Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

09/08/2013

Câmara de Lisboa cedeu Casa da Severa por 350 euros/mês sem consulta ao mercado


In Público Online (9.8.2013)
Por José António Cerejo

«Autarquia gastou 281 mil euros na recuperação do espaço. Foi convidada uma única empresa.

A Câmara de Lisboa, através da empresa municipal que gere os seus equipamentos culturais (EGEAC), cedeu a exploração de um espaço dedicado ao fado, por 350 euros mensais, a uma empresa acabada de criar e antes de a convidar a apresentar a sua proposta. [...] A documentação disponibilizada ao PÚBLICO pela EGEAC mostra que o seu presidente, Miguel Honrado, aprovou no dia 28 de Junho uma proposta da directora do Museu do Fado que contemplava "a celebração de um protocolo de parceria" com a Conquistamelodia para a Casa da Severa. A proposta dizia que a empresa "assumiria todos os encargos decorrentes da exploração do espaço (restaurante, cafetaria e programação regular de fado)", pagando à EGEAC uma "renda" mensal "não inferior a 350 euros"....»

2 comentários:

Anónimo disse...


Mais UM CRIME contra o Património,desta vez o Património MATERIAL do Fado.
O outro é Imaterial, se não também ia para as aldrabices Salgado/Costa.

Como é possível terem desvirtuado esta Casa da Severa, com demolição de interiores históricos, construção no exterior de escada e janela modernaça ???!!!

Nunca poderemos VER como habitava a grande Severa !!
Um CRIME CONTRA O FADO, LISBOA e o TURISMO CULTURAL !!!

SUGESTÃO : Poque não uma Candidatura Urgente à DGPC deste tipo de locais por onde o FADO passou e foi crescendo, antes que o pouco que resta seja DESTRUIDO ??!!
Porque não uma QUEIXA do Fórum à UNESCO ?

JJ disse...

Porque não deixar apodrecer, em nome da história?