...

...

12/02/2016

Depois de tanto ano de desmazelo, deixa andar e delapidação dos interiores, é o melhor que pode arranjar :-(


In Diário Imobiliário (11.2.2016)

«Sottomayor Residências: O novo projecto do Marquês de Pombal

O Marquês de Pombal, em Lisboa, vai receber o primeiro projecto residencial de referência. O Sottomayor Residências que resulta na reabilitação de um conjunto de edifícios, incluídos na Carta Municipal do Património Edificado e Paisagístico da cidade de Lisboa.

Promovido pela COPORGEST, o projecto localizado na Avenida Duque de Loulé, representa um investimento de cerca de 60 milhões de euros e está a ser comercializado em co-exclusividade pela consultora Fine & Country.

O empreendimento compreende uma oferta de apartamentos de tipologias de T0 a T5, com áreas entre os 55 e 221 m², distribuídos por 4 edifícios e com uma área de lazer comum com uma piscina e um generoso jardim. Todos os apartamentos vão dispor de um ou mais lugares de estacionamento em cave. [...]»

...

Que parvo foste, Cândido Sottomayor, em deixares o que deixaste a Lisboa. Devias ter emigrado :-(

6 comentários:

Anónimo disse...

O interior do edificio acabou por ser demolido graças à incompetência dos antigos proprietários e da CML que não souberam dar-lhe valor. Ao que parece, fizeram o melhor que poderam (ou estão a fazer)... não havia outra solução.

Anónimo disse...

Qual a alternativa que o cidadanialx propunha para o edifício?

Pedro Vaz disse...

Concordo a 100 % entre continuar na vergonha que estava e fazer algo é sempre melhor fazer algo,para não acontecer como o parque Mayer onde não deixaram fazer nada,embargando todos os projectos(goste se ou não )para depois ficar como está hoje

Filipe Melo Sousa disse...

Não emigrou o Cândido mas emigraram outros tantos, que em Lisboa não deixam fazer nada. Não pode ter carro. Não pode estacionar. Não pode deitar fora o lixo em lado nenhum. Não pode construir. Não pode remodelar sem tirar os azulejos saloios. Não pode sair à noite em Santos. Não pode abrir loja se for chinês. Não pode alargar a esplanada.

Os que ficaram que paguem a festa. Que os jovens e os contribuintes já não aí moram.

Anónimo disse...

A alternativa do Cidadania LX era recuperar o edifício integralmente como era no século XIX, de preferência usando técnicas e materiais do século XIX (incluindo não usar gruas nem computadores, esses atentados ao bom gosto) e mantendo o projecto de raiz, incluindo a falta total de isolamento térmicos e acústico, o que tornaria a vida nesse edifício um prazer inaudito, talvez com um bocadinho de trânsito à porta e a televisão do vizinho a entrar pelo quarto dentro, mas isso é culpa do Sottomayor, que já devia ter previsto no projecto a invenção do automóvel e da televisão. De facto não percebo como é ainda há gente disposta a viver de outra forma que não esta. Eles que emigrem e deixem cá os verdadeiros lisboetas!

Julio Amorim disse...


http://cidadanialx.blogspot.se/2014/08/assim-tambem-se-pode-fazer.html