que vão ser obliteradas para os costumeiros parques de estacionamento.
Um cidadão italiano, residente em Lisboa, maravilhado pelo edifício, ofereceu-se restaurar, pro bono, a porta de entrada mas foi recusado pela SCML. Os inquilinos do r/c ofereceram o restauro das escadarias em ferro fundido, de gosto neo-gótico, mas também foram recusados.
Como vai reagir a CML perante a destruição deste património? Alguém quer fazer uma previsão?
Magnífico exemplar de arquitetura civil dos finais do séc. XIX. Assim nunca mais se vai fazer.
Às portas faltam os puxadores de bronze. Roubados!
Logradouros. Tem um jardim de inverno e reparem, nas varandas, as estruturas em madeira lindíssimas. Fechar marquises assim... SIM, por favor!

Gravem estas imagens na memória. Não vai existir por muito mais tempo

O lado positivo da degradação. A pintura cai e deixa transparecer as pinturas murais originais.
Por mais este caso quero deixar os meus parabéns a Lisboa, aos lisboetas, à CML e à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa na pessoa do seu Provedor Pedro Santana Lopes.

5 comentários:

Anónimo disse...

Atenção que as fotos que colocaram mostram interiores que são "irrecuperáveis".

Tomás.

Anónimo disse...

Este prédio é lindíssimo!
Vivi sempre toda a minha vida em Lisboa e desconhecia a sua existência!

Anónimo disse...

Pois é Tomás!
fez tantas recuperações, 1200m2 delas e escreve essa barbaridade! Os interiores são total e completamente recuperáveis! Eu conheço bem este edifício, no r/c tem uma empresa de leilões.
Como escrevi em post anterior você deu mais provas de ser completamente inabilitado para intervir em património e deveria ser proibido de se aproximarm sequer, de algum edifício antigo. Você é um perigo e a sua ignorância (e possível má-fé porque o que conta é o rentável, não é?) é o que tem destruido a nossa cidade.
Faça uma coisa: pegue nos seus 30 anos, vá para um qualquer país da Europa ocidental e tente fazer lá o que faz aqui. Além de ser taxado de incompetente vai, pelo menos, aprender com a experiência e voltar com mais capacidades porque agora não tem, ponto!

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Já enviei pedido de esclarecimento à SCML.

A isto junte-se o que se passa com a Calçada da Estrela e adjacentes: Rebentam-se fachadas, destruindo a sua simetria para construir garagens e portões gigantescos que em tudo contribuem para tornar mais fechada a cidade, trasnformando-a, a pouco e pouco, num gigantesco condomínio.

CIDADANIA LX disse...

Resposta da SCML: «
Boa tarde,
O Departamento de Gestão Imobiliária e de Património da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) regista o vigilante acompanhamento dos temas ligados ao Património e à cidade de Lisboa desenvolvido pelo Fórum CidadaniaLx e esclarece que “Cuidamos do nosso património” apostado na sua reabilitação e valorização com respeito pelos valores patrimoniais, históricos e culturais.
Relativamente ao edifício sito na Rua Andrade, n.º 2, propriedade da SCML, informamos que não foi equacionada a hipótese de transformar o mesmo em Hotel, pelo que desmentimos, em absoluto, o cenário descrito para o mesmo. A operação prevista mantém as características do projeto original e tem em conta a qualidade arquitectónica do prédio.
Estaremos sempre disponíveis para confirmar ou esclarecer o Fórum CidadaniaLx sobre as nossas intervenções em património da cidade.
Melhores cumprimentos,
Helena Canto Lucas»