Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

14/03/2014

«Cities Mobilize to Help Those Threatened by Gentrification»

PHILADELPHIA — Cities that have worked for years to attract young professionals who might have once moved to the suburbs are now experimenting with ways to protect a group long deemed expendable — working- and lower-middle class homeowners threatened by gentrification.
The initiatives, planned or underway in Boston, Philadelphia, Washington, Pittsburgh and other cities, are centered on reducing or freezing property taxes for such homeowners in an effort to promote neighborhood stability, preserve character and provide a dividend of sorts to those who have stayed through years of high crime, population loss and declining property values, officials say.
Newcomers, whose vitality is critical to cities, are hardly being turned away. But officials say a balance is needed, given the attention and government funding being spent to draw young professionals — from tax breaks for luxury condominium buildings to new bike lanes, dog parks and athletic fields.
“We feel the people who toughed it out should be rewarded,” said Darrell L. Clarke, president of the Philadelphia City Council, which last year approved legislation to limit property tax increases for longtime residents. “And we feel it is incumbent upon us to protect them.”

Artigo completo aqui: http://mobile.nytimes.com/2014/03/04/us/cities-helping-residents-resist-the-new-gentry.html?from=global.home

Foto: Colina do Castelo, um dos bairros ameaçados de gentrification, tal como a Colina de Santana e o Príncipe Real, com a monocultura dos projectos de habitação de luxo, hotéis de charme, short term rentals, etc... O que estará a CML a fazer para responder a estes novos problemas? Nada até que o problema seja tão grave que terão de reagir - Lisboa, quase sempre a reagir e quase nunca a prevenir, antecipar...

3 comentários:

Anónimo disse...

Até que problema da gentrificação chegue a Lisboa ainda temos muito para andar, uma cidade que perdeu 50.000 hab. só nos últimos 10 anos tem mais com que se preocupar!

Ines B. disse...

Não percebo certos anónimos que vêm comentar aqui - sempre sobre anonimato - a hierarquização dos problemas da cidade de LX (o que deve ser ou não discutido e quando). Não concordo nada. Este problema já se faz sentir em Lisboa; talvez não à escala de NY ou das cidades referidas no artigo, mas o melhor é ir sensibilizando as pessoas para que depois não seja tarde demais como de costume.

Anónimo disse...

não me parece que o IMI de um edifício aumente só porque foi construído um condomínio de luxo na mesma rua. property taxes nos E.U. são bastante diferentes do IMI.