...

...

05/02/2015

Obras obrigam barbearia histórica a mudar de casa durante um ano


in Diário de Notícias (5.2.2015)
Por Inês Banha e Fotografia © Leonardo Negrão / Global Imagens

«Prédio no Chiado onde Barbearia Campos está instalada desde 1886 vai ser reabilitado para habitação ou turismo. Traça do espaço será mantida e voltará a acolher o estabelecimento

É num misto de orgulho e surpresa que José Sá Chaves mostra a cópia de um artigo numa revista chinesa sobre a barbearia que o avô fundou no Chiado, no coração de Lisboa, em 1886. A língua é incompreensível, mas as fotografias não enganam: trata-se mesmo do estabelecimento que fecha amanhã portas para que o prédio em que está inserido seja reabilitado. O regresso a um espaço recuperado está marcado para fevereiro do próximo ano. Até lá, e a partir de março, a Barbearia Campos vai funcionar a cerca de 200 metros da localização atual.

"Conseguimos vê-la daqui", diz, apontando na direção da Rua do Loreto e sem abandonar o número 4 do Largo do Chiado, José Sá Chaves, de 77 anos. São 16.00 e três das cinco cadeiras antigas de barbeiro da Barbearia Campos estão ocupadas. O único som mecânico que se ouve sai do rádio que toca ao fundo. A música é acompanhada pelo ruído ritmado das tesouras em riste e, ocasionalmente, pelo da água que corre das torneiras que são simultaneamente chuveiro instaladas nos lavatórios de pedra. As peças serão recuperadas, tal como o restante mobiliário do espaço com quase 130 anos de história. Já o chão, explica o representante da família do fundador, será replicado. Os espelhos e as cadeiras vão ser transferidos para as instalações temporárias, regressando depois à localização original, ainda que em menor número.

"Vamos ficar com espaço mais pequeno. Só vamos ficar com espaço para três", explica o responsável, que, em novembro de 2011, temia que o futuro da Barbearia Campos estivesse ameaçado pela degradação e eventual demolição do prédio em que está instalada. Um receio que, por agora, o tempo parece ter revelado ser infundado. [...]»

...

Ui, chão replicado, menos espelhos (espero que o grande, do lado esquerdo, que pertenceu ao último bordel fin de siécle de Lx, seja mantido) e menos cadeiras. E o espaço ao fundo? será o quê? Ui.

4 comentários:

Anónimo disse...

prefiro a barbearia s. miguel na calçada do combro. bastante mais barato para o mesmo resultado.

Anónimo disse...

Esperem o pior com estas obras, ou pelo menos esperem o menos bom.

Anónimo disse...

Finalmente vão fazer obras naquele prédio! Estava uma miséria...

Anónimo disse...

"Ou pelo menos esperem o menos bom".

Claro, porque tudo o que esteja acima do patamar do lodo já não merece comentário, não é?