Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

22/01/2014

Azulejos

Afinal descobri que estavam a tirar os azulejos antigos para restaurar a fachada com azulejos novos mas copiados dos antigos. Mesmo assim, é pena que alguns dos originais tinham acabado no lixo...

4 comentários:

João Moura disse...

Tá sempre tudo mal, não é? Curem-se... este blog começa a roçar o ridículo! É melhor haver prédios, qualificadíssimos e de inegável valor histórico e arquitectónico, completamente abandonados do que haver recuperação interior mantendo as fachadas? Onde é que vocês que tanto escrevem moram, no Cacém? Eu moro num prédio com perto de 100 anos, o meu andar é remodelado mas seria muito mas muito melhor se fosse um prédio novo por dentro. Enfim...

Anónimo disse...

lol

Lá por o seu prédio ter mais de cem anos não quer dizer que tenha qualquer valor patrimonial ou arquitectónico!

Se ainda não percebeu o que este blog defender faça o favor de abrir os livros, de se instruir e depois reler mais uma vez todos os posts deste blog que "tocam" no assunto!

Pode começar por estes:

http://cidadanialx.blogspot.pt/2011/11/pombalino-de-betao-rua-ivens.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2013/01/abertura-de-2013-celebra-betonizacao-do.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2013/03/se-isto-e-requalificacao-mais-vale.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2013/03/para-quem-nao-acredita.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2011/02/reconversao-urbana-bes-style-rua-rosa.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2013/09/normal-0-21-false-false-false.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2010/12/mais-outro-acabadinho-de-entrar.html

http://cidadanialx.blogspot.pt/2013/11/enquanto-lisboa-destroi-o-seu.html

Enfim....

JJ disse...

João Moura: não vale a pena. O fundamentalismo que por aqui grassa roça o ridículo de forma sistemática, muitos o afirmam mas é o equivalente a falar para uma parede. Corre-se desalmadamente em direcção à má língua anónima e ao "bota abaixo" sem por uma vez se analisarem os dois lados da questão. O debate neste blogue é anulado sob uma ideia paternalista de um "povo inculto" que não merece a cidade que tem. Tremo ao pensar na Lisboa fantasiada que existe na cabeça dos senhores que postam neste blogue - limpa, ordeira, silenciosa, extirpada de pobres e marginais (não se pode exterminá-los?) e claro, vazia e morta. Tal Lisboa não existe, não existirá nunca e é bom que não chegue a existir. É difícil para eles perceber que no país pobre que vivemos e com as prioridades que tem (algumas questionáveis, sim, mas existem) o debate não se faz na perspectiva falhada do David honrado que luta contra o perverso Golias, pugnando por uma mudança que qualquer pessoa com instrução percebe que dificilmente existirá. Se querem uma sociedade diferente, as soluções têm de ser realistas. E realismo é o que por aqui não existe.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Diga lá sr. JJ entao qual é a cidade que quer? quais sao os famigerados dois lados da questao? que medidas tem na manga para termos uma cidade melhor? è que os seus comentários comecam a ser repetitivos: por aqui é tudo uma cambada de facciosos, de amantes do "bota-abaixo", por contraponto ao seu espírito "bota-acima", de português culto e civilizado, viajado, com toda a certeza, arauto do mais puro vanguardismo, senhor de uma objectividade sem par, adepto da Lisboa actual, modernaca, espelhada,nocturna, liberal e coisas quejandas. Mas ideias da sua parte também nao vi nenhuma.

Sim sr. JJ aqui sao tudo uns pacóvios do pior, porque querem conciliar o crescimento da cidade com a defesa do seu património, porque acham que uma cidade com menos carros em cima dos passeios é melhor para todos, porque sentem que mais espacos verdes melhoram a qualidade de vida de quem aqui vive, porque acham que as pessoas podem e devem ter direito ao descanso e nao terem que ser vítimas de todos aqueles nao sabem viver a noite, porque se pensa que as paredes das casas dos outros nao sao um papel para uma torpe criatividade, porque somos uns selvagens pouco instruídos que se deixam levar por duas cantigas e que caiem no papel fácil e redutor de críticos falhados, anacoretas de pacotilha, viloes da má-língua, ultrapassados completos.

Sr. JJ a sua clarividência cega-o. A sua Lisboa nunca será a minha. Tudo o que servir para a destruir, despromovê-la, liquidá-la nao pode ser visto com complacência.

Fica muito bem esse seu ar de pessoa "bestial", de um tipo porreiro, daqueles que vê sempre todas as faces de todas as moedas, de quem vive com os pés no chao, só que esse seu espírito, aparentemente benfazejo, nao serve a causa de Lisboa.

E por aqui me fico