11/02/2015

Assédio na Baixa


Chegado por e-mail:

«Passei pela rua augusta e mais uma vez pude comprovar uma das maiores chagas e nódoas da cidade. Dezenas de indivíduos, bem identificados, ao longo da rua e nas transversais assediam quem passa para vender estupefacientes, máquinas fotográficas ou telemóveis dentro de sacos.
O assédio é tal que perseguem-nos e chegam-nos a agarrar.
E tudo isto, junto ao Ministério da Administração Interna e com polícias a passar.
Todos os dias, as mesmas pessoas, assediam lisboetas e turistas de uma forma completamente incomodativa e intimidativa.
Mesmo que o que estejam a vender não seja, efetivamente, estupefacientes mas apenas algo para enganar alguns, isso basta para que as autoridades nada façam?
A Câmara de Lisboa e a Associação de Turismo de Lisboa aceita que a principal rua comercial de Lisboa (se juntarmos também o Bairro Alto, onde existe o mesmo problema) sejam conhecidas por zonas perigosas e sem segurança porque somos assediados, à luz do dia, por traficantes de droga? E acham que basta dizerem que nada se pode fazer?
Basta percorrer o instagram e procurar fotografias com o #lisboa para perceber a imensidão de comentários de turistas incomodados com o que ali se passa.
A bem do turismo e da ordem pública e também dos lilsboetas - quem passa ali todos os dias não tem que ser incomodado diáriamente - as autoridades têm de agir!
Daniel»

11 comentários:

Anónimo disse...

Como de costume os problemas nao se resolvem....arrastam-se.
Este cenário já leva 30-40 anos....certo ?

JA

Anónimo disse...

E no Miradouro do Adamastor é a mesma coisa. No ultimo mês tive conhecimento de 3 casos que envolveram confrontos físicos entre os "dealers" e pessoas de bem, que estavam ali só de passagem e que reagiram pois fartaram-se de serem incomodadas pelos respectivos "dealers"!

Anónimo disse...

Enquanto lisboeta farto da avalancha de turistas que assolam o centro da cidade, espero que essa gente continue a incomodá-los.

Julio Amorim disse...

Por acaso nunca fui turista em Lisboa....e creio que passei uma vez na Rua Augusta sem receber propostas desta (já é a segunda ?) geração de vendedores.
Os turistas é que devem desaparecer da Rua Augusta....não acha ?

Anónimo disse...

Acho que a quantidade razoável de turistas em Lisboa foi manifestamente excedida. De resto, esse problema foi já abordado aqui, dando-se como exemplo o desagrado dos cidadãos de Barcelona, onde o mesmo se passa.

maria franco disse...

Em 1987 na saudosa série Duarte e
Cª , esta situação é aqui retratada,
com muito humor.
Aos 5 minutos do video aparece um
dos tais vendedores neste caso, de
relógio. Afinal estas situações
naquela zona já vêem de longe.
http://youtu.be/CxDvbiS49Ug

Julio Amorim disse...

Pois, pois....os 30 anos de "aniversário" já passaram. Talvez uma estátua a homenagear estes "profissionais" lá para 2037 ??

André Mesquita disse...

os inergumeros a dizerem que o mal é haver turistas a mais e estes nao deviam ir a rua augusta. Emigrem sff!! ridiculo

Anónimo disse...

Os iletrados que escrevem inergumeros (eheheh) devem voltar à escola...

Anónimo disse...

Não se pode fazer nada porque vendem louro prensado, aspirinas esmagadas e sacos de farinha...

É só rir!

http://ocorvo.pt/2015/02/05/camara-de-lisboa-diz-nada-poder-fazer-para-travar-supostos-traficantes-de-rua/

Filipe Melo Sousa disse...

É isso e arrumadores. Assédio e extorsão. Há décadas que isso existe e a polícia fecha os olhos.