Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

03/09/2013

Pobre Marquês!


Chegado por e-mail:

«A estação de Metro do Marquês de Pombal está num estado miserável!

O Estado da Arte na Estação

“(…) O Marquês de Pombal, figura carismática da nossa História com tão grande impacto no nosso imaginário coletivo e que dá nome ao local, constitui o mote principal das intervenções plásticas de Menez e João Cutileiro.

O escultor João Cutileiro colocou, no espaço que separa as duas linhas, a figura do Marquês de Pombal representado com o seu atributo mais identificativo, a exuberante cabeleira. Numa das mãos segura um rolo de papel, possivelmente os planos de reconstrução da cidade, ou os seus tão célebres decretos. As esculturas encontram-se sempre de costas para acentuar o caráter enigmático e misterioso desta controversa figura histórica, permitindo a quem se encontra no cais de embarque visualizar as esculturas como vultos recortados (…) “»

Fotos e texto (editado) de AAS

14 comentários:

Anónimo disse...

Tivemos tanto orgulho nas estações do nosso Metropolitano! Como é possível deixarem-nas chegar a este estado?

Anónimo disse...

A pessoa que fez isto está filmada.
Porque não foi impedida enquanto o fazia?
O que se está a fazer para o punir?

Anónimo disse...

Envieim as fotos para a Metro de Lisboa

Anónimo disse...

That's why i don't use the subway...

Anónimo disse...

É favor não dizer mal das atracções que fazem Lisboa ganhar Óscares do turismo de chanatas e garrafa de cerveja na mão.

Anónimo disse...

Enviar as fotos para o Metro?

Então mas eles não sabem?!?!?!

Anónimo disse...

Como assim, mandem as filmagens? Então o metro não tem camaras de segurança nas estações e plataformas? Para que servem, então? Ou não me digam que estão desligadas para poupar?

jac disse...

Infelizmente a única estação de metro da qual nos podemos realmente orgulhar é a do parque.
Uma verdadeira obra de arte.
Quanto ás outras absolutamente banais, feias, sem o mínimo de bom gosto.
Acima de isto tudo o que eu gosto mesmo é da combinação da ampliação das estações da linha verde e a redução das carruagens. Faz Lógica.

Carlos disse...

@jac

Claro que sim:

Ampliar as estações = Dar dinheiro aos amigos empreiteiros;

Reduzir os comboios = Comboios? Transportes públicos? Isso é o quê? Oh Sr. Silva, traga aí o carro que eu preciso ir ali tratar dum assunto...

Lógica!

Anónimo disse...

Ou entendi mal ou o problema aqui referido não é propriamente a estação do Marquês de Pombal ser feia ou bonita, o mesmo se aplicando a todas as outras...

Filipe Melo Sousa disse...

A manutenção do metro tem sido feita com dinheiro emprestado. Agora chegou a altura de pagar. Se querem como era anteriormente é pagar bilhetes a 4€. Querem?

Xico205 disse...

Anónimo disse...
Tivemos tanto orgulho nas estações do nosso Metropolitano! Como é possível deixarem-nas chegar a este estado?

4:44 PM
--------------------------

Tivemos tanto orgulho em brincar aos ricos e esfarrapar dinheiro que não tinhamos, como é possivel passarmos a viver com o nosso próprio poder de compra?

Filipe Melo Sousa disse...

É típico português. Fazer em grande, sem dinheiro para a manutenção. Com dinheiro emprestado. Gestores espertalhões que compram swaps, a esconder a dívida para anos posteriores. Agora está tudo muito admirado que chegou a hora de pagar.

Andou o povinho todo a dormir na forma. Agora que lhes cai tudo em cima fica tudo parvo, entra em negação, e vão para a rua cantar grândolas, como se resolvesse algo.

jac disse...

É verdade o povinho andou a dormir.então e aqueles que não são povinho, que fizeram? Pois, Nada!
Mas foi o povo que elegeu os gestores do metro?
O problema é que em Portugal quem arruína as empresas nunca é responsabilizado, bem pelo contrário.
Mas apesar de tudo acho que a manutenção das estações do metro não fica cara, os contractos que fazem com as empresas de manutenção é que ficam caros.
Mudem de empresa, de certeza haverá muitas empresas interessadas em fazer a manutenção com preços muito em conta.