04/10/2013

A Polícia e Nós

O que tem de errado esta imagem?

Não, não! Tentem abstrair-se do prédio em ruínas que já fez notícia em televisões e jornais e que, a julgar pelas janelas abertas, e apesar de estar à venda por um valor injustificável, estão à espera que caia.

Vejam, então, com mais atenção:

Pois é, enquanto que a passagem de peões, com semáforo está tomada, de ambas as pontas, por carros - o que é aqui uma ocorrência comum e constante - os agentes estão de costas voltadas à patente ilegalidade!
Estes defensores do Estado de Direito são vistos a caminhar pelas ruas, totalmente insensíveis às mais elementares violações da lei. Por vezes ficam numa "amena cavaqueira" com colegas que fazem a segurança privada de uma ourivesaria mais acima na Morais Soares, mesmo sendo agentes do Estado. O que me leva a perguntar, com bastante pertinácia quer-me parecer, como é possível que haja uma falta de operativos com que bastantes vezes justificaram-me a falta de atuação, quando há bastantes agentes a fazer segurança privada, em supermercados (Minipreço em frente ao Mercado de Arroios), na referida ourivesaria/penhores na Morais Soares, na Ourivesaria no gaveto da Avenida João XXI e de Roma.
Bem, mas mesmo não entrando nessa discussão sensível, pelo menos podem justificar as imagens? Sempre podem dizer que não é da responsabilidade deles a autuação do estacionamento ilegal, mas com certeza sabem o contacto de quem de direito deve agir nestes casos, ou não?
Devo dizer que não é só aqui que tal acontece: a polícia municipal passa inúmeras vezes por ruas como a Avenida de Roma, em frente ao McDonalds onde uma e por vezes duas (!) vias estão tomadas por estacionamento ilegal, e nada, rigorosamente nada faz.
O que fazer?

6 comentários:

Carlos Medina Ribeiro disse...

«O que fazer?»
Talvez informar a troika de que o Estado, além de dispensar a cobrança de milhões de euros em multas, ainda paga outros milhões em ordenados a uma caterva de funcionários que não fazem o que devem.
Neste aspecto do estacionamento selvagem, é urgentíssima uma auditoria à DT da PSP, à PM e à EMEL, pois estes agentes (que fecham os olhos) quase de certeza cumprem ordens superiores.
Pelo menos em Lagos, foi isso que me disse um graduado da PSP!!!!

Xico205 disse...

Queixa-te à policia.

Filipe Melo Sousa disse...

Queixa-te à troika

Anónimo disse...

Mais alguma sugestão útil como as duas acima? Isto no caso de haver mais alguém que venha aqui para protagonismo gratuito...

Carlos Medina Ribeiro disse...

Uma sugestão útil:
Fazer depender os ordenndos da EMEL, da PM e da DT da PSP da actuação em casos destes.
Se, numa zona, há, sistematicamente, 500 ou 1000 carros em infracção por dia (como é o caso das Avenidas Novas), alguém terá de ser responsabilizado por haver apenas 2 ou 3 multas no mesmo local e no mesmo período.
Uma boa auditoria (que abrangesse do topo até à base) também ajudaria. E uns quantos processos disciplinares (por manifesta negligência) também seriam eficazes.

A. M.C. disse...

Caro Carlos,
tem sido uma das vozes mais ativas na denúncia às infrações ao Código de Estrada e também já percebi que chegou à fase de se sentir totalmente impotente face à inação das autoridades e poderes políticos em lutar, consistentemente, contra o flagelo do estacionamento ilegal. Estou nessa mesma fase. Mas a minha revolta é tanto maior pelo facto de o Estado de Direito que se diz termos (com as características e condicionantes que estudei) ser uma perfeita ilusão. Não se faz cumprir a lei e, pior ainda, não se deixa cumprir a lei. Ora isto é de uma gravidade atroz mas de alta traição estamos cheios de exemplos nesta nossa República, não estamos?
O que fazer? O que fazer porque denunciar já nada serve?