NÃO PERCA:

NÃO PERCA:

11/05/2012

Igespar arquivou processo


Em 2010, o Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar) determinou a abertura de procedimento administrativo relativo à classificação da capela. Em causa estava, segundo o organismo, o "reconhecimento do interesse histórico e do valor de antiguidade" do templo, "remontando a sua fundação ao século XVII" - e não XVI como é referido pelos críticos da demolição. Segundo o Igespar, "apesar de o edifício ter sofrido reformas significativas nos séculos XIX e XX, mantém ainda características originais, nomeadamente ao nível da planimetria, consubstanciando-se como exemplar de uma tipologia de construção religiosa particular da paisagem rural da diocese de Leiria".
Contudo, em Março de 2011, o mesmo instituto viria a determinar o arquivamento daquele procedimento de classificação. Esta decisão "teve por fundamento o parecer emitido pela Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico de que a Capela de Nossa Senhora das Necessidades não reúne os valores patrimoniais inerentes a uma distinção como valor cultural de importância nacional", refere. O.C.

Sem comentários: