Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

16/10/2014

Hemeroteca de Lisboa reabre "provisoriamente" em 2015 nas Laranjeiras

Este equipamento municipal está encerrado há um ano, não havendo qualquer data prevista para a sua instalação definitiva na Lapa.
Por Inês Boaventura, Público de 16 Outubro 2014



 Durante 40 anos, a Hemeroteca Municipal de Lisboa esteve instalada no Palácio dos Condes de Tomar

De um palácio no Bairro Alto para um edifício residencial nas Laranjeiras: a Hemeroteca Municipal de Lisboa, que fechou as portas em Setembro de 2013 com a promessa de reabrir no ano seguinte no Complexo Desportivo da Lapa, vai passar a funcionar num espaço camarário na Rua Lúcio de Azevedo a partir do início de 2015.
A notícia, que tinha sido avançada pela publicação online O Corvo, foi confirmada esta quarta-feira ao PÚBLICO pela Câmara de Lisboa. Segundo informações remetidas pelo gabinete da vereadora da Cultura, a reabertura da hemeroteca “está prevista para o final do primeiro trimestre de 2015, princípio do segundo” e ocorrerá, “provisoriamente”, nos números 21 A e 21 B da Rua Lúcio de Azevedo, na freguesia de São Domingos de Benfica.
Questionada sobre quais as valências que a hemeroteca terá nesse novo espaço, o município fez saber que nele “serão disponibilizadas as valências nucleares de uma hemeroteca municipal, assegurando desta forma o normal e eficiente funcionamento deste equipamento, atendendo às necessidades manifestadas pelos munícipes e utilizadores”.
E foi o projecto de instalação deste equipamento municipal no Complexo Desportivo da Lapa, cuja propriedade transitou da imobiliária de capitais públicos Estamo para o município, abandonado? A vereadora Catarina Vaz Pinto garante que não, informando que “o projecto de instalação definitiva da Hemeroteca no complexo da Lapa encontra-se em desenvolvimento”. Sem resposta ficou a pergunta sobre quando é que se prevê que essa intenção seja concretizada.  
A ideia de que esse projecto está “em desenvolvimento” não é nova: tanto em Outubro de 2013 como em Fevereiro de 2014 a câmara transmitiu ao PÚBLICO, através do gabinete do vereador do Urbanismo e Reabilitação Urbana, que “a solução” para o Complexo Desportivo da Lapa ainda estava “em estudo”, sendo certo que incluiria uma vertente cultural e outra desportiva. 
A hemeroteca, que em 2011 celebrou o seu octogésimo aniversário, esteve instalada durante quatro décadas no Palácio dos Condes de Tomar, na Rua de São Pedro de Alcântara. Quando o edifício passou para a posse da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, os mais de 20 mil títulos de publicações periódicas portuguesas e estrangeiras que ali estavam reunidos foram armazenados e deixaram de estar acessíveis ao público.   
Nessa altura, a câmara informou que “durante o período de encerramento” iria funcionar, na Biblioteca Camões, no Largo do Calhariz, “o Serviço de Referência Especializado em Publicações Periódicas, criado para garantir todo o apoio informativo e de referência aos utilizadores”. Na prática, explicou então o município, esse serviço serviria “para ajudar a pesquisar, informar e encaminhar os leitores e investigadores especializados” para locais de consulta alternativos à hemeroteca.
Mas, afinal, ao contrário do que tinha sido anunciado, esse serviço acabou por ser prestado presencialmente apenas durante um mês. Depois disso, segundo transmitiu o município já em Março de 2014, ele passou a ser assegurado “à distância, por e-mail ou por telefone”. “Após balanço interno da actividade e desempenho do serviço de referência, constatou-se que afluência de leitores da Hemeroteca à Biblioteca Municipal Camões era pouco significativa”, justificou a autarquia, explicitando que num mês tinha havido 75 pessoas a recorrer a essa possibilidade.


Sem comentários: