...

...

19/03/2015

Voluntários vão 'vigiar' lixo na rua em Lisboa

foto: Lisboa SOS

Lumiar vai ter projeto-piloto que aposta na prevenção para reafirmar que "Lisboa é Linda". Objetivo da câmara municipal é que iniciativa seja "progressivamente" alargada às restantes freguesias da cidade.
António Sequeira, antigo secretário-geral da Federação Portuguesa de Futebol e há 40 anos residente no Lumiar, esperou sempre que "alguém pegasse" na ideia que lançou a 7 de maio, na reunião descentralizada do executivo municipal naquela freguesia, para que fosse criada "uma organização de voluntários para melhorar as condições de higiene das ruas" da capital. Na manhã desta quarta-feira, esteve presente na sessão da apresentação do "Lisboa é Linda" - uma iniciativa inserida na programação da Lisboa: Capital Europeia do Voluntariado'2015 e que dá forma à proposta que fez publicamente há cerca de dez meses.
O objetivo, ressalvou aos jornalistas Duarte Cordeiro, vereador da Higiene Urbana, não é que os voluntários recolham o lixo depositado nas ruas, mas sim que ajudem, através dos seus alertas, os trabalhadores do município e da Junta de Freguesia do Lumiar a identificar locais em que, por exemplo, os sacos se acumulam em torno de ecopontos, no passeio ou perto de um estabelecimento comercial.
Na prática, explicou ao DN o presidente da maior freguesia de Lisboa, Pedro Delgado Alves, trata-se de ter "uma bolsa de pessoas" que podem, em certas ocasiões, ser chamadas a ter uma maior atenção ao lixo depositado na rua, devido à previsão de que este aumente. Exemplo disso são os dias em que há greve dos trabalhadores da higiene urbana, a época dos Santos Populares (em junho), a quadra natalícia ou, até, as datas em que a equipa de futebol do Sporting joga no Estádio Alvalade XXI, situado nos limites da freguesia.
Além disso, os voluntários podem ainda participar em ações de sensibilização - nomeadamente junto das escolas públicas e privadas sediadas no Lumiar - e atividades pontuais de limpeza, como a "Caça ao Lixo" que irá decorrer no próximo sábado no Bairro da Cruz Vermelha. A iniciativa estava já programada e antecede em cerca de um mês o início oficial do projeto-piloto a que qualquer pessoa pode aderir, bastando para tal inscrever-se no Banco de Voluntariado para a Cidade de Lisboa.
Para já, o "Lisboa é Linda" está circunscrito ao território do Lumiar, mas, segundo Duarte Cordeiro, a intenção da autarquia é que o projeto seja "progressiva e paulatinamente" alargado às restantes 23 freguesias de Lisboa. "O Lumiar dá um exemplo que faz sentido na cidade inteira", frisou durante a apresentação que decorreu no Jardim de Inverno da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL), a poucos metros do local onde, em maio, António Sequeira propusera a iniciativa. "Às vezes, o voluntariado também é isto: agarrar as oportunidades e desenvolver a oportunidade de fazer melhor", rematou o vereador dos Direitos Sociais na câmara municipal, João Afonso.

in DN, 2015-03-19 por por Inês Banha
..................................................................................

Esta porcaria já com 15 anos dentro do séc. XXI....é inaceitável

9 comentários:

Anónimo disse...

Isto não vai dar em nada porque as pessoas não estão para pôr as coisas nos ecopontos com voluntários ou não.

Basta dizer que na minha zona tenho pessoas que põem o lixo na tampa do contentor porque não estão para o abrir. O consciencioso que vier a seguir que meta o seu lixo e o do outro.

No caso dos ecopontos vou dar uma sugestão a quem os projecta. Porque é que no caso dos amarelos e azuis eles não têm uma boca maior, pois há objectos que não cabem e as pessoas deixam as coisas na sua frente ou de lado. No amarelo é gritante esta situação...

Anónimo disse...


LISBOA, capital daimundície e da destruição do Património.

Anónimo disse...

Na praceta, em frente à minha janela, há contentores para o lixo devidamente identificados. É com alguma frequência que vejo pessoas com sacos de lixo, que pura e simplesmente, não abrem a tampa, deixam os sacos ao lado dos contentores. Com gente deste género não há nada a fazer...

Anónimo disse...

mais outra ideia para deitar ao lixo....

ora vamos lá ver:
-- O objetivo ... não é que os voluntários recolham o lixo depositado nas ruas, mas sim que ajudem, através dos seus alertas, os trabalhadores do município ....
-- Na prática ... trata-se de ter "uma bolsa de pessoas" que podem, em certas ocasiões, ser chamadas a ter uma maior atenção ao lixo depositado na rua, devido à previsão de que este aumente. Exemplo disso são os dias em que há greve dos trabalhadores da higiene urbana...

Se os voluntários não vão apanhar o lixo, quem o vai apanhar então nos dias de greve dos trabalhadores da higiene urbana?

Não precisamos de mais sensibilização mas sim de mais multas.

Anónimo disse...

Deviam era fazer como na Grécia e contratarem os turistas para fazerem essas tarefas, eh eh eh

Anónimo disse...

Recordam-se de há dias ter sido aqui noticiada a limpeza e recuperação do chafariz da Esperança?

Pois hoje calhou passar na Av. D. Carlos I e fui até lá: encontrei dejectos (!), variadíssimas embalagens vazias de toda a espécie de líquidos, o pavimento cheio de buracos (designadamente do lado da Rua da Esperança, buracos esses que não parecem nada ter sido produzidos depois da tal recuperação...)

Conclusão: o melhor mesmo, hoje em dia, é a gente abster-se de ir ver seja o que for.

Julio Amorim disse...

Uma tristeza profunda isso que aqui refere anónimo das 5:54....
Por outras cidades Europa fora, tudo limpo e a FUNCIONAR. Em Lisboa é lixeira com garantia....
Bolas....esta gente que nos governa não consegue resolver todos estes problemas, que em outros países nem nunca existiram ??

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Reagindo ao anónimo das 5.54,

Será que pode enviar para o fórum fotografias disso mesmo?

5:54 da tarde disse...

Agradecendo o interesse no que comentei quanto ao Chafariz da Esperança, entendo que o problema actual não é apenas de governantes (autárquicos ou mesmo nacionais) em exercício. É ter-se permitido alegremente ao longo de anos que o vandalismo e o incivismo mais burgesso tivessem tomado conta da parte histórica de Lisboa.

Fotos do local não tirei e fiquei sem vontade nenhuma de lá voltar, embora, volta e meia, passe na Av. D. Carlos I. Mas o que descrevi corresponde àquilo com que deparei na passada sexta-feira, 20/03/2015, cerca das 17 horas.