...

...

17/05/2016

O Turista: o "cidadão principal" de Lisboa?



Em vez das vozes dos nossos vizinhos (cada vez mais a desaparecer dos nossos bairros historicos) ouvimos o barulho das rodinhas destas bagagens. Recentemente um jovem morador em Alfama comentava comigo: "Deixei de ter vizinhos! Apenas resto eu no predio todos as restantes casas estão a ser alugadas a turistas. E em frente tenho um hostel, e ao lado outro em construção. Estão a matar o bairro." Parece portanto que se decidiu (quem?) que os visitantes passam a ser o "cidadão principal" da cidade. Abram todos alas para deixar entrar o Exmo. Turista e mais os seus dollars & euros! A agonia da turistificação do centro histórico de Lisboa... o Turista, o "cidadão principal" da cidade?

12 comentários:

Anónimo disse...

Porque é que não compraram a casa? Supostamente vivem em alfama há décadas e décadas graças a rendas baixíssimas. Dava jeito viver assim.

lmm disse...

"...Parece portanto que se decidiu (quem?) que os visitantes passam a ser o "cidadão principal" da cidade..."

Assumo a minha quota parte de responsabilidade pela decisão. Comprei um imóvel quase devoluto am Alfama, investi e agora arrendo a turistas, esses malvados. Fiz esse investimento, obviamente porque existem turistas e que permitiram a rentabilização. Resultado, Alfama tem mais um imóvel recuperado, que de momento é ocupado por turistas, ma que a qualquer altura pode ser ocupado por um "vizinho" permanente.

O que prefere FJorge? O imóvel devoluto? Preferia que não houvesse turistas e que Lisboa não tivesse centenas de imóveis recuperados devido á sua existência, e consequente regeneração urbana que este blog, justamente, tanto reclama?

PS: Curioso falar do "jovem" de Alfama. Se conhecesse o bairro como eu, provavelmente saberia que existe uma grande probabilidade de esse jovem viver numa casa com uma renda irrisória, não trabalhar, nem querer trabalhar. Pois...assim é fácil ser "vizinho" numa zona privilegiada em termos de mercado.

Anónimo disse...

Como querem revitalizar a histórica Lisboa ?

Continuem a votar nestas ilustres personagens.

Gostamos muito dos nomes da MODA.

Os competentes e sérios não entram nos favoritos, que o POVO gosta tanto.

O POVO gosta dos nomes e vai atrás do populismo.

Mário Esteves disse...

"O que prefere FJorge? O imóvel devoluto? Preferia que não houvesse turistas e que Lisboa não tivesse centenas de imóveis recuperados devido á sua existência, e consequente regeneração urbana que este blog, justamente, tanto reclama?"

Não sou o FJorge nem pretendo falar em nome dele, mas claro que preferia que houvesse menos turistas em Lisboa e que Lisboa tivesse centenas de imóveis recuperados para lá morarem lisboetas.

Além disso, chamo a atenção que os moradores de Alfama, que toda a vida viveram num bairro pobre e desprezado, não têm culpa que agora esse bairro seja "privilegiado em termos de mercado" e têm todo o direito de lá continuarem a viver.

Filipe Melo Sousa disse...

Também tive um apartamento em Alfama que vendi o ano passado. Neste momento é alugado aos tais turistas. Desde que o visionário do Costa bloqueou todos os acessos a partir do terreiro do Paço tive que sair dali. Sim porque eu tinha que ir trabalhar e precisava de me deslocar. Então saí. Mudei inclusive de país para não ter de alimentar políticos corruptos eleitos por eleitores analfabetos. Em 2006 cheguei a acreditar que o centro de Lisboa podia ser revitalizado por pessoas como eu. Mas os vícios ficaram. As antigas leis das rendas a 10€ continuaram e prolongam-se para sempre. Têm o país que merecem. Ou algo mais, porque sem os turistas seria bem pior.

Anónimo disse...

Então vá, FJorge e outros ilustres reivindicadores deste blog, vão morar para Alfama, comprem casas lá e arrendem-nas a habitantes permanentes, encham-nas de habitantes "genuínos" e dispostos a morar por lá de acordo com o caderno de encargos Cidadania LX. O maior cego é o que não só não quer ver mas tem raiva que os outros vejam.

Vasco disse...

Provavelmente os autores do cidadanialx também vivem em Lisboa graças a rendas congeladas...

lmm disse...

Como facilmente se percebe, o pressuposto da minha questão retórica era de que não se pode, de momento, ter os dois ao mesmo tempo (poucos turistas e imóveis reabitados).

E claro que os moradores de Alfama têm todo o direito de lá continuarem a viver. Mas os senhorios não têm a obrigação de fazer caridade. E têm todo o direito de pedir rendas a valores de "mercado". E já agora, se fosse para receber €50 de renda, está bom de ver que nunca teria investido o que investi.

Mas pronto. Ser reaccionário é o novo culto...

Anónimo disse...

Muda-se de país. Queria dizer PAÍS.
Não se muda de Pais.
Dizem que não se muda de Clube.
Em 2006 cheguei a acreditar...
Diga à gente, diga à gente, como vai esse País governado por eleitores não analfabetos.
Vença a saudade e fique por esse País de gente não corrupta.
Diga coisas desse País, porque queremos emigrar para lá.
O Brexit não vai atingir esse paraíso.
Você faz falta para a reconstrução desta espelunca que se chama Portugal.
Digam lá se não foram os capitães que vos deram esta oportunidade de dizerem belas reflexões ?
Por favor fiquem em Lisboa.


Filipe Melo Sousa disse...

quer emigrar para cá? então candidate-se e venha. mas por favor deixe ficar aí os capitães de abril e os discos do zeca afonso que desses não tenho saudades nenhuma

Anónimo disse...

O sr. Sousa quando abre a boca, ou entra mosca,ou sai asneira.

É impressionante que este sr. que anda sempre batido por aqui não escreva nada com jeito.

João

Filipe Melo Sousa disse...

lamento caro anónimo que as minhas palavras não o sirvam a si. felizmente que não preciso de prostituir as minhas opiniões para sobreviver, como muitos outros