06/01/2016

Obras condicionam trânsito no Cais do Sodré por ano e meio


In Público Online (5.1.2016)
Por Inês Boaventura

«A circulação automóvel no Cais do Sodré e nas artérias envolventes está condicionada, devido às obras de requalificação do espaço público que a Câmara de Lisboa tem em marcha e que deverão prolongar-se até meados de 2017.

Em comunicado, a autarquia informa que “os condicionamentos à circulação” tiveram início no dia 4 de Janeiro, segunda-feira, e explica que na sua origem está a “primeira fase das obras de requalificação do Cais do Sodré/Praça Duque de Terceira, Corpo Santo e Ribeira das Naus”.

Segundo esse comunicado, “nesta fase, o tráfego proveniente da Av. Ribeira das Naus com destino à Av. 24 de Julho e Rua do Alecrim far-se-á através do Largo do Corpo Santo / Rua Bernardino da Costa”. Na informação divulgada pela autarquia não há qualquer indicação relativamente ao período pelo qual se manterá essa situação nem sobre quais serão as fases seguintes.

Há cerca de um mês o presidente da Câmara de Lisboa afirmou, durante uma visita com jornalistas ao Campo das Cebolas e ao Cais do Sodré, que o município ia fazer “um plano excepcional de desvios de tráfego”, a começar na Avenida de Ceuta e a acabar em Xabregas. Até à data, nada mais foi dito sobre esse plano. Na ocasião, Fernando Medina deixou também a garantia de que “em momento algum” a circulação automóvel iria ficar “totalmente vedada” na área da frente ribeirinha que está a ser alvo de intervenção. [...]»

... Desde que mantenham TODAS as árvores e plantem mais, mantenham todos os quiosques, a calçada portuguesa e todos os candeeiros antigos, bem como o eléctrico e ampliem as zonas pedonais, e tem a CML carta branca, pois Roque Gameiro e o Dq da Terceira iriam gostar. Mto.gostava de saber era o que fizeram aos repuxos de água do projecto de requalificação original...

13 comentários:

Pedro Vaz disse...

Mais 2 anos de dores de cabeça para quem têm de cruzar esta zona da cidade,já não basta o calvário que é quando se lembram de fechar a Ribeira das Naus

Anónimo disse...

Dores de crescimento, Pedro. O Terreiro do Paço foi igual e está muito melhor.

Vasco disse...

Essa zona é bem servida de autocarro, electrico, metro e comboio. O condicionamento automóvel não traz assim tantos transtornos.

Vasco disse...

Esse Pedro Vaz mete Londres como fotografia de fundo, e depois vem para aqui queixar-se do condicionamento automóvel em Lisboa...

Anónimo disse...


Não esquecer os bancos antigos de jardim, e não oolocarem paralelipípedos de PEDRA , bem duros ... e perigosos paraidosos e crianças.

Sabem para onde foram os antigosandeeiros do Terrero do Paço ??

Há que repô-los, um dia ...

O DINHEIRO NOSSO que a CML desperdiça ... alguém lucra ...

Anónimo disse...

"O Terreiro do Paço foi igual e está muito melhor"??
Já viu a zona junto ao Ministério das Finanças, do lado de lá do Terreiro de Paço? Acha que aquilo está melhor? Os autocarros até têm de subir um resto de uma plataforma de cimento que por lá está. Aquilo está um nojo!

Pedro Vaz disse...

Sr. Vasco a minha foto é pessoal e nada tem a ver com a maravilhosa e unica cidade de Lisboa ou o sr nunca viajou? Alem de que

Pedro Vaz disse...

Além de que em Londres os transportes públicos funcionam muito melhor,é que lá os chicos espertos que andam sempre na faixa do "bus" comem a valer.
E sou a favor do progresso acho que as obras na praça comércio foram bem feitas mas porque não aproveitaram os anos de congestionamentos para fazer as obras no cais do sodre e no campo das cebolas? Todas as obras de melhoramentos são bem vindas mas primeiro devem minimixar da melhor forma possível os transtornos causados.

Anónimo disse...

Essa zona não foi ainda requalificada.

Anónimo disse...

"Aquilo está um nojo!" - porque quando a Ribeira das Naus tinha um jardim decrépito e perigoso onde dormiam mendigos e onde era perigoso passar à noite aquilo estava óptimo. Sim, a obra está incompleta. Isso não é suficiente para invalidar o que eu disse E o lado de que não falou, aquele de que as pessoas hoje em dia podem disfrutar em vez de fugir? Está um nojo? Tenha juízo.

Anónimo disse...

Em vez de andarem com guerras e a dizer mal de tudo, mais valia manifestarem apoio à requalificação da segunda circular, que irá tornar Lisboa mais humana e agradável para viver.

Anónimo disse...

Acha mesmo Anónimo? A requalificação de segunda circular, como todo e qualquer projecto de renovação do bafio desta cidade, será contestado com unhas e dentes. Uma espécie de versão agressiva da chamada "revolução na continuidade".

Anónimo disse...

Em 40 anos de democracia o actual executivo (Costa/Medina/Salgado) é o unico que está a fazer alguma coisa por Lisboa e a tentar colmatar erros feitos pelos anteriores, independentemente do partido.