19/10/2013

Passei por Alfama e vi isto:


Chegado por e-mail:

«Há uma mania em Portugal de estragar sítios bonitos com casas novas em vez de recuperar as casas antigas, que existem e são abandonadas.

Um de muitos exemplos disto é o actual Museu dos Coches. Não seria mais simples ter feito um projecto para acabar e completar o Palácio da Ajuda. Ficava bem na ala incompleta da Ajuda o novo museu dos coches.

Os judeus sempre tiveram algum bom senso, inteligência, cultura e bom gosto, pelo que sugiro que se encontre uma casa antiga na Rua da Judiaria para fazer um Museu, ou atenta a emigração e as viagens seja o mesmo instalado da Estação na Rocha do Conde Óbidos para se visitarem os murais do Almada.

Fazer um prédio moderno em Alfama não fica bem a Lisboa, a Alfama, nem aos descendentes do Rei David.

Com estima

MARTINHO VILLANI»

5 comentários:

Anónimo disse...

Ridículo...

Anónimo disse...

Horrible. Hagan algo

I. B. disse...

Não me parece ridículo, nem «pior» que a recuperação do Chiado Made in Siza, mas cada qual tem a sua forma de ver.

Israel Bloom

Anónimo disse...

Mas é para demolir e fazer um prédio novo?
Expliquem s.f.f. a minha ignorância.
Penso que poderá ser um precedente grave. Ou tem havido mais construções novas em Alfama?
Não se esqueçam da Av. da República.
Estes Arquitectos estão ávidos de mostrarem a suas sensibilidades.
Sonham com Cidades imaginárias com imensas obras-primas.
Cidades para pessoas?
Ou cidades para artistas ou divindades?
Alfama não tem data.
Nas obras-primas de hoje, os arquitectos querem datar?
Não dizem que as épocas são datas?
Que a arquitectura não volta atrás?
Expliquem a minha ignorância.
O que dirão os antropólogos desta relação, arquitectura antiga e pessoas?

Rui disse...

É moderno, mas bastante sóbrio. Se a parte superior for revestida a pedra é capaz de ficar bem enquadrado. Não vejo grande problema.