...

...

24/02/2015

E mais um palacete arruinado, Praça da Alegria






Aqui há uma belíssima escadaria, salões com tectos estucados e trabalhados, portas e chão de madeiras exóticas, todos os atributos de um palacete lisboeta. Mais uma vez a ruína vai conquistando o seu espaço. "Pleno Dinamismo" será a empresa que irá proceder à demolição e/ou reabilitação. Assim consta na tela publicitária. Não se sabe qual o projecto, sabe-se que esta casa está  assim há já demasiado tempo.

Janelas abertas, reboco a cair, paredes vandalizadas. Lisboa numa das suas imagens habituais. Imagens destas são já um verdadeiro cartaz da cidade. 

15 comentários:

cristina disse...

Bom dia.
parabéns pelo blog, que assume uma opção clara de acção pública e cívica. partilho, totalmente impotente, apesar de tudo, a mesma indignação.
reunir e debater é uma boa opção face ao pequeno alcance de iniciativas individuais...?

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

obrigado Cristina pelo seu apoio ao blogue.

Várias vezes sao organizadas iniciativas (passeios, conferencias, exposicoes)em que toda participacao é mais do que bem-vinda.

Elaboram-se tb documentos de posicao que nascem de debates e de trocas de ideias, os quais, sao, depois, entregue às entidades várias que tutela o patrimónuo, ou que sobre ele têm influência.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Em Lisboa os donos dos imóveis, na maior parte em regime de condomínio, não se preocupam em fazer obras. Desculpem-me o termo mas estão-se cagando para o que possa acontecer se cair um bocado da fachada em cima de alguém.
A CML também se está cagando para a fiscalização urgente destas situações e devida responsabilização dos proprietários.
O resultado disto só pode ser explosivo. Um parque habitacional cada vez mais degradado e que põe em perigo a vida dos que usam os passeios da cidade.
Isto que se vê na foto é só o início.

Anónimo disse...

Deve ser o anónimo das 4:55 que quer pagar as obras. Vá ver as rendas e depois fale... Ou está se cagan###?

Anónimo disse...

Quem não tem dinheiro para manter os seus edifícios então não pode tê-los. Rendas não podem ser desculpas porque ninguém tem a culpa por elas já que não somos legisladores.

Anónimo disse...

O anónimo das 6.31 deve ter algum recalcamento.
Por acaso alguém falou em rendas? Ou em senhorios?
Falei em condóminos. Sabe quem são?
E por acaso o valor das rendas em toda a cidade é igual?
E por acaso pelo facto de alguém ser dono de um prédio e receber rendas baixas, isenta-o de fazer obras no seu património?
E por acaso isenta-o também de responsabilidades se cair um bocado da fachada em cima de alguém?
Pelos vistos o único aqui que se está a cagar é você ... a cagar para todos os que usam as ruas de Lisboa para andar, e habilitam-se a levar com qualquer coisa em cima e morrer!
É bem a típica mentalidade estúpida que nos fez chegar ao ponto em que estamos!

Anónimo disse...

2:46 recalcamento só o sr. que não sabe do que fala. O senhorio recebe rendas de 10€ e vai fazer obras. Faça-as você que é tão inteligente.
E não tem mais respostas vindas de mim

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

mas talvez o anónimo das 12.48 mas possa dar a mim,

o que é que as rendas congeladas têm a ver com o assunto? Desde quando fundos imobiliários que especulam com palácios, quintas, prédios de época, podem manter esse legado em situações de pré-ruína? Que eu saiba, a lei das rendas foi actualizada. Mesmo sem valores exorbitantes os proprietários são obrigados a fazer obras. Podem recorrer a fundos da CML, do reabilita, etc.

A conversa das rendas congeladas está tão congelada no tempo como as rendas já o tiveram.

Argumentos falaciosos que pretendem justificar o desleixo é que me parece escusado.

Anónimo disse...

As rendas congeladas foram uma das principais razões que afastaram os investidores do centro de lisboa durante várias decadas. Outra das razões é a burocracia infernal. Melhorou nos ultimos 4 a 5 anos, mas ha muito trabalho a fazer e muitos edifícios chegaram ao ponto de não retorno.

Anónimo disse...

O sr. Velloso com 2 "ll" é um sabichão.

Experimente ser um senhorio normal com rendas baixíssimas e já compreende o que digo. Se mesmo assim não chegar lá problema o seu.

Anónimo disse...

Desde quando os senhorios são chamados ao barulho?
Mais uma vez repito, falo de condóminos. Os condóminos não são senhorios (na sua maioria). São proprietários. E como proprietários têm de assumir as suas responsabilidades.
Em vez de gastarem dinheiro em carros novos, em bons almoços, ou noutros luxos, contribuam para renovar aquilo que é deles!
E sim, o sr. tem um ou mais recalcamentos, e dos grandes!

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

reagindo ao anónimo das 11.02

Os meus dosi LL no nome causam-lhe profunda impressão? Sempre é melhor ll's a mais do que um nome a menos, não é senhor anónimo-que-acha-que-não-sou-senhorio?

Há rgumentos dignos de um aluno de escola primária, embora, suspeite que os actuaias terão amis visão edo que o sr. anónimo.

Olhe e lá vão os dois LL's

Miguel de Sepúlveda Velloso

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Coreecção:

Há argumentos dignos de um aluno de escola primária, embroa, suspeite que os actuais terão mais visão do que o sr. anónimo

Anónimo disse...

Claro sr. Velloso com 2 ll's.
Já agora trate-me por anónimo com 2 mm's.

Miguel de Sepúlveda Velloso disse...

Reagindo ao anónimo das 10.53 que tem uma fixação por duplas consonantes

A desconversa tem limites. Da minha parte não receberá qualquer novo comentário.

Já agora, poupe-nos os paternalismos e coisas desse género. Os seus comentários a este post, fogem do essencial e são uma amálgama incoerente de argumentos.

Conversa encerrada.